Análise lexicológica dos itens lexicais "manicômio" e "hospital psiquiátrico": um estudo comparado do léxico da língua portuguesa sob o ponto de vista sócio-histórico

Eduardo Lacerda Faria Rocha, Maíra Borges Laranjeira

Resumo


Este artigo apresenta um estudo do emprego dos itens lexicais manicômio e hospital psiquiátrico nas décadas de 1930 e 2000, sob o ponto de vista sócio-histórico do léxico da língua portuguesa. Através da análise do corpus composto pelo acervo do extinto Jornal do Brasil, disponível na Hemeroteca Digital na Internet, propomos uma investigação dos fatores sociais e históricos que possam ter influenciado na escolha lexical desses dois termos ao longo dos anos. Após a análise de 200 ocorrências dos itens, 100 de cada sincronia, foram coletadas as 25 palavras mais frequentes associadas a cada um dos quatro grupos analisados (manicômio e hospital psiquiátrico, nas décadas de 1930 e 2000). Assim, poderíamos supor as motivações para o uso dos termos em questão. O item lexical manicômio se mostrou, ao final do estudo, mais associado a situações trágicas e socialmente reprovadas, com predominância na década anterior, ao passo que hospital psiquiátrico passou a ser utilizado posteriormente, acompanhado de uma maior sensibilidade social quanto à questão da saúde mental e questões como dependência de drogas e ambientes sanitários.


Palavras-chave


Léxico. Lexicologia. Sócio-histórico. Manicômio. Hospital psiquiátrico.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, I. M. Neologismo: criação lexical. São Paulo: Ática, 1990.

ARBEX, D. Holocausto brasileiro: vida, genocídio e 60 mil mortes no maior hospício do Brasil. São Paulo: Geração, 2013.

BIDERMAN, Conceito Lingüístico de Palavra. In: Basílio, M. (ed.) Palavra. Departamento de Letras da PUC-Rio, 1999. p. 81-97.

CAMBRAIA, C. N. Da lexicologia social a uma lexicologia sócio-histórica: caminhos possíveis. Revista de Estudos da Linguagem, Belo Horizonte, v. 21, n. 1, 2013. p. 157-188. Disponível em: http://dx.doi.org/10.17851/2237-2083.21.1.157-188.

CAMBRAIA, C. N. Lexicologia e informação: um ensaio de quantificação. Entretextos, v. 15, n. 2, 2015. p. 31-52. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5433/1519-5392.2015v15n2p31.

FOUCAULT, M. História da Loucura na Idade Clássica. São Paulo: Perspectiva, 1972.

MATORÉ, G. La lexicologie sociale. L ́Information Li éraire, Paris, n. 2, mar.-abr. 1949.




DOI: https://doi.org/10.24206/lh.v5iEspecial2.25138

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 LaborHistórico

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

LaborHistórico | ISSN 2359-6910

A Revista LaborHistórico da Universidade Federal do Rio de Janeiro está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.