Sufixos -ario, -eria, -eiro: um trio de morfemas revisitados

Leda Bisol, Valéria Neto de Oliveira Monaretto

Resumo


Este estudo tem por foco palavras formadas com os morfemas -ario, -eria, -eiro, apreciando-os sob a perspectiva da relação com o passado com ênfase em suas modalidades no presente. A diacronia é chamada para explicação de certos fatos relacionados com origem e etimologia. A relação de parentesco entre as três formas é vista sob o prisma de um modelo sincrônico. Do trio apresentado redundam dois sufixos, -ario e -eiro; -ario/a com o substituto -eria em certos casos. A derivação, sincrônica por natureza, é um dos focos. Compreende dois níveis, lexical, em que se desenvolvem as modalidades desses sufixos, e o pós lexical, em que revela uma de suas propriedades: entram em dada derivação que abre as portas para o supletivo. A significação detém-se no binômio significado/sentido: o significado pode envolver um paradigma inteiro; o sentido, uma palavra só, fonte de sua proficiência.


Palavras-chave


Fonologia. Sufixo. Morfema. Derivação. Significação.

Texto completo:

PDF

Referências


ALKIRE, Ti; ROSEN, Carol. Romance Language: a historical introduction. Cambridge: University Press, 2010.

BISOL, Leda. O acento e o pé binário. Cadernos de Estudos linguísticos. Campinas, n. 2, p. 69-80, 1992.

BISOL, Leda. Retrospectiva. O ditongo na perspectiva da fonologia atual. DELTA, v. 5, n. 2, p. 185-224, 1989.

BISOL, Leda. Sufixos de dupla face. Revista da ABRALIN, v. 19, n. 1, p. 1-12, 2020.

BOYD-BOWMAN, Peter. From latim to romances in sound charts. Georgetown University, 1980.

CAMARA, Jr. Joaquim Mattoso. Estrutura da Língua Portuguesa, Petrópolis, Editora Vozes, 1970.

CHOMSKY, Noam. Aspects of the Theory of Syntax. Mass.: MIT, Press 1965.

CHOMSKY, Noam; HALLE, Moris. The sound Patern of English. New York: Harper and Row, 1968.

CLEMENTS, George, N. A unified set of features for consonants and vowels. Corner University, 1989.

CLEMENTS, George N.; HUME, Elizabeth. The internal organization of speech sounds. In: GOLDSMITH, J. (org). The handbook of phonological Theory. London: Blackwell, 1995.

CONDÉ, Valeria Gil. Estudo comparativo do sufixo –aría/–ería nas línguas galega e asturiana em contraste com a língua portuguesa. Caligrama: Revista de Estudos Românicos, v. 14, p. 35-50, 2009.

CUNHA, Antônio Geraldo. Vocabulário eletrônico histórico-cronológico do português medieval 1.0. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, CD-ROM, 2003.

HOUAISS, Antônio. Dicionário eletrônico, versão 3.0, São Paulo: Objetiva, CD-ROM, 2009.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa (versão eletrônica 5.0), 3ª. edição, 1ª. impressão da Editora Positivo, revista e atualizada do Aurélio Século XXI, Regis ltda, 2004.

GOLDSMITH, John. Autosegmental Phonology. PHD; MIT Press, 1976.

GONÇALVES, Carlos A., YACOVENGO L. C., COSTA, R. Condições de produtividade e condições de produção: uma análise das formas x-eiro no português do Brasil. ALFA, São Paulo, 1998.

KIPARSKY, Paul. From cyclic phonology to lexical phonology. In: HULST, Harry van der. The structure of phonlogical representation. Dordrecht: Foris, p. 131-176, 1982.

KIPARSKY, Paul. Some consequences of lexical phonology. In: Phonology Yearbook, v. 2, p. 85-138, 1985.

LEE, Seung-Hua. O acento primário no português brasileiro. Revista de Estudos Linguísticos, v. 6, n. 2 p. 5-30. Belo Horizonte,1997.

MAGALHÃES, José. Main Stress and secondary stress in Brazilian and European Portuguese. In: WETZEL, Leo.; MENUZZI, Sergio.; COSTA, João. The Handbook of Portuguese Linguistics. Wiley Blackwell, Oxford, 2016.

MATTOS E SILVA, Rosa Virgínia. O português arcaico: fonologia. São Paulo: Contexto, 2001.

NUNES, Joaquim. Compêndio de Gramática Histórica Portuguesa. 5ª edição, Imprensa Portuguesa, Porto, 1951.

SAID ALI, Manuel. Gramática Secundária e Gramática Histórica da Língua Portuguesa. ed. rev. e atual. Brasília: Universidade de Brasília, 1964.

TEYSSIER, Paul. História da Língua Portuguesa. Tradução de Celso Cunha. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

VIARO, Mário Eduardo. Estudo diacrônico da formação e da mudança semântica dos sufixos -eiro/eira na língua portuguesa. In: MASSINI-CAGLIARI, Gladis. et alii (orgs.) Trilhas de Matoso e outras trilhas, fonologia, morfologia e sintaxe. Cultura Acadêmica, São Paulo. 2007.

VIARO, Mário Eduardo. Sufixos -eiro e ário: história de morfemas divergentes. In: LIMA, Hernades M. C.; MRCELO, M. J.; MICHETTI, G. V. C. (Org.). A Língua Portuguesa no Mundo, I Seminario no mundo de Estudos de Língua Portuguesa. São Paulo, FFLCH VSP, 2000. v. 2, CD-ROM, 2008.

VIARO, Mario Eduardo. A derivação sufixal no português: elementos para uma investigação semântico-histórica. Tese para obtenção do título de Livre-Docente. São Paulo, USP, 2011, 220p.

WETZELS, Leo. Primary word stress. In: Brazilian Portuguse and the weight parameter. Journal of Portuguese Linguistics 5, 6. p. 59-90, 2006.




DOI: https://doi.org/10.24206/lh.v7i2.40645

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Leda Bisol, Valéria Neto de Oliveira Monaretto

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

LaborHistórico | ISSN 2359-6910

A Revista LaborHistórico da Universidade Federal do Rio de Janeiro está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.