O trauma do Tronco: A filosofia míope no espelho

Wallace Lopes Silva

Resumo


O que move este ensaio de pensamento é a tentativa de repensar as feridas estruturais na constituição do imaginário do medo projetado na instauração animalizada do constructo do corpo negro escravizado por teorias raciais e racializantes. Tal questão ensaística, focará o racismo na condição espacial enquanto conduta pedagógica e reprodutora do psiquismo histórico do trauma do pós-abolição em curso. Haja vista; que nossa sociedade moderna –colonial , racial e racializante articulou razão e raça como modelo epistêmico no processo de desafricanização dos atores-negros na cidade . O trauma do tronco é uma estrutura condicional das formas espaciais cicatrizadas no texto-corpo ratificado pela interdição do protagonismo negro do pensar filosofia no Brasil. Assim; o corpo negro espacializado no Brasil foi entendido como animal, coisa, objetos e mercadoria sendo espacializados de modo condicional da ausência de existência limitada nas sombras do ocidente racial-racializante do racismo estrutural no espaço urbano.


Palavras-chave


Cidade, espaço, corpo, medo, território e trauma do tronco

Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSON, Benedict. Nação e consciência nacional. São Paulo: Ática, 1989.

ANDRADE, Mário de. Macunaíma. In: ______. Obras Completas. 3 ed. São Paulo: Martins Fontes, s. d.

ARISTÓTELES. Arte retórica e arte poética. Trad. Antonio Pinto de Carvalho. São Paulo: Difel, 1964.

______. Poética. São Paulo: Nova Cultural, 1999. (Os pensadores).

______. De Anima. Apresentação, tradução e notas de Maria Cecília Gomes Reis. São Paulo: 34, 2006.

ARENDT, Hannah. Crises da República. São Paulo: Perspectiva, 1973.

______. As Origens do Totalitarismo: anti-semitismo, instrumento de poder. Rio de Janeiro: Documentário, 1975.

______. As Origens do Totalitarismo: imperialismo, a expansão do poder. Rio de Janeiro: Documentário, 1976.

______. As Origens do Totalitarismo: totalitarismo, o paroxismo do poder. Rio de Janeiro: Documentário, 1979.

______. Homens em Tempos Sombrios. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

______. A Dignidade da Política. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1993.

______. Rahel Varnhagen: a vida de uma judia alemã na época do Romantismo. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994a.

______. Lições Sobre a Filosofia Política de Kant. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994b.

______. Sobre a Violência. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994c.

______. Eichmann em Jerusalém: um relato sobre a banalidade do mal. São Paulo: Companhia das Letras, 1999a.

______. O que é política? Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999b.

______. A Condição Humana. 10. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000a.

______. Entre o Passado e o Futuro. 5. ed. São Paulo: Perspectiva, 2000b.

______. A Vida do Espírito: o pensar, o querer, o julgar. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 2000c.

ARROYO, M. M. A trama de um pensamento complexo: espaço banal, lugar e cotidiano. In: CARLOS, Ana Fani (Org.). Ensaios de geografia contemporânea – Milton Santos: obra revisitada. SP: Hucitec, 1996, p. 55-62.

A TRAGÉDIA reordena o mundo. Veja, São Paulo, ano 34, n. 40, p. 93­98, 10 out. 2001.

______. Ética a Nicômaco. In: Os Pensadores. v. II. Trad. Leonel Vallandro e Gerd Bornheim da versão inglesa de W.D. Ross. São Paulo. Abril Cultural, 1979.

______. Ética a Nicômacos. Tradução, introdução e comentários de Mário da Gama Kury. Brasília: Editora da UnB, 1997.

AVELLAR, José Carlos. A ponte clandestina. São Paulo: Editora USP; 34,1995.

BAKHTIN, Mikhail. Problemas da poética de Dostoievski. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1981.

BARRETO, Lima. Coisas do reino de Jambon. Sátira e Romance. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1961.

BARTHES, Roland. S/Z. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1992.

______. O rumor da língua. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

______. Sociedade, imaginação e publicidade. In: ______. Inéditos, vol. 3: Imagem e moda. São Paulo: Martins Fontes, 2005, p. 98-121. Coleção Roland Barthes.

BATISTA, N. Política criminal com derramamento de sangue. Revista Discursos Sediciosos: Crime, Direito e Sociedade, 5(6), Instituto Carioca de Criminologia. Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 1998.

BAUMAN, Zigmunt. Em busca da política. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2000.

BENCHIMOL, Jaime Larry. Pereira Passos: um Haussmann tropical – A renovação urbana da cidade do Rio de Janeiro no início do século XX. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional. 1992.

BERNARDES, C. R. O. Racismo de Estado: uma reflexão a partir da crítica da razão governamental de Michel Foucault. Curitiba: Juruá, 2013.

BERNARDET, Jean-Claude. Cineastas e imagens do povo. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

BHABHA, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 1998.

BHABHA, Homi K. “Disseminação – o tempo, a narrativa e as margens da nação moderna”. In: O local da cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.

BORGES, João Batista. Comunicação e Cultura Popular. São Paulo: Editora da USP, 1971.

BOURDIEU, Pierre. Distinção. Cambridge, Mass.: Harvard University, 1984.

______. O poder simbólico. Trad. Fernando Tomaz. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989.

BRECHT, Bertolt. Estudos sobre teatro. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1978.

BURKE, Peter. A escola dos Annales. São Paulo: Editora da Unesp, 1990.

CALVINO, Ítalo. As cidades invisíveis. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

CARLOS, A. F. A. (Org.) Ensaios de geografia contemporânea. Milton Santos: obra revisitada. São Paulo: Hucitec, 1996.

CARNEIRO, S. A. A construção do Outro como Não-Ser como fundamento do Ser. 2005. 339 f. Tese (Doutorado em Educação), Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

CASTEL, Robert. As Metamorfoses da Questão Social: Uma Crônica do Salário. Petrópolis: Vozes, 1998.

CASTELLS, Manuel. A Era da Informação: Economia, Sociedade e Cultura – O Fim do Milênio – Vol. III. Iesbo: Fundação Calouste Gruelbenkian, 2003.

CASTRO, Josué de. Geopolítica da fome. Volume I. 8. ed. São Paulo: Brasiliense, 1968.

CERQUEIRA, D. R. C.; COELHO, D. S. C. Redução da idade de imputabilidade penal, educação e criminalidade. Rio de Janeiro: IPEA, Nota Técnica, n. 15, 2015.

______.; FERREIRA, H. et al. Atlas da violência 2016. Brasília, DF: IPEA, 2016.

CERTEAU, Michel de. A escrita da história. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.

CHALHOUB, Sidney. Trabalho, lar e botequim: o cotidiano dos trabalhadores no Rio de Janeiro da belle époque. 2. ed. São Paulo: UNICAMP, 2001.

______. “Cortiços”. In: ______. Cidade Febril: cortiços e epidemias na Corte imperial. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. p. 15-59.

CHARAUDEAU, Patrick. Discurso das Mídias. São Paulo: Contexto, 2006.

CORBUCCI, P.; ARAUJO, H. E.; CODES, A. PNADs 2004-2014 – Educação. In: CALIXTRE, A.; VAZ, F. (Orgs.). PNAD 2014: breves análises. Brasília: IPEA, 2015.

COSTA, Rogério Haesbaert. Des-territorialização e identidade: a rede “gaúcha” no nordeste. Niterói: EDUFF, 1997.

¬______. Desterritorialização: entre as redes e os aglomerados de exclusão. In: CASTRO, Iná Elias de et al. Geografia: Conceitos e Temas. 3. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001, p. 165-205.

DANTAS, C. V. Racialização e mobilização negra nas primeiras décadas republicanas. Revista do Programa de Educação sobre o Negro na Sociedade Brasileira. Cadernos PENESB, Niterói, n. 12, p. 390, 2010.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. O que é a filosofia? Trad. Bento Prado Jr. e Alberto Alonso Muñoz. Rio de Janeiro: 34, 1992.

______.; ______. Mil Platôs. v. 2. Rio de Janeiro: 34, 1995.

DEMATTEIS, G. Geografia Democrática, território e desenvolvimento local, Formação, v. 2, n. 12, p.11-26, 2005.

DERRIDA, Jacques. Margens da Filosofia. Trad. Joaquim Costa e António M. Magalhães. Campinas, SP: Papirus, 1991.

______. A Voz e o Fenômeno: introdução ao problema do signo na fenomenologia de Husserl. Trad. Lucy Magalhães. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1994.

______. Mal de Arquivo: uma impressão freudiana. Trad. Claudia de Moraes Rego. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001a.

______. Posições. Trad. Tomaz Tadeu da Silva. Belo Horizonte: Autêntica, 2001b.

______. Gramatologia. Trad. Miriam Chnaiderman e Renato Janine Ribeiro. São Paulo: Perspectiva, 2004a.

______. A Escritura e a Diferença. Trad. Maria Beatriz Marques Nizza da Silva. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2004b.

______. A Farmácia de Platão. Trad. Rogério Costa. São Paulo: Iluminuras, 2005.

______.; ROUDINESCO, Elizabeth. De que amanhã... diálogos. Trad. André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2004.

ECO, Umberto. A Estrutura Ausente. São Paulo: Perspectiva, 1991.

EDMUNDO, Luis. O Rio do Janeiro do meu tempo. Vol. 1. Rio de Janeiro: Conselho Editorial, 2009.

EGLER, T. T. C. Ciberpólis: redes no governo da cidade. Rio de Janeiro: 7letras, 2007.

______. Espaço social e política urbana global. In: RIBEIRO, A. C. T.. Otro desarrolho urbano: ciudad incluyente, justicia y gestión democrática. Buenos Aires: Editora Clacso, 2009.

EYERMAN, Ron. Cultural Trauma: Slavery and the formation of African American identity. Cambridge, 2001.

FANON, Frantz. Pele negra, máscara branca. Salvador: EDUFBA, 2008.

FAORO, Raymundo. A questão nacional: a modernização. [online]. v. 6, n. 14, p. 7-22. 1992. ISSN: 85-7232-435-6. Disponível em: . Acesso em: 16 maio 2013.

FASSIN, D.; RECHTMAN, R. The Empire of Trauma: an inquiry in the condiction of victimhood. Princeton: Princeton University Press, 2009, 1972.

FERNANDES, Florestan. O negro no mundo dos brancos. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 2006.

FERNANDES, Florestan. A Revolução burguesa no Brasil: ensaio de interpretação sociológica. São Paulo: Globo, 2006.

FLAUZINA, A. L. P. Corpo negro caído no chão: o Sistema Penal e o Projeto Genocida do Estado brasileiro, 2006. 145 f. Dissertação (Mestrado em Direito) – Faculdade de Direito, Universidade de Brasília, Brasília, 2006.

FOLHA DA MANHÃ. 26/11/1925, Banco de Dados Folha. Acervo de Jornais online. Disponível em: . Acesso em: 8 dez. 2013.

FONTOURA, N.; LIMA Jr.; CHERFEM, C. O. PNAD 2014 – Alterações no mundo do trabalho, segundo marcadores de gênero e raça. In: CALIXTRE, A.; VAZ, F. PNAD 2014: breves análises. Brasília: IPEA, 2015.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. 6. ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1986.

______. Direito de morte e poder sobre a vida. In: ______. História da sexualidade I – A vontade de saber. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1988.

______. A ordem do discurso. São Paulo: Loyola, 2000.

______. Os anormais: curso no Collège de France (1974-1975). São Paulo: Martins Fontes, 2001.

______. Aula de 28 de janeiro de 1976. In: ______. Em defesa da Sociedade – Curso no Collège de France. São Paulo: Martins Fontes, 2005a.

______. (1976b) Aula de 17 de março de 1976. In: ______. Em defesa da Sociedade – Curso no Collège de France. São Paulo: Martins Fontes, 2005b.

______. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2005c.

FREYRE, G. Casa-grande & senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. 36. ed. Rio de Janeiro: Record, 1999.

FREUD, S. (1940 [1938]) Esboço de psicanálise. Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud, vol. XXIII. Rio de Janeiro: Imago, 1996a.

______. (1937) Construções em análise. Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud, vol. XXIII. Rio de Janeiro: Imago, 1996b.

______. (1936) Um distúrbio de memória na acrópole. Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud, vol. XXII. Rio de Janeiro: Imago, 1996c.

______. (1933 [1932]) Por que a guerra? Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud, vol. XXII. Rio de Janeiro: Imago, 1996d.

______. (1931) Sexualidade feminina. Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud, vol. XXI. Rio de Janeiro: Imago, 1996e.

______. (1930 [1929]) O mal-estar na civilização. Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud, vol. XXI. Rio de Janeiro: Imago, 1996f.

______. (1927b) O futuro de uma ilusão. Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud, vol. XXI. Rio de Janeiro: Imago, 1996g.

FRIEDMAN, Fania. Paisagem estrangeira: memória de um bairro judeu no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2007.

GASPARI, Elio. A ditadura encurralada: – O sacerdote e o feiticeiro. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

GEERTZ, Clifford. A Interpretação das Culturas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, s/d.

GILROY, Paul. O Atlântico negro. Rio de Janeiro: UCAM; 34, 2001.

GOMES, Ângela de Castro; FERREIRA, Jorge. Jango – as múltiplas faces. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007. das Letras, 2004.

GOMES, Flávio. História, protesto e cultura política no Brasil escravista. In: SOUSA, Jorge P. de (Org.). Escravidão: ofícios e liberdade. Rio de Janeiro: Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro, 1998.

GOMES, Flávio et al. Cidades Negras: africanos, crioulos e espaços urbanos no Brasil escravista do século XIX. 2. ed. São Paulo: Alameda, 2006.

GOMES, Flavio dos Santos. Histórias de Quilombolas, Mocambos e Comunidades de Senzalas no Rio de Janeiro - séc. XIX. - Edição Revista e Ampliada. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

GOMES, João Carlos Teixeira. Glauber Rocha – esse vulcão. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1997.

GOMES, Renato Cordeiro; MARGATO, Izabel. O papel do intelectual hoje. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2005.

GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere – Os intelectuais, o princípio educativo e o jornalismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2004.

GUIMARÃES, Antônio Sérgio Alfredo. Racismo e Antirracismo no Brasil. São Paulo: Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo; 34, 1999.

HAAR, Michel. Heidegger e a essência do homem. Lisboa: Instituto Piaget, 1990.

HABBERMAS, Jürgen. Mudança estrutural na esfera pública. Trad. Flávio R. Kothe. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2003.

HALL, Stuart. A identidade Cultural na pós-modernidade. Trad. Tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. 7. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

______. Da Diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora da UFMG; Brasília; Representação da UNESCO no Brasil. 2003.

HARVEY, D. A produção capitalista do espaço. São Paulo: Annablume,2005 (2001).

HEGEL, G. W. F. A razão na história - Introdução à filosofia da história. São Paulo: Centauro Editora, 2004.

HEIDEGGER, M. Introdução à metafísica (1935). Trad. de Emmanuel Carneiro Leão, Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1969.

______. Carta sobre o humanismo. Lisboa: Guimarães, 1987.

______. Heráclito: a origem do pensamento ocidental: lógica: a doutrina heraclítica do logos (1943 – 1944). Trad. de Marcia Sá Cavalcante Schuback. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1998.

______. A origem da obra de arte (1936). Trad. de Maria da Conceição Costa, Lisboa: Edições 70, 1999.

______. Ser e tempo (1927), Partes I e II. Trad. de Marcia Sá Cavalcante Schuback, Petrópolis: Vozes, 2002. [Sein und Zeit, Frankfurt am Main: Vittorio Klostermann, 1977.]

______. Sobre a essência da verdade (1943). In: ______. Conferências e escritos filosóficos. Trad. de Ernildo Stein, São Paulo: Nova Cultural, 2005a.

______.Que é metafísica? (1929) In: ______. Conferências e escritos filosóficos. Trad. de Ernildo Stein. São Paulo: Nova Cultural, 2005b.

______. Sobre a essência do fundamento (1929). In: ______. Conferências e escritos filosóficos. Trad. de Ernildo Stein. São Paulo: Nova Cultural, 2005c.

HOBSBAWN, Eric; RANGER, Terence (Orgs.). A invenção das Tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra,2006.

HOBSBAWN, Eric. Era dos extremos: O breve século XX: 1914-1991. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

______. O novo século: entrevista a Antonio Polito. São Paulo: Companhia das Letras, 2000. 1997., p. 28-37.

HOLLANDA, Sérgio Buarque de. As raízes do Brasil, (1ª edição 1936), São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

HOOKS, bell. In: WERNECK, Jurema; MENDONÇA, Maisa; WHITE, Evelyn C. (Orgs.). O Livro da Saúde das Mulheres Negras; Nossos Passos Vem de Longe. Rio de Janeiro: Pallas; Criola, 2002, pp. 1-89.

HUGO, Victor. Os trabalhadores do mar. Trad. de Machado de Assis. São Paulo: Martin Claret, 2001, p. 179-250.

JACCOUD, L. Racismo e República: o debate sobre o branqueamento e a discriminação racial no Brasil. In: THEODORO, M. et al. (Orgs.). As políticas públicas e a desigualdade racial no Brasil: 120 anos após a abolição. Brasília: IPEA, 2008, p. 49-62.

JIMENEZ, Marc. O que é estética? São Leopoldo: UNISINOS, 2006.

KARACH, Mary C. As nações do Rio. In: ______. A vida dos escravos no Rio de Janeiro (1808-1850). São Paulo: Companhia das Letras. 2000.

MAFFESOLI, Michel. A conquista do presente. Rio de Janeiro: Rocco, 1984.

______. No tempo das tribos. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000.

MAIO, Marcos Chor. Raça, doença e saúde pública no Brasil: um debate sobre o pensamento higienista do século XIX. In: MONTEIRO, S.; SANSONE, L. (Orgs.). Etnicidade na América Latina: um debate sobre raça, saúde e direitos reprodutivos. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2004, p. 15-44.

MAQUIAVEL, Nicolau. Discurso sobre a primeira década de Tito Lívio. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

______. O príncipe. Trad. Antonio Caruccio-Caporale. São Paulo: L&PM: Porto Alegre, 2011.

MARTON, Scarlett. Nietzsche, filósofo da suspeita? Rio de Janeiro: Casa da Palavra; São Paulo: Casa do Saber, 2010.

MARX, Karl. El capital. Libro 3. 2. ed. Trad. Wenceslao Roces. Ciudad de México: Fondo de Cultura Económica, 1968.

______. O capital. Livro 2: O processo de circulação do capital. Trad. Reginaldo Sant’anna. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1970.

______.O capital: crítica da economia política. Livro 1: O processo de produção capitalista. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1971.______. Crítica ao programa de Gotha. In: ______.; ENGELS, F. Textos. v. 1. São Paulo: Edições Sociais, 1975.

______. Escritos económicos menores. Ciudad de México: Fondo de Cultura Económica, 1987.

______. Formações econômicas pré-capitalistas. 6. ed. Introd. Eric Hobsbawm. Trad. João Maia. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1991.

______. Glosas críticas marginais ao artigo “O rei da Prússia e a reforma social”. De um prussiano. In: Práxis. n. 5, out.-dez. 1995. Belo Horizonte: Projeto Joaquim de Oliveira, 1995a.

______. El capital. Libro 1. 2. ed. 24ª reimpressão. Trad. Wenceslao Roces. Ciudad de México: Fondo de Cultura Económica, 1995b.

______. Para a crítica da economia política. São Paulo: Nova Cultural, 2000.

______. O 18 Brumário e Cartas a Kugelmann. 7. ed. Trad. Leandro Konder. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Revista Ítaca - Periódico acadêmico administrado e editado por discentes de pós-graduação em Filosofia da Universidade Federal do Rio de Janeiro

ISSN (1519-9002 | 1679-6799) 

 

Última atualização: Agosto/2019

Last update: Agust/2019