DO PENSAMENTO DO FORA: HETEROGÊNESES

Sandro Kobol Fornazari

Resumo


“Quanto menos as pessoas levarem a sério o pensamento, tanto mais pensarão conforme o que quer um Estado”.1 Essa afirmação incisiva de Deleuze e de Guattari põe em relevo um das principais problemas que os autores de Mil platôs constroem quando se trata de discutir a relação entre o Estado, enquanto centralização máxima do poder, e o pensamento em sua dupla possibilidade: ou ele é de acordo com o modelo fixado pelo aparelho de Estado ou ele é sem modelo e sem fixidez, antes ele desfaz os modelos e as formas fixas, ele é fugidio, insinuante, desconcertante.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Sandro Kobol Fornazari