A Filosofia como potência de agir através da atividade do esquecimento em Espinosa e Nietzsche

Renato Nunes Bittencourt

Resumo


Neste artigo analisaremos as convergências axiológicas entre as filosofias de Espinosa e de Nietzsche como expressões de uma compreensão imanente da vida e das suas qualidades intrínsecas, e de que modo a questão dos afetos perpassa as teorias de ambos os autores. Pretendemos demonstrar que a noção de potência de agir, disposição amplificada pelas interações alegres realizadas no cotidiano também encontraria um tônico vital para o seu constante crescimento a partir da capacidade humana de esquecer as impressões afetivas desagraveis; desse modo, favorece-se uma contínua abertura existencial para o novo mediante a supressão do ressentimento e de afetos depressivos da potência de agir.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Revista Ítaca - Periódico acadêmico administrado e editado por discentes de pós-graduação em Filosofia da Universidade Federal do Rio de Janeiro

ISSN (1519-9002 | 1679-6799) 

 

Última atualização: Agosto/2019

Last update: Agust/2019