A variação diatópica dos pronomes pessoais Tu e Você em cartas de amor do sertão pernambucano do século XX

Cleber Alves de Ataíde, Tallys Júlio Souza Lima

Resumo


O presente trabalho tem por objetivo apresentar os resultados da investigação sobre a variação de uso das formas de tratamento TU ~ VOCÊ na função sintática de sujeito em cartas de amor produzidas, nas décadas de 50 e 70, por dois casais não-ilustres de uma comunidade rural do sertão pernambucano. Para analisar a alternância das formas tratamentais, consideramos o aporte teórico-metodológico da Linguística de corpus, da Sociolinguística Histórica e Variacionista, a fim de verificar a atuação dos seguintes fatores na variação das formas: categorias preenchida e não-preenchida do sujeito e o paradigma de concordância S-V.  Na análise quantitativa, evidenciamos o uso do subsistema de tratamento Você/Tu (LOPES; CAVALCANTE, 2011). E, levando em consideração o paradigma de concordância, podemos evidenciar que, na documentação remanescente ao período analisado, já havia vestígio do atual subsistema de tratamento empregado no estado de Pernambuco: uso de Tu/Você com nível de concordância média (SCHERRE et. al., 2009; 2015; 2018).


Palavras-chave


Formas de tratamento; Variação; Cartas de amor

Texto completo:

PDF

Referências


BROWN, P; GILMAN, A.The pronouns of power and solidarity. In: SEBEOK, T. Style in Language. Cambridge-Mass: MIT Press, 1960.

CINTRA, Luiz F. Lindley. Sobre formas de tratamento na língua portuguesa. Lisboa: Livros Horizontes, 1972.

FARACO, Carlos A. O tratamento você em português: uma abordagem histórica. Fragmenta, 13. Ed. Curitiba: UFPR, 1996, p. 51-82.

GOMES, V. S.; LOPES, C. R. dos S. Formas Tratamentais em cartas escritas em Pernambuco (1869-1969): Tradição Discursiva e sociopragmática. Relin, n°21 Minas Gerais: Periódico em letras UFMG, 2016.

GONÇALVES, C. R. De Vossa Mercê a Cê: Caminhos, percursos e trilhas. Caderno do CNPF, Vol. XIV, N°4, t.3. PUC: Minas Gerais, 2010.

LOPES, C. R dos S; RUMEU, M. C. B.: MARCOTULIO, L. L. A variação VOCÊ e TU a partir do século XIX: o estado da questão. Historia del portugués, XVI congresso internacional de la ALFAL – ALCALÁ 2011. p. 3607-3616.

LOPES, C. R. dos S.; RUMEU, M. C. de B.; MARCOTULIO, L. L. O tratamento em bilhetes amorosos no início do século XX. In: As formas de tratamento em português e em espanhol: Variação mudança e função conversacional. Niterói: Editora da Universidade Federal Fluminense, 2011. p. 315-349.

LOPES, C. R. dos S.; CAVALCANTE, S. A cronologia do voceamento no português brasileiro: expansão de você-sujeito e retenção do clítico-te. Revista Linguística, Madrid, v. 25, p. 30-65, 2011.

______; CAVALCANTE, S. A cronologia do voceamento no português brasileiro: expansão de você-sujeito e retenção do clítico-te. Revista Linguística: Madrid, v. 25, p. 30-65, 2011. Disponível em: .Acesso em: 20 jun. 2015.

MENON, Odete P. S. A história de você. In: GUEDES, Marymárcia, BERLINCK, Rosane de Andrade. MURAKAWA, Clotilde Almeida de Azevedo (Orgs.). Teoria e análise linguística: novas trilhas. Araraquara: UNESP, 2006, p. 99-160.

______. O sistema pronominal do português do Brasil. Letras, Curitiba: Ed. da UFPR, n. 44, p. 91-106, 1995.

MARCOTULIO, L. L. Língua e História: o 2º marquês do Lavradio e as estratégias linguísticas da escrita no Brasil Colonial. v. 1. Rio de Janeiro: Ítaca Comunicações, 2010.

SAID ALI, Manuel. De “eu” e “tu” a majestade: tratamento de familiaridade e reverência. Revista da Cultura, 129. Rio de Janeiro, 1937, v. 5, p. 275.

SOUZA, J. P. F. de. Mapeando a entrada do você no quadro pronominal: análise de cartas familiares dos séculos XIX e XX. Rio de Janeiro, Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2012.

SCHERRE et al. Usos dos pronomes “você” e “tu” no português brasileiro. In: II SIMELP, Universidade de Évora.




DOI: https://doi.org/10.24206/lh.v4i2.17500

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 LaborHistórico

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

LaborHistórico | ISSN 2359-6910

A Revista LaborHistórico da Universidade Federal do Rio de Janeiro está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.