Resenha de "Problems of projection", de Noam Chomsky

Miriam Lemle

Resumo


No início, o artigo soa familiar para quem se crê à vontade com Chomsky. Ele rememora passos importantes do seu percurso, curtindo, como sempre faz, estar na contramão das crenças prevalentes. A sua visão da capacidade humana da cognição de linguagem como uma recente mutação cognitiva abrupta na evolução da espécie versus a visão behaviorista da comunicação e as versões procedimentistas da era estruturalista. O empacotamento de todas as abordagens não gerativistas como variantes da tese da não existência da linguagem, o que significa a tese de que a linguagem não existe como um módulo cognitivo distinto, destacado por incorporar um procedimento gerador de representações de expressões no interior da mente, entregues a sistemas de instruções que transferem essas representações para as duas interfaces, a sensório-motoras e a conceptual-intencional. A noção de Gramática Universal e as maneiras de abordar aspectos idiossincrásicos particulares. A teoria da Ligação, os deslocamentos longos de sintagma-qu.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.31513/linguistica.2013.v9n1a4564

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



A Revista Linguítica 

é membro das seguintes associações:

Abec CrossRef

 

e está indexada nas seguintes bases de dados/catálogos/diretórios: