Convergência do léxico por contato entre o português brasileiro e o galego modernos

Valéria Gil Condé

Resumo


Este artigo pretende discutir elementos de convergência entre o galego e o português brasileiro a partir de alguns exemplos colhidos no léxico. O ponto de encontro entre estas duas culturas se dá no norte de Portugal, precisamente na região entre o Douro e o Minho: que guarda características do ponto de vista histórico-linguístico com a Galiza; no caso do Brasil se dá pelo contato linguístico, motivado pela emigração dos portugueses do Norte. Para corroborar esta convergência, vamos nos valer de dados históricos de uma região, Minas Gerais, que recebeu um contingente significativo de emigrantes provenientes do Douro e Minho entre os séculos XVIII e XIX. Os dados linguísticos serão colhidos no Esboço de um atlas linguístico de Minas Gerais (1977), em um estudo realizado por Paz-Andrade (1983) sobre o léxico em Guimarães Rosa e a título de comparação no Atlas linguístico Galego. Os dicionários nas respectivas línguas como também do português europeu também serão consultados. Dessa forma, poderemos analisar a inserção desses vocábulos em nível de registro nas sociedades em estudo.


Palavras-chave


léxico; galego; português; estudo histórico-comparativo; contato linguístico

Texto completo:

PDF

Referências


ALVAREZ BLANCO, Rosario; FERNÁNDEZ REI, Francisco; GONZÁLEZ GONZÁLEZ, Manuel. Atlas Linguístico Galego: Léxico. Tempo atmosférico e cronolóxico. Vol. 4. GARCÍA, Constantino, SANTAMARINA, Antón. (Dir.). A Coruña: Fundación Barrié de la Maza, 2003.

BARROS, Vítor Fernando. Dicionário do falar de Trás-os-Montes e Alto Douro. Lisboa: Editora Colibri, 2006.

BRETTELL, Caroline B. Homens que partem, mulheres que esperam: Consequências da emigração numa freguesia minhota. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1991.

BORBA, Francisco da Silva. Dicionário de usos do português do Brasil. 1. ed. São Paulo: Editora Ática, 2002.

CARVALHO, Ruy Duarte de. Desmedida: Luanda, São Paulo, São Francisco e volta. Rio de Janeiro: Língua Geral, 2010.

CASTRO, Rosalía. Cantares Gallegos. Vigo: Edicións Xerais de Galicia, 2006.

CINTRA, Lindley. Estudos de Dialectologia Portuguesa. 2. ed, Lisboa: Sá da Costa Editora, 1995.

COROMINAS, Joan. Diccionario Crítico Etimológico Castellano e Hispano. 6 v. Madrid: Gredos, 1991.

COSERIU, Eugênio. Teoria da linguagem e linguística geral: cinco estudos. Rio de Janeiro: Presença, 1979.

DANIEL, Mary L. João Guimarães Rosa: travessia literária. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio, 1968.

DUBERT, Francisco. SOUSA, Xulio. Área lexicais galegas e portuguesas. A proposta de Cintra aplicada ao galego. In: ALVAREZ, Rosario; SOUSA, Xulio. (Ed.). Dialectoloxía e léxico. Santiago de Compostela / Instituto da Lingua Galega, 2002. p. 193-222.

RIVAS QUINTAS, Eligio C. M. Dicionario Etimolóxico da Lingua Galega: Léxico rural do noroeste hispano. 1. ed. Santiago de Compostela: Tórculo Comunicación Gráfica, 2015.

FERREIRA, Carlota da Silveira; CARDOSO, Suzana Alice Marcelino. Arco-íris no Brasil: um estudo linguístico antropológico a partir dos atlas regionais. Revista do Gelne, ano 1, n°2, p.21-24, 1999.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. 26. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

HOUAISS, Antônio; VILELA, Mário de Salles. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. 1. ed. Rio de Janeiro: Editora Objetiva, 2001.

PAZ-ANDRADE, Valentin. A galeguidade na obra de Guimarães Rosa. São Paulo: Difel, 1983.

PESSOA, Fernando. O guardador de rebanhos: Alberto Caeiro. Lisboa: Editorial Presença, 1994.

PIEL, Joseph-Maria. Estudos de linguística histórica galego-portuguesa. Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 1989.

RAMOS, Donald. Do Minho a Minas. Revista do Arquivo Público Mineiro. v. 44, n°.1, janeiro / junho, p. 131-153, 2008.

RIBEIRO, José; ZAGARI, Mário Roberto Lobuglio; PASSINI, José; GAIO, Antônio Pereira. Esboço de um atlas linguístico de Minas Gerais. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Cultura / Fundação Casa de Rui Barbosa / Universidade Federal de Juiz de Fora, 1977.

ROSA, João Guimarães. Grande Sertão: veredas. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994.

ROSA, João Guimarães. Sagarana. Rio de Janeiro: José Olympio, 1976.

VIARO, Mário Eduardo. Semelhanças entre o português brasileiro e as variedades africanas e asiáticas. In: SILVA, Luís Antônio da Silva (Org.). A língua que falamos. Português: história, variação e discurso. São Paulo: Editora Globo, 2005. p. 211-252.

VILLARES, Ramón. História da Galiza: Uma memória dos avôs europeus. Bahia: Mar Maior Editorial Galaxia, 2015.




DOI: https://doi.org/10.24206/lh.v3i2.17142

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 LaborHistórico

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

LaborHistórico | ISSN 2359-6910

A Revista LaborHistórico da Universidade Federal do Rio de Janeiro está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.