Diminutivos como marcadores de sexo/gênero

Ronald Beline Mendes

Resumo


A partir da hipótese de que o uso de diminutivos no português brasileiro é percebido como um fato linguístico associado a sexo/gênero, analisam-se qualitativa e quantitativamente suas ocorrências em 104 entrevistas sociolinguísticas, a fim de verificar padrões de produção. Homens (gays ou não) que tendem a marcar sua masculinidade, bem como lésbicas que dizem preferir uma autoprojeção social “menos feminina”, parecem restringir seu emprego de diminutivos. Análises qualitativas também mostram que a correlação entre uso de diminutivos e sexo/gênero é fluida e contextual -- de modo que pode ser mais bem compreendida através da combinação de metodologias quantitativas e qualitativas.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.31513/linguistica.2012.v8n1a4477

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



A Revista Linguítica 

é membro das seguintes associações:

Abec CrossRef

 

e está indexada nas seguintes bases de dados/catálogos/diretórios: