Proposta de Atividade de Campo em Geomorfologia para a Paisagem Semiárida do Nordeste Oriental do Brasil: um Guia Cognitivo-Interpretativo a partir das Geoformas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.36403/espacoaberto.2023.58334

Palavras-chave:

Ensino de Geomorfologia, Cartografia Geomorfológica, Semiárido do NE do Brasil

Resumo

O ensino de geomorfologia necessita de ferramentas e instrumentos que auxiliem os estudantes a reconhecer a complexidade dos elementos que compõem a paisagem física. Para o ensino e a cartografia geomorfológica, a construção de listas contendo tipos de unidades morfológicas e suas ilustrações têm sido uma ferramenta clássica de identificação e fixação de conteúdo. O objetivo deste trabalho foi propor uma atividade de ensino/ levantamento mediada pela observação em campo de geoformas, com vistas a confrontar as tipologias de relevo aplicadas às unidades geomorfológicas para o setor norte-oriental do semiárido brasileiro, e apontar como a observação in loco, socializada entre grupos de aprendizes, favorece uma leitura mais complexa e realista da morfogênese. A atividade se pautou na construção de um itinerário de trabalho de campo, assistida por uma listagem-guia de acompanhamento dos pontos visitados na paisagem. Nesta foram identificadas 22 unidades morfológicas, ilustradas por modelos realistas criados em ambiente de Inteligência Artificial (IA). A formas foram escolhidas para representação na escala de 1:10.000, ou maior, adequada aos levantamentos geomorfológicos de detalhe. A etapa final propôs a construção de fichas interpretativas para os pontos de visita em campo, nas quais é possível confrontar as descrições oferecidas pela literatura e os modelos criados por IA com as narrativas e imagens reais da paisagem produzidas pelos aprendizes. Acredita-se que as atividades cognitivas-interpretativas, conduzidas em campo, pautadas pela percepção, identificação e partilha das variações e inadequações encontradas entre as propostas taxonômicas vigentes e a experiência de observação direta da paisagem constituem ferramentas didáticas facilitadoras do ensino-aprendizagem em geomorfologia

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Antonio Carlos de Barros Corrêa, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal de Pernambuco (1994), fez intercâmbio de graduação na Radford University, Virginia, EUA, mestrado em Geografia pela Universidade Federal de Pernambuco (1997), doutorado em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho com estágio sanduiche na Universidade de Durham, Reino Unido (2001) e pós-doutorado em geomorfologia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2003) . Atualmente é docente e pesquisador da Universidade Federal de Pernambuco, membro permanente dos programas de pós-graduação em geografia e arqueologia, Lider do Grupo de Estudos do Quaternário do Nordeste Brasileiro (GEQUA) e do Laboratório de Geomorfologia do Quaternário da UFPE. Coordenador Adjunto da Área de Geografia da CAPES desde 2018. Vice-presidente da Associação Brasileira de Geografia física desde 2017. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Geomorfologia, atuando principalmente nos seguintes temas: geomorfologia do quaternário, geomorfologia de ambientes semiáridos, geomorfologia histórica e estrutural, aplicação de índices morfométricos na análise geomorfológica e análise geossistêmica.

Daniel Rodrigues de Lira, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Graduado em Geografia (2008); Mestre em Geografia (2010) e Doutor em Geografia (2014) pela Universidade Federal de Pernambuco. Tem experiência na área de Geografia Física, com ênfase em Geomorfologia, Pedologia e Geotecnologias, atuando principalmente nos seguintes temas: Geomorfologia, Reconstrução Paleoambiental, Pedologia (soloXPaisagem), Geoquímica, Geoprocessamento e Sensoriamento Remoto e ensino de Geografia Física, Atuou como professor Adjunto na Universidade Federal de Sergipe do ano de 2014 ate 2021, atualmente Professor colaborador do Programa de Pós-graduação em Ciências Naturais e atua como professor Adjunto do curso de Geografia - Lic/Bach da Universidade Federal de Pernambuco.

Lucas Costa de Souza Cavalcanti, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Geógrafo, Mestre e Doutor em Geografia. É professor da Universidade Federal de Pernambuco desde 2016, estando vinculado ao Departamento de Ciências Geográficas. É professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGEO). Lidera o Grupo de Pesquisas Geografia de paisagens tropicais (PAISAGEO) e é vice-coordenador do Laboratório de pesquisa em dinâmicas de paisagens intertropicais (INTERTRÓPICOS), também estando vinculado ao Laboratório de Geomorfologia do Quaternário e o Grupo de Estudos do Quaternário do Nordeste Brasileiro (GEQUA). Foi coordenador do Mestrado Profissional em Ensino de Geografia (PROFGEO). Atua ou atuou como professor nos cursos de graduação em Geografia (Bacharelado e Licenciaturas), Geologia, Ciências Biológicas/Ambientais e Engenharia Cartográfica. É membro do pleno do Departamento, do Núcleo Docente Estruturante das licenciaturas e Coordenador de aulas de campo. Foi Professor e Coordenador do Colegiado de Geografia da Universidade de Pernambuco (Campus Petrolina) entre 2013-2016, quando criou e liderou o Grupo de Pesquisa Paisagem e Patrimônio Natural e participou da equipe de criação do Programa de Pós-Graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares (PPGFPPI). Também é colaborador do Plano de Ação Nacional para a Conservação da Ararinha-azul. Tem interesse no estudo das paisagens tropicais semiáridas e coordena projeto de pesquisa sobre a Cartografia das paisagens do Domínio das Caatingas. Tem experiência em Geografia Física/Geoecologia, no levantamento e cartografia de paisagens e suas aplicações, uso de geotecnologias para estudos integrados do ambiente, educação geográfica e ambiental e teorias da Geografia Física.

Riclaudio Silva Santos, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Doutorando em Geografia pela Universidade Federal de Pernambuco (Atual). Mestre em Geografia pela Universidade Federal de Sergipe (Linha de Pesquisa: Dinâmica Ambiental) (2018). Graduado em Licenciatura em Geografia pela Universidade Federal de Sergipe, Campus Professor Alberto Carvalho (2016). Membro do grupo de pesquisa em Geografia de Paisagens Tropicais (PAISAGEO), da Universidade Federal de Pernambuco. Membro do Laboratório de pesquisa em dinâmicas de paisagens intertropicais (INTERTRÓPICOS), da Universidade Federal de Pernambuco. Tem interesse na área de Geografia Física, atuando principalmente com ensino de geociências, cartografia de paisagem, geossistemas, geomorfologia, dinâmica ambiental, sensoriamento remoto e geoprocessamento. Usuário de informática avançado, com curso em manutenção de hardwares e redes, e uso de softwares.

George Pereira de Oliveira, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)

Bacharel em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Centro de Ensino Superior do Seridó (Caicó-RN) (2017). Licenciado em Geografia pela Universidade Federal de Pernambuco (2022). Mestre em Geografia pelo Programa de Pós-graduação em Geografia da Universidade Federal de Pernambuco (2019). Doutorando em Geografia pelo mesmo programa. Possui experiência na área de Geografia Física, com ênfase em Geomorfologia Estrutural e Tectônica, Geomorfometria, Mapeamento Geomorfológico e Análise Integrada da Paisagem. Integra o Grupo de Estudos do Quaternário do Nordeste Brasileiro (GEQUA) e o Grupo de Estudos em Arqueologia, Geociências e Tecnologias (GEAGT).

Downloads

Publicado

2023-06-30

Como Citar

CORRÊA, Antonio Carlos de Barros; LIRA, Daniel Rodrigues de; CAVALCANTI, Lucas Costa de Souza; SANTOS, Riclaudio Silva; OLIVEIRA, George Pereira de. Proposta de Atividade de Campo em Geomorfologia para a Paisagem Semiárida do Nordeste Oriental do Brasil: um Guia Cognitivo-Interpretativo a partir das Geoformas. Espaço Aberto, Rio de Janeiro, Brasil, v. 13, n. 1, p. 133–160, 2023. DOI: 10.36403/espacoaberto.2023.58334. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/EspacoAberto/article/view/58334. Acesso em: 18 jun. 2024.