A variação teu/seu: um estudo diacrônico e sincrônico

Rachel de Oliveira Pereira

Resumo


O presente trabalho orienta-se para o estudo da forma possessiva teu em oposição à forma seu, através de duas perspectivas: na diacronia e na sincronia. Para a análise diacrônica, observa-se a utilização das estratégias possessivas em cartas pessoais de diferentes famílias datadas de 1870 a 1980. No total foram utilizadas 143 cartas para compor o corpus, no entanto, com o intuito de fazer uma análise mais confiável, tais cartas foram divididas em torno de 10 cartas por década. Na análise sincrônica, observou-se a variação entre as formas possessivas através de esquetes do canal “Porta dos Fundos”. Desta maneira, busca-se descrever a utilização dessas formas, observando seus usos de acordo com a situação comunicativa estabelecida, através dos padrões discutidos pela teoria do Poder e Solidariedade (BROWN; GILMAN, 1960). O estudo também leva em conta os pressupostos teóricos da teoria variacionista quantitativa laboviana (LABOV, 1994), visando identificar os fatores linguísticos e extralinguísticos que determinam o uso dos pronomes possessivos referentes à segunda pessoa do singular. Em síntese, este estudo preliminar aponta que as formas possessivas tendem a acompanhar o comportamento do sujeito na diacronia e que o possessivo seu, aparentemente, possui um comportamento polifuncional. 


Palavras-chave


pronomes possessivos; variação; diacronia; sincronia; teu/seu.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAÇADO, J. O possessivo seu – diferentes tipos de ambigüidade e de posse. Gagroatá, n. 9, p. 193-203, 2000.

BRAVO, Diana. Categorías, tipologías y aplicaciones. Hacia una redefinición de la ‘cortesía comunicativa’. In: _____. (Org.) Estudios de la (des)cortesia en español. Buenos Aires, Dunken, 2005. p. 21-52.

_____.; BRIZ, Antonio. Pragmática sociocultural: estudios sobre el discurso de cortesía en español. Barcelona: Editorial Ariel, 2004.

BROWN, Roger; GILMAN, Albert. The Pronouns of Power and Solidarity. In: SEBEOK, T. A. (Ed.). Style in Language. Massachusetts: Ed. MIT Press, 1960. p. 253-276.

BROWN, P.; LEVINSON, S. Politeness: some universal in language usage. Cambridge: Cambridge University, 1987.

CALVET, L-J. Sociolingüística. Uma introdução crítica. São Paulo: Parábola, 2002.

CUNHA, Celso; CINTRA, Luís F. Lindley. Nova Gramática do Português Contemporâneo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

DUARTE, M. Eugênia L. Do pronome nulo ao pronome pleno: a trajetória do sujeito português do Brasil. In: ROBERTS, I.; KATO, M. (Orgs). Português Brasileiro: uma viagem diacrônica. Campinas: Ed. Da UNICAMP, 1993. p. 107-128.

KATO, M. A complementaridade dos possessivos e das construções genitivas no português coloquial: réplica a Perini. DELTA, v. 1, n. 1-2, p. 107-120, 1985.

LABOV, W. Padrões sociolinguísticos. Trad. Marcos Bagno, Maria Marta Pereira Scherre, Caroline Rodrigues Cardoso. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

LOPES, C. R. S.; CAVALCANTE, Silvia Regina de Oliveira. A cronologia do voceamento no português brasileiro: expansão de você-sujeito e retenção do clítico-te. Revista Lingüistica (Madrid), v. 25, p. 30–65, 2011. Disponível em: http://www.linguisticalfal.org/25_linguistica_030_065.pdf. Acesso em 08 fev. 2014.

MARCOTULIO, L. A preservação das faces e a construção da imagem no discurso político do marquês de Lavradio: as formas de tratamento como estratégias de atenuação da polidez lingüística. Dissertação (Mestrado em Letras Vernáculas). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008.

MAIA, Viviane dos Santos. "Tu vai para onde?... Você vai para onde?": manifestações da segunda pessoa na fala carioca. Dissertação (Mestrado em Letras Vernáculas). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

MENON, O. P. S. Reestruturação do sistema possessivo em português. Anais do VIII Seminário do Centro de Estudos Lingüísticos e Literários do Paraná. Umuarama: UNIPAR/FAFID, p. 334-338, 1995.

_____. Seu/de você: variação e mudança no sistema dos possessivos. In: HORA, D. (Ed.). Diversidade lingüística no Brasil. João Pessoa: Idéia, 1997. p. 79-92.

MOLLICA, M. C.; BRAGA, M. L. Introdução à sociolingüística: o tratamento da variação. São Paulo: 2003.

NEGRÃO, E.; MÜLLER, A. L. As mudanças no sistema pronominal do Português Brasileiro: substituição ou especialização de formas? D.E.L.T.A., v. 12, n. 1, p. 125-152, 1996.

OLIVEIRA, Thiago Laurentino de. Entre o linguístico e o social: complementos dativos de 2ª pessoa em cartas cariocas (1880 – 1980). Dissertação (Mestrado em Letras Vernáculas). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2014.

OLIVEIRA E SILVA, G. M. de. Estudo da regularidade na variação dos possessivos no Português do Rio de Janeiro. Tese (Doutorado em Linguística). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1982.

_____. Variação no sistema possessivo da terceira pessoa. Tempo Brasileiro, n. 78-79, p. 54-72, 1984.

PERINI, Mário A. Gramática do português brasileiro. São Paulo: Parábola, 2010.

_____. O surgimento do sistema possessivo do português coloquial: uma interpretação funcional. DELTA, v. 1, n. 1-2, p. 1-16, 1985.

PAREDES SILVA, V. L. Cartas cariocas: a variação do sujeito na escrita informal. Tese (Doutorado em Linguística). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1988.

PEREIRA, Rachel de Oliveira. O tratamento em cartas amorosas e familiares da Família Penna: um estudo diacrônico. Dissertação (Mestrado em Letras Vernáculas). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

RUMEU, Márcia C. de B. Língua e Sociedade: a história do pronome “Você” no português brasileiro. Rio de Janeiro: Ítaca, 2013.

SCHERRE, Maria Marta Pereira; LUCCA, Nívia Naves Garcia; DIAS, Edilene Patrícia Andrade; MARTINS, Carolina Queiroz; GERMANO, Ferreira. Usos dos pronomes você e tu no português brasileiro. Comunicação apresentada no II SIMELP, Universidade de Évora, 2009.

_____. (Ed.). Padrões sociolingüísticos. 2. ed. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1998.

_____. Estertores da forma seu na língua oral: resultados sociais. In: OLIVEIRA E SILVA, G. M. de.; _____. (Eds.). Padrões sociolingüísticos. 2. ed. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1998. p. 297-307.

SOUZA, Janaina Pedreira Fernandes. Mapeando a entrada do você no quadro pronominal: análise de cartas familiares dos séculos XIX-XX. Dissertação (Mestrado em Letras Vernáculas). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

TARALLO, F. A pesquisa sociolingüística. São Paulo: Ática, 1990.

VARGAS, Amanda de Santana Campos. Estratégias pronominais de indeterminação: um estudo diacrônico. Dissertação (Mestrado em Letras Vernáculas). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

WEINREICH, Uriel; LABOV, William; HERZOG, Marvin. Fundamentos empíricos para uma teoria da mudança linguística. São Paulo: Parábola, 2006 [1968].

VIDAL, M. Introducción a la pragmática. Barcelona: Ariel, 2002.




DOI: https://doi.org/10.24206/lh.v1i1.4787

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 LaborHistórico

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

LaborHistórico | ISSN 2359-6910

A Revista LaborHistórico da Universidade Federal do Rio de Janeiro está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.