Variação, mudança e não mudança linguística: ressignificando o conservadorismo linguístico no português do Brasil

Patrícia Rafaela Otoni Ribeiro, Patrícia Fabiane Amaral da Cunha Lacerda

Resumo


O presente trabalho objetiva ressignificar a compreensão do conservadorismo linguístico no português do Brasil. Sob a ótica da Teoria da Variação e Mudança Linguística e Social Networks, busca-se entender a variação, a mudança e a não mudança, com atenção especial à manutenção linguística (MILROY, 1992) diante de variantes em disputa. Com o enfoque na variação na marcação de número nos sintagmas nominais e verbais, defende-se que as motivações extralinguísticas para a alta frequência da variante ausência de concordância em uma determinada comunidade de fala estão relacionadas ao processo de formação história do português brasileiro e à polarização rural/urbana.

PALAVRAS-CHAVE: Variação e Mudança Linguística. Conservadorismo linguístico. Contato. Social Networks.  Marcação de número.

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



A Revista Linguítica 

é membro das seguintes associações:

Abec CrossRef

 

e está indexada nas seguintes bases de dados/catálogos/diretórios: