Entrevista: Leo Wetzels

Gean Damulakis

Resumo


Leo Wetzels é linguista de renome internacional e tem oferecido várias contribuições para o entendimento de questões universais sobre a linguagem, bem como tem contribuído para a descrição de diversos fenômenos de línguas particulares. Formou-se em Línguas Românicas pela Universidade de Nijmegen e, em 1990, começou a trabalhar na Universidade Livre de Amsterdam, ocupando a cátedra de Línguas Românicas (redefinida em 2002 como “Línguas Românicas e Amazônicas”). Seus trabalhos abordam especialmente a fonologia e a morfologia dessas línguas, com ênfase para os trabalhos sobre português brasileiro. Suas contribuições para os estudos das línguas indígenas também merecem destaque. Em 1995, editou o livro Estudos fonológicos das línguas indígenas brasileiras, cujos capítulos são compostos de pesquisas e análises suas e de alguns estudiosos brasileiros, vinculados ao Setor de Linguística do Museu Nacional (MN/UFRJ), onde atuou como Professor Visitante nesse período. Além dos trabalhos com esse enfoque, tem orientado teses de doutorado sobre muitas línguas indígenas sul-americanas, sobretudo as faladas no Brasil. Leo Wetzels já atuou como professor visitante na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (instituição que lhe concedeu, recentemente, o título de Doutor Honoris Causa), Universidade Federal de Pernambuco, Universidade Federal de Santa Catarina, Universidade de São Paulo e Universidade Estadual de Campinas, entre outras instituições brasileiras. O pesquisador atuou também como diretor de pesquisa do Laboratoire de Phonétique et Phonologie CNRS/Sorbonne Nouvelle (Paris). Atualmente, é editor da Revista Probus.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.31513/linguistica.2014.v10n2a4602

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



A Revista Linguítica 

é membro das seguintes associações:

Abec CrossRef

 

e está indexada nas seguintes bases de dados/catálogos/diretórios: