LaborHistórico

LaborHistórico é uma revista semestral on-line dos Programas de Pós-graduação em Letras Vernáculas (PPGLEV) e Letras Neolatinas (PPGLEN), da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Brasil. Tem como foco estudos desenvolvidos a partir de fontes escritas nos quais se destaque o labor do historiador diante de seu material de trabalho. Nessa temática, são bem-vindas contribuições de distintas áreas do saber, como Filologia (Crítica Textual), Linguística Histórica e História. 

Classificação Qualis Periódicos CAPES (quadriênio 2013-2016): B4.

ISSN: 2359-6910

Notícias

 

Chamada aberta para publicação: Dossiê Temático (v. 6, n. 2, 2020)

 

Título: ARTE, HISTÓRIA E ESCRITA

Organizador: Alberto Martín Chillón (EBA/UFRJ)

Com um interesse interdisciplinar, LaborHistórico pretende organizar o dossiê especial Arte, História e Escrita, sob a organização do Prof. Alberto Martín Chillón (EBA/UFRJ), dedicado à relação entre arte e escritura, tanto ao papel e ao tratamento das fontes escritas quanto aos próprios processos da escritura da História da Arte. As linhas de trabalho abordadas incluem (mas não estão restringidas a):

(i) o conceito de fonte escrita, suas diferentes tipologias e caraterísticas;

(ii) os diferentes modos possíveis de tratamento das fontes escritas na História da Arte e sua importância na construção da disciplina;

(iii) o estudo das relações entre a imagem e o texto, como por exemplo os diálogos entre teoria e prática artística, a exemplo de manifestos e obras de arte;

(iv) a influência mútua entre o texto e a imagem, e como um pode condicionar e dirigir o outro, como no caso dos tratados religiosos;

(v) como a imagem e o texto compartilham o mesmo espaço e as relações que estabelecem, como no caso de inscrições, manuscritos iluminados, livros, revistas, quadrinhos ou a própria assinatura;

(vi) os textos sem relação direta com a imagem, como inscrições na arquitetura, túmulos, etc;

(vii) como se relacionam tematicamente e formalmente as obras literárias e artísticas que compartilham inspiração, observando as diferentes construções que a arte e a literatura elaboram e suas mútuas relações;

(viii) assuntos como a ilustração, o uso da imagem a serviço do texto, a écfrase, assuntos de crítica e teoria artística, ou curadoria e o processo de construção através do texto, assim como o próprio papel do texto como elemento artístico ou como própria obra de arte, e a obra de arte como modo de escrita.

Em síntese serão aceitas contribuições que reflitam sobre o labor histórico do historiador da arte diante de suas fontes de trabalho e o uso das fontes escritas, assim como a relação entre arte e escritura.

Data-limite para submissão: 31 de janeiro de 2020.

 
Publicado: 2019-05-01
 

Chamada aberta para publicação: Dossiê Temático (v. 6, v. 1, 2020)

 

Título: DESCRIÇÕES MORFOLÓGICAS DAS LÍNGUAS ROMÂNICAS: ABORDAGENS HISTÓRICAS

Organizadores: Natival Simões Neto (UEFS) e Mailson Lopes (UFBA)

Com o advento do Estruturalismo e, a partir dele, de uma leitura a-histórica do fenômeno linguístico (CARVALHO, 2008), o peso quantitativo e qualitativo dos estudos diacrônicos sobre a língua sofreu uma séria obnubilação (MATTOS E SIVA, 2008), só parcialmente recuperado a partir das décadas de 60 a 80 do século passado, processo que continua em marcha até os nossos dias. A morfologia histórica, como subdisciplina da linguística histórica, não foi poupada de tal descenso, tendo o seu cultivo quase que fenecido (PENA, 2009). Não obstante, parece ela experimentar o reinício de uma discreta vitalidade nos últimos anos (BASILIO, 2009), talvez pela redescoberta (ou ênfase) de que a estruturação e o comportamento do componente morfológico moldam-se em conformidade com as características enraizadas no fluxo temporal da língua (RIO-TORTO, 2014). Parece indiscutível que essa revitalização encontra-se ligada ao surgimento e divulgação do marco teórico da sociolinguística variacional (WEINREICH; LABOV; HERZOG, 1968), aos paradigmas epistemológicos pautados no uso e em descrição de corpora empíricos (SOLEDADE, 2004; SANTOS, 2009; LOPES, 2013; GMHP, 2014) e, sem dúvida, à teoria da gramaticalização, desembocando (ainda timidamente) nos estudos de cariz cognitivista (SOLEDADE, 2013; SIMÕES NETO, 2016; LOPES, 2018). Aproveitando esse quadro multifacético, vê-se legitimidade em um intento de reunir estudos que se debrucem sobre a descrição e análise de fenômenos ou questões morfológicas mediante alguma leitura historicocêntrica, seja atinente ao fluxo temporal, seja fincada em recortes específicos de tal devir, pertencentes ao passado ou ao presente da língua.

Levando em consideração essas premissas, a revista LaborHistórico, voltada para a Linguística Histórica Românica, deseja organizar um dossiê temático sobre estudos de Morfologia Histórica no qual congregará trabalhos que se dediquem a algum dos seguintes temas:  

(i) reflexões sobre os aspectos teórico-epistemológico-metodológicos da morfologia histórica no âmbito das teorias morfológicas contemporâneas; 

(ii) interfaces da Morfologia com outras áreas interessadas pela relação entre língua e história, como a Filologia e a Etimologia;

(iii) descrição morfológica de períodos mais recuados das línguas, destacadamente, o período medieval;

(iv) periodização das línguas com base em aspectos morfológicos;

(v) descrição de aspectos morfológicos relevantes para a distinção entre variedades europeias e não europeias em perspectiva sincrônica ou diacrônica; 

(vi) processos de gramaticalização e lexicalização atinentes aos afixos; 

(vii) polissemia de afixos em perspectiva diacrônica ou sincrônica; 

(viii) mudanças de estatuto morfológico; 

(ix) processos morfofonológicos na história das línguas;

(x) variação morfológica em perspectiva sincrônica ou diacrônica;

(xi) comparação interlinguística atinente a fenômenos morfológicos em perspectiva sincrônica ou diacrônica;

(xii) processos de neologia e arcaização relacionados com a morfologia;

(xiii) homonímia, sinonímia e antonímia de afixos em perspectiva histórica ou sincrônica;

(xiv) concorrência/coocorrência de afixos em dado recorte sincrônico ou em fluxo diacrônico.

Data-limite para submissão: 30 de novembro de 2019.

 
Publicado: 2019-03-22
 
Outras notícias...

v. 4, n. 2 (2018): Interseções entre a historicidade da língua e a historicidade do texto sob a ótica das Tradições Discursivas


Capa da revista