Musicalidade: o penhor de aprender e ensinar

Manuel Antônio de Castro

Resumo


Num dito originário, a música é mítica, é princípio e essência de todo ser. Enquanto poética do diálogo, o ensaio propõe uma aprendizagem pela escuta e questionamento, caminho de liberdade para as obras-de-arte. Ele observa as limitações de enquadrar a música numa função, num sistema musical ou numa explicação estética, já que a obra musical, acima de tudo, faz acontecer som e
silêncio. Situando música e musicalidade na dinâmica da phýsis, elas emergem como linguagem e nada representam, apenas lançam o humano no ser que ele é.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Manuel Antônio de Castro

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.