A QUADRA DE JOGO E O CAMPO ACADÊMICO-CIENTÍFICO: ATORES E AUTORES DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA SOBRE O TÊNIS PUBLICADA EM PERIÓDICOS BRASILEIROS

Caio Correa Cortella, Carlos Adelar Abaid Balbinotti, Tatiana Sviesk Moreira, Heitor Luiz Furtado, Marcelo Moraes e Silva

Resumo


A presente pesquisa buscou identificar as condições nas quais se estabelece a produção científica sobre o Tênis, com base na leitura das relações estabelecidas entre autores e produção em periódicos brasileiros. Para tanto, foram realizadas buscas nas bases eletrônicas LILACS e SciELO, e manualmente nos portais de 40 periódicos. Os resultados indicaram que 16 autores foram responsáveis por 32,4% da produção científica da modalidade no período analisado. O sistema de coautoria e o trabalho em rede, por meio de grupos de pesquisa, demonstrou ser uma prática recorrente entre os autores. Com base no posicionamento dos agentes, observou-se uma clara tendência de intersecção dos campos acadêmico-científico e esportivo, no que tange a produção do conhecimento sobre o Tênis no Brasil.

Palavras-chave


Produção Científica, Tênis, Periódicos

Texto completo:

PDF

Referências


BOURDIEU, P. Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1983.

BOURDIEU, P. Coisas ditas. São Paulo: Brasiliense, 1990.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. 2ª ed. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 1998.

BOURDIEU, P. Os usos sociais da ciência: por uma sociologia clínica do campo científico. São Paulo: Ed. da UNESP, 2004.

BOURDIEU, P. Homo Academicus. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2013.

BOURDIEU, P. Para uma Sociologia da Ciência. Lisboa: Edições 70, 2001.

BRACHT, V. Educação física e ciência: cenas de um casamento (in)feliz. Ed. Unijuí. Ijuí, 1999.

CARBINATTO, M. V. et al. Produção do conhecimento em ginástica: uma análise a partir dos periódicos brasileiros. Movimento. Porto Alegre, v. 22, n. 4, p. 1293-1308, out/dez 2016.

CAREGNATO, A. F. et al. A produção científica sobre futsal: análise de dissertações e teses publicadas no portal da CAPES entre 1996-2012.Motrivivência, Florianópolis, v. 27, n. 46, p. 15-34, 2015.

CORRÊA, A. J. et al. O Esporte brasileiro entre dilemas epistemológicos: da acusação à busca por absolvição. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, Brasília, v. 22, n. 3, p. 118-125, 2014.

CORTELA, C. C.; ABURACHID, L. M.; SOUZA; S. P.; CORTELA, D. N. R.; FUENTES, J. P. G. A formação inicial e continuada dos treinadores paranaenses de tênis. Conexões, Campinas, v.11, n.2, p.60-84, 2013.

FERON, A. V.; MORAES E SILVA, M. A Igreja do “Diabo” e a Produção do Conhecimento na Educação Física. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Florianópolis, v. 29, n. 01, p. 107-122, Set 2007.

FRANCHINI, E.; DEL VECCHIO, F. B. Estudos em modalidades esportivas de combate: estado da arte. Rev Bras Educ Fís Esporte, São Paulo, v. 25, p. 67-81, 2011.

FUENTES, J. P. G.; VILLAR, F. A. El entrenador de tenis de alto rendimento -- un estudio sobre su formación inicial y permanente. Badajoz: APROSUBA -3, 2004.

LAZZAROTTI FILHO, A. et al. Modus operandi da produção científica da EF: uma análise das revistas e suas veiculações. Revista da Educação Física/UEM, Maringá, v. 23, p. 1-14, 2012.

MARCHI JÚNIOR., W. Bourdieu e a teoria do campo esportivo. In: PRONI, M. W.; LUCENA, R. F. (Orgs.). Esporte: história e sociedade. Campinas: Autores Associados, 2002. p. 77-111.

MARCHLEWSKI, C.; MAIA DA SILVA, P.; SORIANO, J. B. A influência do sistema de avaliação Qualis na produção de conhecimento científico: algumas reflexões sobre a Educação Física. Motriz, Rio Claro, v.17 n.1, p.104-116, jan./mar. 2011.

MOHER, D.; LIBERATI, A.; TETZLAFF, J.; ALTMAN, D.G.; PRISMA Group. Reprint-Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses: The PRISMA Statement. Physical Therapy. v. 89, n. 9, p. 873-880, 2009.

MOREIRA, T. S.; MORAES E SILVA, M. SOUZA, D. L.; MEZZADRI, F. M. O perfil da produção científica em língua portuguesa sobre o voleibol. Motrivivência, Florianópolis, 2017. (no prelo).

PEREIRA DA SILVA, J. V. P.; GONÇALVES-SILVA, L. L.; MOREIRA, Wagner W. Produtivismo na pós-graduação. Nada é tão ruim, que não possa piorar. É chegada a vez dos orientandos! Movimento, Porto Alegre, v. 20, n. 4, p. 1423 -- 1445, out./dez. 2014.

RESENDE, R.; MESQUITA, I.; ROMERO, J. F. Caracterização e representação dos treinadores acerca da formação de treinadores de voleibol em Portugal. EFdeportes, 2007. Disponível em: . Acesso em: 22 abr. 2012.

RIGO, L. C.; RIBEIRO, G. M.; HALLAL, P. C. Unidade na diversidade: desafios para a Educação Física no século XXI. Revista Brasileira de Atividade Física, Pelotas, v.16, n.4, p.339-345, 2011.

SOUZA, D. L., MORAES E SILVA, M.; MOREIRA, T. S. O perfil da produção científica online em português relacionada às modalidades olímpicas e paralímpicas. Movimento. Porto Alegre, v. 22, n. 4, p. 1105-1120, out/dez 2016.

TANI, G. Editoração de periódicos em Educação Física/Ciências do Esporte: dificuldades e desafios. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 36, n. 4, p. 715-722, 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1809-9556. Todos os direitos reservados a revista ARQUIVOS em MOVIMENTO e a seus Autores.