Matadores: A construção social e simbólica de identidades violentas

Ricardo Henrique Arruda de Paula

Resumo


O presente texto é o resultado de cinco anos de pesquisa realizada com matadores de gente. Durante esse período, foram colhidos, no Ceará, relatos orais em forma de histórias de vida e autobiografia, em um trabalho que envolve, portanto, memórias e narrativas. Entre os interlocutores desta pesquisa, sobressai um personagem, Idelfonso Maia da Cunha, popularmente conhecido por “Mainha”, que se destacou no cenário local e nacional por seus crimes de mortes. Servindo-se de todo esse universo narrativo, este trabalho busca contribuir para o estudo dos valores e códigos morais que envolvem a construção social e simbólica de identidades violentas.

 

The article Killers: The Social and Symbolic Construction of Violent Identities is the result of five years of research about killers. Throughout this period, oral accounts in the form of life stories and narrated memoirs were collected in Brazilian state of Ceará. One character in particular stands out among the interlocutors, Idelfonso Maia da Cunha, more commonly known as “Mainha”, who became notorious on a local and national scale for his murders. Drawing on this whole narrative body, the investigation attempts to help our understanding of the values and moral codes that underlie the social and symbolic construction of violent identities.


Palavras-chave


matador, pistoleiro, vingança, honra, bandido social

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Dilemas - Revista de Estudos de Conflito e Controle Social

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

             

APOIO: