Cartas de chamada coletivas: reflexões sobre cultura escrita de imigrantes portugueses no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24206/lh.v9i2.55096

Palavras-chave:

Cartas, Cartas de Chamada, Cultura Escrita, Imigração, Língua Portuguesa.

Resumo

A partir das perspectivas teórico-metodológicas da História Social da Cultura Escrita, este texto visa a analisar e discutir quatorze cartas de chamada, com assinaturas coletivas, escritas por imigrantes portugueses, homens e/ou mulheres, entre 1896 e 1929. Para tanto, pretende-se enfatizar a importância do diálogo entre áreas distintas e complementares das ciências humanas por meio do cruzamento de perspectivas: a mobilização de micro histórias, a Linguística, a História Cultural e a Paleografia, retirando, assim, sujeitos históricos do esquecimento, dando voz a seus escritos e possibilitando, então, outros modos de se compreender a história da penetração da língua portuguesa no Brasil, destacando aspectos que podem revisar ou confirmar questões consolidadas pelas grandes narrativas. Afinal, o que se sabe sobre o Brasil e a escrita de imigrantes nesse período? Como eram essas cartas? Quem as escrevia e por quê? Para quem as escrevia? Quem assinava também escrevia? As respostas a estas questões serão apresentadas e, assim como os caminhos para chegar até elas, discutidas, com o intuito de contribuir para a construção de uma História Social da Cultura Escrita no Brasil através da epistolografia.

Biografia do Autor

Ana Carolina da Silveira Leite, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil

Pesquisadora de Língua e Cultura, com foco em cartas de chamada em contexto de imigração, História Social da Cultura Escrita e Linguística Histórica.

Referências

BAGANHA, Maria Ioannis. Migração transatlântica: uma síntese histórica. Desenvolvimento econômico e mudança social. Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais, 2009.

BARROS, José D’Assunção. A história cultural e a contribuição de Roger Chartier. In: Diálogos. DHI/PPH/UEM, v. 9, n. 1, 2005, p. 125-141.

BASSANEZI, Maria Silvia C. Beozzo. Família e Imigração Internacional no Brasil do Passado. In: Estudos de História. Franca, SP: UNESP, v. 6, n. 2, 1999.

BASSANEZI, Maria Silvia C. Beozzo. Repertório de legislação brasileira e paulista referente à imigração. São Paulo: EDUNESP, 2008.

BURKE, Peter. Abertura: a nova história, seu passado e seu futuro. In: BURKE, Peter. (Org.). A escrita da história: novas perspectivas. 2. ed. São Paulo: EdUNESP, 1993.

CASTILLO GÓMEZ, Antônio. “Como o polvo e o camaleão se transformam”: modelos e práticas epistolares na Espanha moderna. In: BASTOS, Maria Helena Camara; CUNHA, Maria Teresa Santos; MIGNOT, Ana Chrystina Venâncio. (Orgs.). Destinos das letras: história, educação e escrita epistolar. Passo Fundo: UPF, 2002.

CASTILLO GÓMEZ, Antonio. Historia de la cultura escrita: ideas para el debate. Revista brasileira de história da educação, v. 3, 2003, p. 96-124.

CASTILLO GÓMEZ, Antonio; SÁEZ, Carlos. Paleografía versus alfabetización. Reflexiones sobre historia social de la cultura escrita. In: Revista de Historia de la Cultura Escrita. Universidad de Alcalá de Henares, v. 1, 1994, p. 133-168.

CHARTIER, Roger. A História Cultural: entre práticas e representações. Lisboa: DIFEL, 1990.

CHARTIER, Roger. As práticas da escrita. In: ARIÈS, Philippe; CHARTIER, Roger. (Org.). História da vida privada: da Renascença ao século das luzes. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

CHARTIER, Roger (Org.) Práticas de leitura. São Paulo: Estação Liberdade, 1996.

CHAUÍ, Marilena. Cultura e democracia. Fundação Pedro Calmon, 2009.

CORTI, Paola. Storia delle migrazioni internazionali. Roma, Editori Laterza, 2007.

CROCI, Frederico. O chamado das cartas: migrações, cultura e identidade nas cartas de chamada dos italianos no Brasil, Revista Locus, v. 14, 2008, p. 13-39.

CRUZ, Maria Antonieta. Agruras dos emigrantes portugueses no Brasil, Porto, 1987.

DEMARTINI, Zeila de B. F. Imigração e Educação: os portugueses em São Paulo no início do século XX. Cadernos CERU, Série 2, n. 2, Coimbra: 2001.

FAUSTO, Boris. História do Brasil. São Paulo: Edusp, 1996.

FAUSTO, Boris. Fazer a América: a emigração em massa para a América Latina. São Paulo: Edusp, 2000.

FOISIL, Madeleine. A escrita do foro privado. In: ARIÈS, Philippe; CHARTIER, Roger. (Org.). História da vida privada: da renascença ao século das luzes. São Paulo: Companhia das Letras, 2006. p. 331-369.

FREITAS, Sonia Maria. Presença Portuguesa em São Paulo. São Paulo: Imprensa Oficial, 2006.

GALVÃO, Ana Maria. História da cultura escrita: tendências e possibilidades de pesquisa, Cultura escrita e letramento. Belo Horizonte, Minas Gerais: UFMG, 2010.

GOMES, Ângela de Castro. Escrita de si escrita da história. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004. p. 218-248.

HOLLOWAY, Thomas H. Imigrantes para o café: café e sociedade em São Paulo (1886-1934). Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.

HOUAISS, Antônio. O português no Brasil. Rio de Janeiro: UNIBRADE-Centro de Cultura, 1985.

KABATEK, Johannes. Tradições discursivas e mudança linguística. In: LOBO, T. et al. (Orgs.). Para a história do português brasileiro. Salvador: EdUFBA, 2006.

KABATEK, Johannes. Sobre a historicidade dos textos. Linha d’água, n. 17, 2005, p. 159-170.

KREUTZ, Lúcio. A educação de imigrantes no Brasil. In: LOPES, Eliane; FARIA FILHO, Luciano; VEIGA, Cynthia. (Orgs.). 500 anos de educação no Brasil. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

LEITE, Ana Carolina da Silveira. Cartas de mulheres: história social da cultura escrita de e/imigrantes portuguesas no Brasil (1896-1929), As Linhas e as Letras: epistolografia e memória da cultura escrita. CEM, Cultura, Espaço & Memória, FLUP, v. 8, 2018, p. 357-372.

LOBO, Tânia et al. Hisculte: História da cultura escrita ao Brasil: um programa de investigação. Salvador: UFBA, 2012. Disponível em http://www.prohpor.org/wwwprohpororghisculte. Acesso em 20 mar 22.

MATOS, Maria Izilda Santos de e SOUSA, Fernando. Deslocamentos & Histórias: os portugueses. Bauru; Porto: EDUSC; CEPESE, 2008.

MATOS, Maria Izilda Santos de. Escrita e Mobilidades: Possibilidades de Pesquisa e perspectivas didáticas (Portugal e Brasil). In: RODRIGUES, Henrique; PORTUGUÊS, Ernesto (Coord.). Escritas Privadas da Mobilidade e da Guerra. Monção: Câmara Municipal de Monção, 2013a. p. 39-58.

MATOS, Maria Izilda Santos de. Escritos e deslocamentos: cartas, correspondências e mensagens trocadas entre portugueses (São Paulo-Portugal, 1890-1950). In: ARRUDA, José Jobson de Andrade; FERLINI, Vera Lucia Amaral; MATOS, Maria Izilda Santos de; SOUZA, Fernando (Coord.). De colonos a imigrantes: I(E)migração portuguesa para o Brasil. São Paulo: Alameda, 2013b. p. 49-65.

MATOS, Maria Izilda Santos de. Deslocamento e escritos: Cartas e correspondências de imigrantes portugueses (1890-1930). Anais do XXI Encontro Estadual de História –ANPUH-SP - Campinas, setembro, p. 1-10, 2012.

MENDES, José Sacchetta Ramos. Laços de sangue; privilégio e intolerância à imigração portuguesa no Brasil. Porto: CEPESE, 2010.

MIRANDA, Sacuntala de. A emigração portuguesa e o Atlântico 1870-1930. In:. Miriam Halpern Pereira et al. (Coord). Emigração e Imigração nos séculos XIX-XX. Algés: Fragmentos, 1993.

MOURA, Soraya; PAIVA, Odair da Cruz. Hospedaria de Imigrantes de São Paulo. São Paulo: Paz e Terra, 2008.

OLIVEIRA, Carla Mary. Saudades D'Além-Mar: a revista Lusitania e a imigração portuguesa no Rio de Janeiro: UFPB, 2013.

PASCAL, Maria Aparecia Macedo. Portugueses em São Paulo: a face feminina de Imigração. São Paulo: Expressão&Arte Editora, 2005.

PEREIRA, Miriam Halpern. Livre-câmbio e desenvolvimento económico. Portugal na segunda metade do século XIX. Lisboa: Sá da Costa, 1983.

PEREIRA, Miriam Halpern. A Política portuguesa de emigração (1850-1930). Bauru: EDUSC; Portugal: Instituto Camões, 2002.

PETRUCCI, Armando. La ciencia de la escritura: primera lección de paleografía. Buenos Aires: FCE, 2003.

PETRUCCI, Armando. Historia de la escritura e historia de la sociedad (1989). Valencia, Universitat de València: Seminari Internacional d’Estudis sobre la cultura escrita, 1999.

PINA CABRAL, João de. Filhos de Adão, Filhas de Eva. A visão do mundo camponesa no Alto Minho. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1989.

RIBEIRO, Darcy. O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

ROCHA, Ilana Peliciari. Imigração Internacional em São Paulo: retorno e reemigração, 1890-1920. São Paulo: Universidade de São Paulo. Departamento de História. Tese de doutoramento, 2007.

RODRIGUES, Henrique Fernandes. Emigração e Alfabetização: o Alto-Minho e a Miragem do Brasil. Governo Civil de Viana do Castelo, 1995.

RODRIGUES, Henrique Fernandes. Alto-Minho no século XIX, Contextos Migratórios Sócio-Culturais e Familiares. Tomo I, Porto: FLUP, 2003.

ROWLAND, Robert. Brasileiros do Minho: emigração, propriedade e família. In: BETHENCOURT, Francisco; CHAUDHURI, Kirti (Coord.). História da Expansão Portuguesa. v. 4, Lisboa, Círculo de Leitores, , 1997, p. 324-347.

SCOTT, Ana Silvia. Os Portugueses. São Paulo: Contexto, 2010.

SERRÃO, Joaquim Veríssimo. A Historiografia Portuguesa. Doutrina e Crítica, séculos XIIXVI, Lisboa, Editorial Verbo, v. 1, 1972.

SERRÃO, Joel. A emigração portuguesa. Lisboa: Livros Horizonte, 1977.

SIGNORINI, Inês (Org.). Investigando a relação oral/escrito e as teorias do letramento. Campinas: Mercado de Letras, 2001.

SILVA, Brasilina Pereira da. Cartas de Chamada: a dimensão familiar da emigração Sernancelhe no início do século XX. Porto: CEPESE, 2014.

SILVA, Maria Beatriz Nizza da. Documentos para a História da Imigração Portuguesa no Brasil, 1850-1938. Rio de Janeiro: Federação das Associações Portuguesas e Luso-Brasileiras, 1992.

TESAURO, Emanuele. Arte de Cartas Missivas, o método general para reducir al papel quantas matérias pide el político comercio. Valência: Jaime de Bordazar, 1696.

TRINDADE, Maria Beatriz Rocha. Sociologia das Imigrações. Lisboa: Universidade Aberta, 2000.

TRUZZI, Oswaldo; MATOS, Maria Izilda Santos de. Saudades: sensibilidades no epistolário de e/imigrantes portugueses (Portugal-Brasil 1890-1930), Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 35, n. 70, p. 257-277, 2015. Disponível em http://dx.doi.org/10.1590/1806-93472015v35n70011. Acesso em 20 mar 2022.

VENÂNCIO, R. P. Presença portuguesa: de colonizadores a imigrantes. In: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Brasil: 500 anos de povoamento. Rio de Janeiro, 2000.

VIÑAO FRAGO, Antonio. Por una historia de la cultura escrita: observaciones y reflexiones, SIGNO. In: Revista de Historia de la Cultura Escrita, Universidad de Alcalá de Henares, n. 3, p. 1996. Disponível em https://ebuah.uah.es/xmlui/bitstream/handle/10017/7493/historia_vinao_SIGNO_1996. pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em 20 mar. 2022.

Fontes Citadas

CARTAS de chamada – Acervo digital do Museu da Imigração (MI) do Estado de São Paulo. Caixa s.n. Cód. S3S – Arquivo Público do Estado de São Paulo. Disponível em: http://www.inci.org.br/acervodigital/cartas.php. Acesso em: 20 mar 2022.

DADOS do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em https://brasil500anos.ibge.gov.br/ Acesso em 05 de jun 2022.

Downloads

Publicado

2023-12-29

Edição

Seção

Artigo - Dossiê "Diálogos entre a sócio-história do português e a história social da cultura escrita"