Passado e presente da alternância entre a lateral e o tepe no onset complexo no português: considerações sobre representação, mudança linguística e avaliação social

Christina Abreu Gomes

Resumo


Este artigo enfoca a variação entre consoantes líquidas em onset complexo, também denominada rotacismo, comparando resultados obtidos para o Português Brasileiro Contemporâneo falado e em textos do período do Português Antigo. O objetivo é discutir questões relacionadas à representação da variação, à mudança linguística e à avaliação social da variante tepe, com base nos achados de Gomes (1987), rediscutidos à luz dos pressupostos teóricos do Modelo Exemplar (Bybee, 2010; Pierrehumbert, 2016; Cristófaro-Silva; Gomes, 2017, 2020), a fim de estabelecer a organização cognitiva da variação, e uma hipótese sobre a construção do valor social negativo da variante tepe.


Palavras-chave


Rotacismo. Variação. Mudança. Avaliação social. Modelo de Exemplares.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES SANTOS, Carolina do S. Aspectos do Linguajar Rural da Região de Turmalina. Dissertação (Mestrado em Linguística), Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, 1985.

BARRETO, Débora A. dos R. J.; MASSINI-CAGLIARI, Gladis. Rotacismo e Lambdacismo no Português: o processo de padronização ortográfica e as consoantes líquidas. Revista Falante Miúda, v. 5., p. 41-53, 2020.

BUESCU, Maria Leonor C. Duarte Nunes de Leão. Ortografia e origem da língua portuguesa. Lisboa: Imprensa Nacional/Casa da Moeda, 1983.

BYBEE, Joan. Phonology and Language Use. Cambridge: Cambridge University Press, 2001.

BYBEE, Joan. Word frequency and context of use in the lexical diffusion of phonetically conditioned sound change. Language Variation and Change, v. 14, p. 261-290, 2002.

BYBEE, Joan. From usage to grammar: the mind's response to repetition. Language, v. 82, n. 4, p. 711-733, 2006.

BYBEE, Joan. Language, Use and Cognition. Cambridge: Cambridge University Press, 2010.

BYBEE, Joan. Language Change. Cambridge: Cambridge University Press, 2015.

CARVALHO COSTA, Alexandre de. Curiosidades do Falar Popular do Alto Alentejo. Lisboa: Junta Distrital de Portalegre, 1963.

CASASANTO, L. S.What do listeners know about sociolinguistic variation?. Working Papers in Linguistics, University of Pennsylvania, v. 15, p. 40-49, 2010.

CINTRA, Lindley. Estudos de Dialectologia Portuguesa. Lisboa: Sá da Costa, 1983.

CLEMENTS, George N. The role of the sonority cycle in core syllabification. In: KINGSTON, John; BECKMAN, Mary E. (eds.) Papers in Laboratory Phonology I: Between the grammar and the physics of speech. Cambridge: Cambridge University Press, 1990, p. 283-333.

CONNINE, Cynthia. M.; RANBOM, Larissa J.; PATTERSON, David J. Processing variant forms in spoken word recognition: The role of variant frequency. Perception & Psychophysics, v. 70, n. 3, p. 403–411, 2008.

COSTA, Luciane T. Estudo do Rotacismo: variação entre as consoantes líquidas. Dissertação (Mestrado em Teoria e Análise Linguística), Centro de Comunicação e Expressão, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.

COSTA, Luciane T. Análise variacionista do rotacismo. Revista Virtual de Estudos a Linguagem - ReVEL v. 5, n.9, p.1-29, 2007.

COSTA, Luciane T. Abordagem dinâmica do rotacismo. Tese (Programa de pós-graduação em Letras), Instituto de Letras, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2011.

COUTINHO, Ismael de L. Pontos de Gramática Histórica. 7ª. ed. ver., Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1984.

CRISTÓFARO-SILVA, Thaïs; GOMES, Christina A. Teoria de Exemplares. In: HORA, Dermeval; MATZENAUER, Carmen (org.) Fonologia, Fonologias: uma introdução. São Paulo: Contexto, 2017, p. 157-68.

CRISTÓFARO-SILVA, Thaïs; GOMES, Christina A. Fonologia na perspectiva dos Modelos de Exemplares. In: GOMES, C. A. Fonologia na perspectiva dos Modelos de Exemplares: para além da dicotomia nature/nurture na ciência linguística. São Paulo: Contexto, 2020, p. 13-36.

CUNHA, Antônio G. da. Dicionário Etimológico Nova Fronteira da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1982.

DIAS, Ludquellen B. O rotacismo em comunidades rurais afro-brasileiras do estado da Bahia. Dissertação (Mestrado em Língua e Cultura), Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia, 2019.

ESPÍRITO SANTO, Julia M. F. Entre o campo e a cidade: rotacismo em São Miguel Arcanjo. Dissertação (Mestrado em Linguística) Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2019.

FLEGE, James. E.; HILLENBRAND, James M. Differential use of temporal cues to the /s/- /z/ contrast by native and non-native speakers of English. Journal of the Acoustical Society of America, v. 79, n.2, p. 508-17, 1986.

FERREIRA, António F. A acumulação Capitalista em Portugal: das origens da nacionalidade aos inícios do século XIX. Porto: Afrontamento, 1977.

GAYER, Juliana E. L.; DIAS, Ludquellen B. O fenômeno variável do rotacismo: uma análise pela Teoria da Otimalidade. Diadorim, v. 20, n. 2, p. 377-397, 2018.

GOMES, Christina A. Rotacismo em grupo consonantal: uma abordagem sincrônica e diacrônica. Dissertação (Mestrado em Linguística), Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, 1987.

HAY, Jen; Warren, Paul; DRAGER, Katie. Factors influencing speech perception in the context of a merger-in-progress. Journal of Phonetics, v. 34, n. 4, p. 458-84, 2006.

HARRINGTON, Jonathan. An acoustic analysis of ‘happy-tensing’ in the Queen’s Christmas broadcasts. Journal of the International Phonetic Association, v. 34, p. 439-57, 2006.

HOOPER, Joan B. An Introduction to Natural Generative Phonology. New York, Academic Press, 1976.

JOHNSON, Keith Speech perception without speaker normalization: an exemplar model. In: JOHNSON, Keith; MULLENNIX, John W. (orgs.) Talker Variability in Speech Processing. San Diego: Academic Press, 1997, p. 145-166.

LABOV, William. Sociolinguistic Patterns. Philadelphia: University of Pennsylvania Press. [Padrões Sociolinguísticos. Trad.: Marcos BAGNO; Marta SCHERRE e Caroline CARDOSO. São Paulo: Parábola, 2008.]

LABOV, William. Resolving the neogrammarian controversy. Language, v. 57, p. 267–308, 1981.

LABOV, William. Transmission and diffusion. Language, v. 83, p. 344–387, 2007.

LANGACKER, Ronald. Foundation of Cognitive Grammar: Theoretical Prerequisites. Stanford: Stanford University Press, 1987.

LOUDERMILK, Brandon C. Cognitive mechanism in the perception of Sociolinguistic Variation. PhD (Dissertation in Linguistics), University of California, Davis, 2013.

MELO, Marcelo A. S. L. de. Desenvolvendo novos padrões na comunidade de fala: um estudo sobre a fricativa em coda na comunidade de fala do Rio de Janeiro. Dissertação (Mestrado em Linguística). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

MELO, Marcelo A. S. L. de. Direcionalidade da mudança sonora: o papel do item lexical e da avaliação social. Tese (Doutorado em Linguística). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017.

MENÉNDEZ PIDAL, Ramón. Manual de Gramática Histórica Española. 8ª. ed., Madrid: Espasa-Calpe, 1949.

MOLLICA, Maria Cecilia; PAIVA, Maria da Conceição. Restrições estruturais atuando na relação entre [l] > [r] e [r] > 0 em grupos consonantais em português. Boletim da Associação Brasileira de Linguística, v. 11, n. 1, p. 181-189, 1991.

MOLLICA, Maria Cecilia; PAIVA, Maria da Conceição. Da Gênese dos Grupos Consonantais ao Português Contemporâneo. Revista Terceira Margem, v. I, n.1, p. 136-140, 1993.

NUNES DE LEÃO, Duarte. Ortografia e Origem da Língua Portuguesa: Introdução, notas e leitura de Maria Leonor Carvalhão Buescu, Lisboa, Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 1983.

OLIVEIRA, Fernão de. A Gramática da Língua Portuguesa, Lisboa: Imprensa Nacional, 1536/[1975].

OLIVEIRA, Marco Antonio de. Variation and change in Brazilian Portuguese: the case of the liquids. PhD (Dissertation in Linguistics). University of Pennsylvania, Philadelphia, 1983.

OLIVEIRA, Marco Antônio de. The Neogrammarian COntroversy Revisited. International. Journal of the Sociology of Language, v. 89, n.1, p. 93-105, 1991.

OLIVEIRA MARQUES, António H. A Sociedade Medieval Portuguesa: aspectos da vida cotidiana. 4ª ed., Lisboa: Sá da Costa, 1981.

PAIVA, Maria da Conceição; DUARTE, Maria Eugenia L. Mudança linguística em tempo real. Contra Capa/Faperj, 2003.

PIERREHUMBERT, Janet B. Knowledge of Variation, Papers from the Parasession on Variation, 30th meeting of the Chicago Linguistic Society, Chicago Linguistic Society, Chicago, v. 2, p. 232-256, 1994.

PIERREHUMBERT, Janet B. Phonological representation: Beyond abstract versus episodic. Annual Review of Linguistics, v. 2, p. 33-52, 2016.

SARAIVA, Antônio J. A Cultura em Portugal: introdução geral à cultura portuguesa. Livro I, 2ª ed., Lisboa: Bertrand, 1985.

SAID ALI, Manoel. Gramática Histórica da Língua Portuguesa. 3ª ed., São Paulo: Melhoramentos, 1964.

SANKOFF, David. Variable Rules. In: AMMON, Ulrich; DITTMAR, Norbert; MATTHEIER, Klaus J.; TRUDGILL, Peter (eds.) Sociolinguistics / Soziolinguistik: An International Handbook of the Science of Language and Society / Ein Internationales Handbuch zur Wissenschaft von Sprache und Gesellschaft, vol. 2, Berlin: W. de Gruyter, 2002, p. 1150-1161.

SANKOFF, Gillian; BLONDEAU, Henriette. Language Change across the Lifespan: /r/ in Montreal French, Language, v. 83, n. 3, p. 560-588, 2007.

TEYSSIER, Paul. História da Língua Portuguesa. 2ª. ed., Lisboa: Sá da Costa, 1984.

QUANDT, Vivian de O. O comportamento da lateral anterior na fala do Norte-Noroeste Fluminense. Dissertação (Mestrado em Letras Vernáculas)¸ Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004.

SANCIER. Michele L.; FOWLER, Carol A. Gestural drift in a bilingual speaker of Brazilian Portuguese and English. Journal of Phonetics, v. 27, n. 4, p. 421-436, 1997.

SILVA NETO, Serafim. Fontes do Latim Vulgar – O Appendix Probi. 3ª Edição. Rio de Janeiro, Livraria Acadêmica, 1956.

TEM TEM, L. F. Rotacização das líquidas nos grupos consonantais: representação fonológica e variação. Dissertação (Mestrado em Letras Vernáculas), Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

TOMASELLO, Michael. Constructing a Language: A Usage-Based Theory of Language Acquisition. Harvard: Harvard University Press, 2003.

VASCONCELOS, José L. de. Opúsculos, v. II: Dialetologia. Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 1985.

WANG, William. S.-Y. Competing Changes as a Cause of Residue. Language, v. 15, n. 1, p. 9-25, 1969.

WEINREICH, Uriel; LABOV, William; HERZOG, Marvin. Empirical Foundations for Theory of Language Change. In: LEHMANN, Paul; MALKIEL, Yakov. (eds.) Directions for Historical Linguistics. Austin: University of Texas Press, 1968, p. 95-188. [Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança linguística. Trad.: Marcos BAGNO; revisão técnica: Carlos Alberto FARACO. São Paulo: Parábola, 2006].




DOI: https://doi.org/10.24206/lh.v7i2.41221

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Christina Abreu Gomes

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

LaborHistórico | ISSN 2359-6910

A Revista LaborHistórico da Universidade Federal do Rio de Janeiro está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.