Polifonia e modalização na Tradição Discursiva “Aviso de cobrança” nos jornais do século XIX

Roseane Batista Feitosa Nicolau

Resumo


O objetivo deste artigo éanalisar a polifonia e a modalização no aviso de cobrança presente no jornal do Brasil do século XIX, recursos que favorecem na consolidação do gênero como uma tradição discursiva de interação comercial e oficial. Para esse trabalho, nos servimos dos pressupostos teóricos do modelo da Tradição Discursiva (KABATEK, 2005, LOPES, 2011, entre outros) e da Teoria da argumentação (DUCROT, 1984: 1988), dentre outros, que tratam da polifonia e da modalização. Tivemos como corpus a escolha de 05 avisos de cobrança coletados nos jornais, presentes nos acervos da Casa Fundação José Américo, João Pessoa, PB. A polifonia e a modalização, nos avisos de cobrança, são recursos linguísticos e argumentativos que contribuem para que as relações estabelecidas entre os credores e devedores se realizem de maneira cordial e/ou ameaçadora, neste gênero. Apontamos como resultado desta pesquisa que há, no aviso de cobrança, um locutor que pede e, ao mesmo tempo cobra, ou seja, há vozes que se justapõem. E isto pode ser atestado pela constante coocorrência da modalização deôntica volitiva e de obrigatoriedade, sobretudo no aviso de cobrança comercial. Entretanto, a voz que se sobressai é a voz da cobrança, ou seja, a real intenção do locutor, objetivo do gênero e desta Tradição Discursiva. 


Palavras-chave


Tradição discursiva; Avisos de cobrança; Polifonia; Modalização.

Texto completo:

PDF

Referências


BELLOTTO, Heloísa Liberall. Como fazer análise diplomática e análise tipológica de documento de arquivo. São Paulo: Arquivo do Estado, Imprensa Oficial, 2002.

BOTTA, Mariana Giacomin. A imprensa pioneira em língua portuguesa e os gêneros jornalísticos no século XVIII. Disponível em . Acesso em 03 de set. de 2017.

CASTILHO, Ataliba. Teixeira de; CASTILHO, Célia Maria Moraes de. Advérbios modalizadores. In: ILARI, Rodolfo (Org.). Gramática do português falado. Vol. 2. 2 ed. Campinas: Editora da Unicamp, 1993.

DUCROT, Oswald. Enunciação. Enciclopédia Einaudi. Vol. 2. Imprensa Nacional, Casa da Moeda, 1984.

______. O dizer e o dito. Revisão técnica da tradução de Eduardo Guimarães. Campinas: Pontes, 1987.

______. Polifonia y Argumentación: Conferencias del Seminario Teoria de la Argumentación y Análisis del Discurso. Cali: Universidad del Valle, 1988.

FONSECA, Maria Cristina de Assis Pinto. A escrita oficial: manuscritos paraibanos dos séculos XYIII e XIX. Recife: Programa de Pós-Graduação em Letras da UFPE, 2006.

GUEDES, Marymarcia; BERLINCK, Rosane de Andrade. E os preços eram commodos... anúncios de jornais brasileiros do século XIX. São Paulo, Humanitas/FFLCH/USP, 2000.

KABATEK, Johannes. Tradições discursivas e mudança lingüística. In: LOBO, Tânia; RIBEIRO, Ilzel; CARNEIRO, Zenaide; ALMEIDA, Norma. (Orgs). Para a História do Português Brasileiro. Vol. 7. Salvador, BA EDUFBA, 2006.

______. Sobre a historicidade dos textos. Trad. José da Silva Simões. Revista Linha d’água. São Paulo: DLCV-FFLCH-USP, 2004, n. 17, p. 160-167. Disponível em: . Acesso em 15 set. 2016.

KOCH, Ingedore G. Villaça. Argumentação e Linguagem. 5 ed. São Paulo: Cortez, 1999.

______. A Interação pela Linguagem. 5 ed. São Paulo: Contexto, 2000.

KOCH, Peter. Diskurstraditionen: zu ihrem sprachtheoretischen Status und ihrer Dynamik. In: FRANK, B.; HAYE, T.; TOPHINKE, D. (Ed.). Gattungen mittelalterlicher Schriftlichkeit. Tübingen: Narr, 1997. Tradução não publicada de Alessandra Castilho da Costa.

LOPES, Célia Regina dos Santos. (Org). A norma Brasileira em Construção: fatos linguísticos em cartas pessoais do século XIX. Rio de Janeiro: UFRJ, Pós-Graduação em Letras Vernáculas, 2005.

______. Tradição Discursiva e Mudança no Sistema de tratamento do Português Brasileiro: Definindo Perfis Comportamentais No Início Do Século XX. Disponível em . Acesso em 02 de set. de 2017.

NASCIMENTO, Erivaldo Pereira do. A modalização como estratégia argumentativa: da proposição ao texto. Anais do Congresso Internacional da ABRALIN. João Pessoa: Editora Idéia, 2009.p. 1369-1376.

______. A modalização deôntica e suas peculiaridades semântico-pragmáticas. Disponível em . Acesso em 10 de junho de 2017.

NASCIMENTO, Erivaldo Pereira do; SILVA, Joseli Maria da. O fenômeno da modalização: estratégia semântico-argumentativa e pragmática. In: NASCIMENTO, E. P. do. A argumentação na redação comercial e oficial: estratégias semântico-discursivas em gêneros formulaicos. João Pessoa: Editora Universitária UFPB, 2012.

NEVES, Maria Helena de Moura. A modalidade. In: KOCH, Ingedore G. Villaça (Org.) Gramática do português falado VI - Desenvolvimentos. Campinas: Ed. da Unicamp, Fapesp, 1996.

NICOLAU. Roseane B. Feitosa. “.... queirao ter a bondade satisfazerem seus débitos”: Tradição Discursiva e Modalização nos Avisos e nas Cartas de Cobranças dos Jornais do século XIX . XVII Congreso Internacional Asociación de Lingüística y Filología de América Latina (ALFAL 2014). João Pessoa - Paraíba, Brasil. Disponível em . Acesso em 20 jul. de 2017.

PERELMAN, Chaim; OLBRECHTS-TYTECA, Lucie. Tratado da Argumentação – A Nova Retórica. São Paulo: Editora Martins Fontes, 1996.




DOI: https://doi.org/10.24206/lh.v4i1.17492

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 LaborHistórico

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.