EFEITOS DA INTERRUPÇÃO DOS EXERCÍCIOS NAS CAPACIDADES FUNCIONAIS DE IDOSOS PARTICIPANTES DA UNATI

Maiqueli Arpini, Sandra Mara de Faria Carvalho Martins

Resumo


O objetivo deste estudo foi verificar o efeito da interrupção dos exercícios nas capacidades funcionais de idosos. Trata-se de um estudo de caráter longitudinal, prospectivo e quantitativo, constituído por uma amostra não probabilística intencional composta por 12 idosos participantes da Universidade Aberta da Terceira Idade (UNATI) do Centro Universitário de Pato Branco (UNIDEP). Realizou-se esse estudo durante os meses de dezembro de 2016 a junho de 2017 e foram comparados os resultados da capacidade funcional dos idosos durante o período de atividades da UNATI (avaliação 1 - AV-1 e avaliação 3 - AV-3) e após o retorno do período de férias do programa (avaliação 2 - AV-2), utilizando o Functional Fitness Test. A análise de dados foi através do teste ANOVA usado para identificar diferença entre as avaliações e o procedimento de Sidak como método de comparação múltipla em um nível de confiança de 95%. Os resultados mostraram perdas significativas nas variáveis fisiológicas da força e resistência muscular, na mobilidade e equilíbrio dinâmico, e na flexibilidade, sendo que a capacidade aeróbica não apresentou alteração significativa. Conclui-se que 11 semanas de interrupção dos exercícios foi suficiente para promover declínio da capacidade funcional. Sugere-se novos estudos para o acompanhamento das alterações observadas.


Palavras-chave


Exercícios; Modalidades de Fisioterapia; Reabilitação

Texto completo:

PDF 2

Referências


ALMEIDA, D.K.S.; SILVA, F.O.C. A função muscular e a composição corporal na qualidade de vida do idoso: Efeitos de um programa de 8 semanas de treinamento combinado. Bras Presc Fisio Exer. v.10, p.504-510, 2018.

ANDRADE, C.P., et al. Effects of aquatic training and detraining on women with fibromyalgia: controlled randomized clinical trial. Eur J Phys Rehabil Med. v.55, n.1, p.79‐88, 2019.

ARAÚJO, G.K.N. de et al. (2019). Capacidade funcional e fatores associados em idosos residentes em comunidade. Acta paul. Enferm. v.32, n.3, p.312-318, 2019.

AZEVEDO FILHO, E.R. (2018). Percepção dos idosos quanto aos benefícios da prática da atividade física: um estudo nos Prontos de Encontro Comunitário do Distrito Federal. Rev. Bras. Ciênc. Esporte. v.9, n.1, p.14–23, 2019.

CADORE, E.L., et al. Multicomponent exercises including muscle power training enhance muscle mass, power output, and functional outcomes in institutionalized frail nonagenarians. AGE. v.36, p.773–785, 2014.

CARVALHO, F.E.T.; PAPALÉO, N.M. Geriatria - Fundamentos, Clínica e Terapêutica. 2. ed. São Paulo: Atheneu, 2007.

CARNEIRO, D.N., VILELA, A.B., MEIRA, S.S. Evaluation of cognitive deficit, mobility and activities of daily living among elderly. Rev APS. v.19, n.2, p.203–9, 2016.

CASTRO FILHO, J.A., MOTTA, L.B. Evaluation in distance learning: a case report of the UNASUS/UERJ postgraduate course in elderly health. Rev Bras Geriatr Gerontol. v.21, n.5, p.513–22, 2018.

CASAS-HERRERO, A., et al. Effect of a multicomponent exercise programme (VIVIFRAIL) on functional capacity in frail community elders with cognitive decline: study protocol for a randomized multicentre control trial. Trials. v.20, p.362, 2019.

ELLIOTT, K.J., SALE, C., CABLE, N.T. Effects of resistance training and detraining on muscle strength and blood lipid profiles in postmenopausal women. Br J Sports Med. v.36, p.340-5, 2002.

FATOUROS, I.G., et al. Strength training and detraining effects on muscular strength, anaerobic power, and mobility of inactive older men are intensity dependent. Br J Sports Med. v.39, p.776-780, 2005.

FIDELISidelis, L.T., et al. (2013). Influência da prática de exercícios físicos sobre a flexibilidade, força muscular manual e mobilidade funcional em idosos. Rev Bras Geria Geron. v.16, n.1, p.106-116, 2013.

FONSECA, A.I.S. et al. Efeito de um programa de treinamento de força na aptidão física funcional e composição corporal de idosos praticantes de musculação. Rev Bras Presc Fisio Exer. p.556–563, 2018.

HARRIS, C., et al. Detrainning in the older adult: effects or prior training intensity on strength retention. J Str Cond Res Boise. v.21, n.3, p.813-818, 2007.

IKE, D., et al. Efeitos do exercício resistido de membros superiores na força muscular periférica e na capacidade funcional do paciente com DPOC. Fisio Mov. v.23, n.3, 2017.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo 2020. [Acesso em 02 julho 2020]. Disponível em: https://censo2020.ibge.gov.br/2012-agencia-de-noticias/noticias/24036-idosos-indicam-caminhos-para-uma-melhor-idade.html.

LETIERE, R.V. Efeito de métodos de oclusão vascular periférica associados ao treino de baixa resistência na força muscular de mulheres idosas. Tese. Universidade de Coimbra, 2020.

LUSTOSA, S.A., et al. Functional capacity evaluation of elderly person registered in a Family Health. Cad UniFOA. v.32, p.91–8, 2016.

MAREGA, M. et al. Manual de atividades físicas para prevenção de doenças. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.

MAER, A.P., LOPES, W.A. A influência do método pilates na aptidão física de idosas do município de Guarapuava PR. Rev Polidiscip Eletrônica Fac Guairacá [Internet]. v.3, n.2, p.135-137, 2012. Disponível em: http://www.revistavoos.com.br.

MICHELIN, E., COELHO, C.F.; BURINI, R.C. Efeito de um mês de destreinamento sobre a aptidão física relacionada à saúde em um programa de mudança de estilo de vida. Rev Bra Med do Esp. v.14, n.3, p.192-196, 2008.

OMS, Organização Mundial de Saúde. Relatório mundial sobre envelhecimento e saúde, 2015. Genebra; [Acesso em 02 de junho de 202]. Disponível em http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/186463/1/9789240694811_eng.pdf .

REBELATTO, J.R., et al. Influência de um programa de atividade física de longa duração sobre a força muscular manual e a flexibilidade corporal de mulheres idosas. Rev Bras Fisioter. v.10, n.1, p.127-32, 2006.

RESENDE-NETO, A.G., et al. Comparison between functional and traditional training exercises on joint mobility, determinants of walking and muscle strength in older women. J Sports Med Phys Fitness. v.59, n.10, p.1659‐1668, 2019.

RIGO, J.C., TRAPP, M.G. O modelo e duas dicas de saúde: NATIEx – Núcleo de Atendimento à Terceira Idade do Exército. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008.

RIKLI, R.E., JONES, C.J. (1999). Development and validation of a functional fitness test for community residing older adults. J Aging Phys Activity. v.7, n.2, p.129-161, 1999.

ROCHA, C. et al. Efeitos de 20 semanas de treinamento combinado na capacidade funcional de idosas. Rev. Bras. Ciênc. Esporte. v.39, n.4, p.442-449, 2017.

ROSA, M.F., et al. Efeito do período de interrupção de atividades aquáticas na aptidão funcional de idosas. Rev Bras Cineantropom Desempenho Hum. v.10, n.3, p.237-42, 2008.

SANTIAGO, L.Â.M. et al. Efeitos de oito semanas de destreinamento sobre parâmetros cardiovasculares em mulheres idosas. Rev. Bras. Ciênc. Esporte. v.41, p.298-307, 2019.

SANTOS, S., DANTAS, L.; OLIVEIRA, J.A.D. Desenvolvimento motor de crianças, de idosos e de pessoas com transtornos da coordenação. Rev Pau Ed Fís. v.18, p.33-44, 2004.

SILVA, F.L.C, SANTANA, W.R., RODRIGUES, T.S. Envelhecimento ativo: O papel da fisioterapia na melhoria da qualidade de vida da pessoa idosa; revisão integrativa. Revista UNINGÁ. p.136-139, 2019.

SHINNO, H., et al. (2017). Evaluation of a static stretching intervention on vascular endothelial function and arterial stiffness. Eur J Sport Sci. v.17, n.5, p.586‐592, 2017.

SOUZA, M.A.C.D. Esporte Para Idosos - Uma Abordagem Inclusiva. SESC: São Paulo, 2010.

SAKUGAWA, R.L., et al. Effects of resistance training, detraining, and retraining on strength and functional capacity in elderly. Aging Clin Exp Res. v.31, n.1, p.31‐39, 2019.

TEIXEIRA, A.V.; MUNIZ, G. R. Efeito de um protocolo de treinamento de força periodizado sobre a composição corporal de mulheres com idades entre 50 e 60 anos. Rev Bras Presc Fisio Exer. p.844, 117–124, 2014.

VIANA, J. U. et al. Effect of a resistance exercise program for sarcopenic elderly women: quasi-experimental study. Fisio Mov. v.31, p.1–9, 2018.

WILLIAMS, B.A. et al. (2015). Geriatria: Diagnóstico e Tratamento. 2. ed. Porto Alegre: AMGH.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1809-9556.

Todos os direitos reservados a revista ARQUIVOS em MOVIMENTO e a seus Autores.