Resolução pronominal com antecedentes sobrecomuns e comuns de dois gêneros em português brasileiro como língua materna, língua de herança e como segunda língua

Raquel Fellet Lawall, Marcus Maia, Luiz Amaral

Resumo


Este trabalho investiga as diferenças na computação da resolução pronominal por falantes de português brasileiro nativos, de herança e aprendizes avançados, cuja primeira língua é o inglês. Construções em que um pronome masculino ou feminino retoma um antecedente sobrecomum masculino ou feminino são estudadas através de um experimento de leitura automonitorada com pergunta interpretativa final, a fim de observar efeitos da marcação de gênero. As propriedades formais destas construções são analisadas usando a teoria Head-driven Phrase Structure Grammar. Os resultados sugerem que os participantes dos três grupos apresentam diferenças significativas em relação ao processamento da informação de gênero nos níveis sintático e semântico, em medidas on-line e off-line.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.31513/linguistica.2012.v8n2a4555

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



A Revista Linguítica 

é membro das seguintes associações:

Abec CrossRef

 

e está indexada nas seguintes bases de dados/catálogos/diretórios: