Negação sentencial em textos setecentistas e oitocentistas: [NãoVNão] em foco

Vivian Seixas, Mônica Alkmin

Resumo


Este trabalho descreve e analisa as estruturas negativas sentenciais na Língua Portuguesa do Brasil (LPB) em textos de autores brasileiros dos séculos XVIII e XIX, dando maior enfoque à negativa [NãoVNão], tida como forma inovadora no Português Brasileiro atual. Quanto à implementação da [NãoVNão], de acordo com os dados, o período em que ela aparece na escrita da LPB é a 1ª metade do século XVIII. Quanto à sua transição, descreveu-se o percurso no processo da mudança linguística: da estrutura [NãoV] para a [NãoVNão]. O arcabouço teórico-metodológico adotado foi a Teoria da Variação e Mudança (LABOV, 1972; 1994).


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



A Revista Linguítica 

é membro das seguintes associações:

Abec CrossRef

 

e está indexada nas seguintes bases de dados/catálogos/diretórios: