Uma investigação sobre a natureza locativa das construções perifrásticas dos predicados psicológicos no português brasileiro

Paula Guedes Baron, Rozana Reigota Naves

Resumo


Neste artigo, investigamos as construções perifrásticas dos predicados psicológicos do Português Brasileiro a partir da hipótese de que Experienciadores são locus de estados mentais (LANDAU, 2010). A análise mostra que as perífrases dos predicados ExpSuj são formadas pelo verbo leve ter, com semântica de posse, associada a uma interpretação locativa, enquanto as dos predicados ExpObj constituem-se por causar e dar, de interpretação causativa, e por preposições locativas. Propomos que: (i) o verbo leve forma um predicado complexo com a nominalização do verbo psicológico; (ii) as nominalizações possuem interpretação estativa, que serve de base para a nossa proposta de estrutura sintática das perífrases psicológicas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



A Revista Linguítica 

é membro das seguintes associações:

Abec CrossRef

 

e está indexada nas seguintes bases de dados/catálogos/diretórios: