COMPORTAMENTO SOCIAL EM RATOS RECUPERADOS APÓS DESNUTRIÇÃO PROTEICA: ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE MACHOS E FÊMEAS

lLuis Felipe Sillo, Rodrigo Dias, Joyce Ricci Pires, Gabriela Maia Altafim, Adriana Pertille, Carlos Alberto da Silva

Resumo


A maturação do sistema nervoso central depende, entre outros fatores, da ingestão adequada de nutrientes. Períodos de desnutrição podem afetar seu desenvolvimento, comprometendo a capacidade cognitiva. O objetivo do trabalho foi avaliar o comportamento social de ratos e ratas Wistar alimentados com dieta hipoproteica e posteriormente recuperados com dieta normoproteica. Foram utilizados ratos Wistar (machos e fêmeas) divididos em dois grupos: Controle (C), alimentado com dieta normoproteica (AIN 14% de proteína)
durante 12 semanas e Recuperado (R), desnutrido com dieta hipoproteica
(AIN 6% de proteína) por 6 semanas e posteriormente alimentado
com dieta normoproteica da 7ª a 12ª semanas. A massa corporal foi verificada semanalmente e após o período experimental os animais foram submetidos aos testes de labirinto em cruz elevado e reconhecimento social. Foram avaliados os parâmetros sensoriais utilizados pelos ratos no reconhecimento de seus pares no lócus de convívio. Utilizou-se o paradigma intruso-residente na análise, sendo
observado que a dieta hipoproteica comprometeu o ganho de massa corporal em machos e fêmeas, como também foi verificado redução na capacidade de reconhecer seus pares, após exposição consecutiva de curta duração, e ainda, houve uma intensa manifestação de agressividade nos machos do grupo recuperado, fato que não foi observado pelas fêmeas indicando que a intensidade de comprometimento no sistema nervoso central, gerado pela desnutrição pode ter relação com o dimorfismo sexual.


Palavras-chave


Neurologia

Texto completo:

PDF PDF


DOI: https://doi.org/10.46979/rbn.v54i2.19110

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.