Padrões de formação de palavras em mirandês: processos derivacionais na formação de nomes eventivos e de qualidade na escrita de tipo académico

Isabel Almeida Santos, Cristina Martins, Isabel Pereira

Resumo


A expansão do domínio do uso do mirandês incrementou a criação de léxico adequado a novas necessidades de expressão, nomeadamente no âmbito do discurso de pendor académico.A criação de produtos derivados assenta, por um lado, na utilização de constituintes morfológicos (bases e afixos) atestados na língua e, por outro, no recurso a modelos existentes no léxico português. A análise de um corpus de textos académicos, incidindo sobre o uso de nomes derivados eventivos e de qualidade, permitiu observar algumas tendências na geração desses produtos. Identificaram-se como afixos mais frequentes e produtivos -mient(o)/-ment(o) e -(i/e/a)dad(e), noseventivos e nos nomes de qualidade, respetivamente. Além disso, apesar de uma associação estável entre bases lexicais e afixos, observa-se uma variação alomórfica de bases, mas, sobretudo, dos sufixos. No corpus em análise não é possível definir claramente critérios morfofonológicos de distribuição dos alomorfos dos diversos sufixos. Os frequentes casos de alomorfia, porém, parecem constituir sintomas de um processo de estandardização em curso, mas longe da estabilização.

Palavras-chave


Criação lexical. Processos derivacionais. Produtos nominais. Mirandês. Estandardização linguística.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, António B. "La lhéngua mirandesa: ancruzelhadas i caminos de l último seclo", Trabalho apresentado em Ramón Menéndez Pidal y el dialecto leonés, In: Ramón Menéndez Pidal y el dialecto leonés (1906-2006), Leon: 2006.

ALVES, António B. L lhionés no seclo XXI: alguas cunsideraçones i anterrogaçones a propósito de l mirandés. Trabalho apresentado em El leonés en el siglo XXX. In: El leonés en el siglo XXI (un romance milenario ante el reto de su normalización), León: 2006.

BAUTISTA, Alberto Gómez. El mirandês. Contexto y procesos de formación de palabras. Tésis (Doctorado en Filología Románica). Universidad Complutense de Madrid, Madrid, 2013.

CORREIA, Margarita. Denominação e construção de palavras. Lisboa: Edições Colibri, 2004.

FERREIRA, Amadeu. Modos de tratamento ne l mirandés de Sendin. El Filandar/O Fiadeiro, n. 13, p. 8-13, 2001. Disponível em: https://studosmirandeses.blogs.sapo.pt/1764.html. Acesso em: 8 de jan. de 2018.

FERREIRA, Amadeu. Notas d’antroducion a la lhiteratura mirandesa. Ianua, n. 4, p. 97 113, 2003. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=3732457. Acesso em: 8 de jan. de 2018.

FERREIRA, Amadeu. La 'amanita muscaria' i ls remanses "Veneno da Moriana": notas para ua perpuosta de nuoba lheitura. A Pantorra, n. 4, p. 27-38, 2004a. Disponível em: https://studosmirandeses.blogs.sapo.pt/4785.html. Acesso em: 8 de jan. de 2018.

FERREIRA, Amadeu. La cidade de Miranda de l Douro i la lhéngua mirandesa. El Filandar/O Fiadeiro, n. 15, p. 19-24, 2004b. Disponível em: https://studosmirandeses.blogs.sapo.pt/1823.html. Acesso em: 8 de jan. de 2018.

FERREIRA, Amadeu. L regalengo de Palaçuolone l seclo XII. (Studo de toponímia mediabal i de stória de la lhéngua mirandesa). Brigantia, n. 25, p. 33-72, 2005.

FERREIRA, Amadeu; FERREIRA, José Pedro Cardona. Dicionairo - Dicionário da língua mirandesa, (sd). Disponível em: http://www.mirandadodouro.com/dicionario/traducao-mirandes-portugues. Acesso em: 8 de jan. de 2018.

FERREIRA, Manuela Barros; RAPOSO, Domingos (Coord.). Convenção Ortográfica da Língua Mirandesa. Miranda do Douro/Lisboa: Câmara Municipal de Miranda do Douro/CLUL, 1999.

HAUGEN, Einar. Language Planning. In: AMMON, Ulrich et al. (Ed.). Sociolinguistics. vol 1. Berlin/New York: De Gruyter, 1987, p. 626-637.

MARTINS, Cristina. O processo de normativização do mirandês. In: SINNER,Carsten (Ed.). Norm und Normkonflikte in der Romania. München: Peniope, 2005, p. 39-58.

MARTINS, Cristina; SANTOS, Isabel A. Standardising Mirandese: processes and challenges. In: AMMON,Ulrich et al. (Ed.). Sociolinguistica. Internationales Jahrbuck für euopäische Soziolinguistik, vol. 29 (Die Standardisierung von Minderheitensprachen). Berlin: De Gruyter, p.141 156, 2015.

MEIRINHO, Conceição. A Influência da Tradução na Renovação Lexical do Mirandês. Dissertação (Mestrado em Tradução). Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Bragança, Bragança,2016.

PIRES, Moisés. Pequeno vocabulário Mirandês-Português. Miranda do Douro: Câmara Municipal, 2004.

RESNIK, Gabriela. Los nombreseventivos no deverbales en español. Tesis (Doctorado en Ciencias del Lenguaje). Universitat Pompeu Fabra, Barcelona, 2010.

RIO-TORTO, Graça. Morfologia derivacional. Teoria e aplicação ao português. Porto: Porto Editora, 1998.

RIO-TORTO, Graça et al. Gramática derivacional do português, 2.ª ed. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2016.

VASCONCELOS, José Leite de. Estudos de philologia mirandesa, vol. I. Lisboa: Imprensa Nacional, (1900 [1992]).




DOI: https://doi.org/10.24206/lh.v5i2.26795

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 LaborHistórico

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

LaborHistórico | ISSN 2359-6910

A Revista LaborHistórico da Universidade Federal do Rio de Janeiro está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.