Leituras de Signos, de Nestor Victor, e o caso da novela “Sapo”

Zadig Mariano Figueira Gama

Resumo


No intuito de retomar o debate em torno do livro de narrativas curtas Signos (1897), obra de estreia de Nestor Victor dos Santos (1868-1932), este artigo visa situar o escritor e crítico paranaense no horizonte particular das relações de força objetivas e de lutas simbólicas no campo literário brasileiro. Sob uma perspectiva teórico-metodológica na qual se coadunam pesquisa de fontes primárias, revisão da fortuna crítica em obras de referência bem como perspectiva crítica, propomos uma leitura renovada da novela “Sapo”, décimo primeiro texto do volume, cuja escolha se justifica pelo fato de este ter sido, desde sua publicação até os dias atuais, o texto do volume mais pronunciado pela crítica.


Palavras-chave


Nestor Victor; Signos; novela “Sapo”; recepção

Texto completo:

PDF

Referências


BARREIRA, J. Gouaches. Porto: Lugan e Genelieux, Editores, 1892

BOSI, A. História concisa da literatura brasileira. 43. ed. São Paulo: Cultrix, 1971 [1970].

BRAGA-PINTO, Cesar. “Nestor Victor (1897-C.1922)”. In: ___. A violência das letras: amizades e inimizades na literatura brasileira. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2018, p. 223-274.

CAMINHA, A. Bom-Crioulo. Apresentação e Notas de Salete de Almeida Cara. São Paulo: Ateliê Editorial, 2014 [1895].

CARVALHO, A. I. de. Nestor Vítor: Um intelectual e as idéias do seu tempo 1890-1930. Curitiba: Aos quatro ventos, 1998.

CASTRO, F. J. V. de. “Os Pederastas”. In: ___. Atentados ao pudor; estudo sobre as aberrações do instinto sexual. 3. ed. Rio de Janeiro: Livraria Editora Freitas Bastos, 1934 [1895], p. 211-248.

COMERLATTO, W. J.; CHAGAS, L. C. P. Nestor Victor; um ilustre paranaense. Paranaguá: [s.n.], 2002.

CRUZ E SOUSA, J. da. “Dispersos”. In: ___. Obra Completa. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1995 [1897], p. 808.

FERNANDES, M. J. F. O conto simbolista no Brasil; seguido de antologia comentada. 2014. Tese (Doutorado em Literatura Brasileira) – Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. Disponível em: http://www.letras.ufrj.br/posverna/doutorado/FernandesMJF.pdf. Acesso em: 9 jun. 2018.

MIGUEL-PEREIRA, L. História da literatura brasileira. Prosa de ficção: de 1870 1920. 3. ed. Rio de Janeiro: José Olímpio Editora, 1973 [1950].

MOISÉS, M. História da literatura brasileira; Simbolismo (1893-1902). São Paulo: Cultrix, 1985.

MURICY, J. C. de A. O símbolo à sombra das araucárias; memórias. Rio de Janeiro: Conselho Federal de Cultura e Departamento de Assuntos Culturais, 1976.

______. Panorama do movimento simbolista brasileiro. 3. ed., v. 1. São Paulo: Editora Perspectiva, 1987 [1952].

______. Panorama do conto paranaense. 3. ed., v. 1. Notas bibliográficas de Leopoldo Scherer. Curitiba: Fundação Cultural, 1979.

ROMERO, Silvio Vasconcelos da Silveira Ramos. Evolução da Literatura brasileira (vista sintética). Campanha: [s.n.], 1905.

______. Quadro sintético da evolução dos gêneros na Literatura brasileira. Porto: Livraria Chardron de Lello & Irmão, 1911.

SILVA, C. P. da. A representação da estética simbolista e sua receptividade no contexto cultural e literário do Brasil e de Portugal. 2014. Dissertação (Mestrado em Literatura Portuguesa) – Instituto de Letras, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. Disponível em: https://web.opendrive.com/api/v1/download/file.json/N18xMzg4Njk5NDVf?inline=0. Acesso em: 9 jun. 2018.

SILVEIRA, A. V. da. Análise da crítica literária de Nestor Victor e seus diálogos teóricos. 2010. Tese (Doutorado em Letras) – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, Universidade Federal do Paraná, Paraná. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Allan_Silveira/publication/274633496_Dialogos_criticos_de_Nestor_Vitor/links/5523d7080cf223eed37fea7b/Dialogos-criticos-de-Nestor-Vitor.pdf. Acesso em: 9 jun. 2018.

SILVEIRA, T. da. Nestor Vítor; Prosa e poesia. Rio de Janeiro: Agir. 1963.

VICTOR, N. Signos. Rio de Janeiro: Typographia Correia, Neves & C. 1897.

______. Cruz e Sousa. Rio de Janeiro: [s.n.], 1899.

______. Amigos. Rio de Janeiro: Ed. Debate, 1900.

______. A Hora; Os Desplantados, de Maurice Barrès, O Cyrano de Bergerac, de Edmond Rostand, H. Ibsen. Rio de Janeiro: H Garnier, 1901

______. Transfigurações. Rio de Janeiro: H Garnier, 1902.

A Meridional; revista internacional, Rio de Janeiro, ano 1, n. 1, 28 fev. 1898.

A Notícia, Rio de Janeiro, ano 4, n. 215, 9-10 set. 1897; ano 5, n. 11, 10-11 jan. 1898; ano 7, n. 86, 11-12 abr. 1900.

Cidade do Rio, Rio de Janeiro, ano 12, n. 95, 24 abr. 1900; ano 12, n. 98, 27 abr. 1900.

Gazeta da Tarde, Rio de Janeiro, ano 17, n. 357, 26 dez. 1896; ano 18, n. 96, 5 out. 1897; ano 22, n. 169, 1º ago. 1901.

Gazeta de Notícias, Rio de Janeiro, ano 23, n. 291, 18 out. 1897.

Gazeta do Povo, Curitiba, ano 3, n. 80, 23 abr. 1898.

Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, ano 9, n. 148, 18 maio 1899.

O Paiz, Rio de Janeiro, ano 12, n. 4026, 10 out. 1895.

Revista Brasileira, Rio de Janeiro, tomo 8, jan.-mar. 1898.




DOI: https://doi.org/10.35520/diadorim.2020.v22n1a30426

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Indexadores e bases bibliográfcias:
Google Scholar  LivRe  DRJI Base EZB  WorldCat Kubikat InfoGuide HNU 


Licença Creative Commons
A Revista Diadorim utiliza uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.