LEITURAS BENJAMINIANAS: memória e experiência*

Martha D’Angelo

Resumo


O presente artigo tem em vista a concepção benjaminiana de infância, em sua dupla articulação com os temas da memória e da experiência, tais como tratados pelo autor. Para tanto, nos debruçaremos, especialmente, sobre o conjunto de fragmentos intitulado "Infância em Berlim por volta de 1900", em que Benjamin concebe a infância não como um período da vida a ser superado, mas como a suspensão do tempo cronológico e linear, a partir da qual passado e presente, interno e externo estabelecem uma correspondência que quebra o processo mecânico de reprodução da história individual e social. Palavras-chave: infância, experiência, memória.

 

This article aims at Walter Benjamin's conception of infancy in its double articulation with memory and experience, such as those treated by the author. We will especifically look into the collection of fragments titled “Berlin Childhood around 1900”, in which Benjamin conceives childhood not as a phase in human life to be overcome, but as a suspension of linear and chronological time, from which things as past and present, internal and external, establish a correspondence that breaks the mechanical reproductive proccess of individual and social history.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Martha D’Angelo