DOR E MORTE NA ANTIGUIDADE CLÁSSICA: FERRAMENTAS DE ACESSO AO HADES SEGUNDO HERÓDOTO E AO REINO CELESTE SEGUNDO CIPRIANO DE CARTAGO

Autores

  • Ana Teresa Marques Gonçalves

DOI:

https://doi.org/10.26770/phoinix.v29.n1a5

Palavras-chave:

retórica, cristianismo, paganismo, cultura, ética.

Resumo

Acreditamos que os autores cristãos se apropriaram de diversas ferramentas retóricas, advindas do arcabouço oral e literário dos pagãos, para construir suas narrativas, com o intuito de converter o maior número possível de pessoas à prática do Cristianismo. A prática proselitista permitia que os convertidos aos princípios cristãos defendessem o uso de algumas ferramentas comuns para o morto ter acesso ao Reino Celeste. Eram os atos praticados em vida que permitiriam o acesso ao mundo dos mortos, por um caminho ou por outro. O que diferenciava o julgamento da possibilidade de acesso era o ideário ético que balizava a conduta dos gentios e dos cristianizados. Neste artigo, observamos como Heródoto, em as Histórias, vinculou a morte ao julgamento de uma vida feliz, enquanto o Bispo cartaginês martirizado, Cipriano, em suas obras, percebeu a dor como um caminho possível para a chegada ao Reino Celeste.

Métricas

Carregando Métricas ...

Downloads

Publicado

2023-05-17

Como Citar

GONÇALVES, Ana Teresa Marques. DOR E MORTE NA ANTIGUIDADE CLÁSSICA: FERRAMENTAS DE ACESSO AO HADES SEGUNDO HERÓDOTO E AO REINO CELESTE SEGUNDO CIPRIANO DE CARTAGO. PHOÎNIX, [S. l.], v. 29, n. 1, p. 79–95, 2023. DOI: 10.26770/phoinix.v29.n1a5. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/phoinix/article/view/58795. Acesso em: 24 jun. 2024.