Do Período Arcaico à ilustração: compreendendo a escolarização linguística do português à luz de Mattos e Silva

Emília Helena Portella Monteiro de Souza, Álvaro César Pereira de Souza

Resumo


O presente trabalho tem como objetivo focalizar o processo de escolarização linguística do português, em dois momentos históricos: o primeiro, no período arcaico; o segundo, no período colonial, entre o final do século XVIII e início do XIX. É o período da chamada era das luzes, ou ilustração, que em Portugal e suas possessões se consubstancia com as Reformas Pombalinas da Instrução Pública, levadas a termo pelo primeiro-ministro de D. José I, Sebastião José de Carvalho e Mello, o Marquês de Pombal. Nesse percurso, tomam-se como referência as postulações de Rosa Virgínia Mattos e Silva sobre a escolarização e seus efeitos na normatização do português, e também na compreensão da polarização entre normas vernáculas e normas cultas. Para além do aspecto meramente linguístico, buscam-se, nas diferentes sincronias, os contextos sócio-históricos, dados demográficos, que possam evidenciar políticas linguísticas que se fizeram presentes. Além da obra de Mattos e Silva que embasa este trabalho, serviram como fontes a legislação pombalina, especialmente o Alvará Régio de 28 de junho de 1759, que trata da expulsão dos clérigos da Companhia de Jesus, bem como os escritos do professor régio de grego, na Capitania da Bahia, Luís dos Santos Vilhena. Com isso, espera-se trazer subsídios para o entendimento do papel da escolarização, enquanto difusor da escrita e de uma norma, nas diversas sociedades.


Palavras-chave


Escolarização. Língua Portuguesa. Mattos e Silva. Luís dos Santos Vilhena. Bahia.

Texto completo:

PDF

Referências


Almanach para a cidade da Bahia. Anno 1812. Bahia: Typ. de Manoel Antonio da Silva Serva.

ANDRADE, Antonio.A.B. A reforma pombalina dos estudos secundários no Brasil. São Paulo: Saraiva, Ed. da Universidade de São Paulo, 1978.

ANNAES DA BIBLIOTHECA NACIONAL DO RIO DE JANEIRO. Publicado sob a administração do diretor Dr. Manoel Cícero Peregrino da Silva. Volume XXXI. Rio de Janeiro: Officinas Graphicas da Bibliotheca Nacional, 1913.

BOTO, Carlota. Instrução pública e projeto civilizador: o século XVIII como intérprete da ciência, da infância e da escola. São Paulo: Unesp, 2017.

CARVALHO, Laerte Ramos de. As reformas pombalinas da instrução pública. São Paulo: Saraiva, 1978.

MAGALHÃES, Pablo I.; COSTA, Alex A. Los livros escolares impresos en tipografia de Serva (Bahia, 1811-1846): bibliografia e história. Revista Brasileira de História da Educação, v. 19, p. 1- 29, 2019.

MATTOS e SILVA, Rosa Virgínia. Reconfigurações socioculturais e linguísticas no Portugal de quinhentos em comparação com o período arcaico. In: MATTOS e SILVA, Rosa Virgínia; MACHADO FILHO, Américo Venâncio L. (orgs.). O português quinhentista: estudos linguísticos. Salvador: EDUFBA; Feira de Santana: UEFS, 2002. p. 27-41

MATTOS e SILVA, Rosa Virgínia. Ensaios para uma sócio-história do português brasileiro. São Paulo: Parábola, 2004.

MORENO, André Luiz A. Escrita (in)surgente: distribuição social da escrita nos movimentos sediciosos do Brasil de finais do período colonial. Tese. Vol.1 (Doutorado em Língua e Cultura). Instituto de Letras, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2019.

PORTUGAL. Collecção da Legislação Portugueza desde a ultima compilação das Ordenações, redigida pelo Desembargador Antonio Delgado da Silva, Legislação de 1763 a 1774. Lisboa: Na Typografia Maigrense, Anno de 1829.

SILVA, José Carlos de A. As aulas régias na capitania da Bahia (1759-1827): pensamento, vida e trabalho de “Nobres” professores. Tese (Doutorado em Educação), Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, 2006.

SOUSA, Avanete P. A centralidade/capitalidade econômica de Salvador no século XVIII. In: SOUZA, Evergton. S.; MARQUES, Guida S.; SILVA, Hugo R. (org). Salvador da Bahia: retratos de uma cidade atlântica. Salvador, Lisboa: EDUFBA, CHAM, 2016.p. 99-125

TAVARES, Luis Henrique D. História da Bahia. 11 ed. rev. ampl. São Paulo: Ed. UNESP; Salvador: EDUFBA, 2008.

VILHENA, Luís dos Santos. A Bahia no século XVIII. Vol. 1. Salvador: Itapuã, 1969.




DOI: https://doi.org/10.24206/lh.v7iespec.42582

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Emília Helena Portella Monteiro de Souza; Álvaro César Pereira de Souza

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

LaborHistórico | ISSN 2359-6910

A Revista LaborHistórico da Universidade Federal do Rio de Janeiro está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.