CONCEITOS, NORMAS E NÚMEROS: UMA INTRODUÇÃO À EDUCAÇÃO ESCOLAR QUILOMBOLA

José Maurício Andion Arruti

Resumo


Este texto tem por objetivo introduzir o leitor na temática da “educação  quilombola” por meio da apresentação dos seus conceitos básicos, das políticas públicas  a eles relacionadas e, finalmente, dos números oficiais relativos à alfabetização da  população quilombola e às escolas situadas em territórios quilombolas. No trato dos  números, estabelecemos uma primeira comparação com as categorias de “educação  escolar indígena” e de “escolas rurais”. Trata-se de uma aproximação do tema por meio da definição dos seus contornos mais largos,  indo do conceitual ao quantitativo, passando pelo normativo.

Palavras-chave


educação quilombola, educação do campo, políticas públicas, demografia

Texto completo:

PDF

Referências


ARROYO, Miguel Gonzalez; CALDART, Roseli Salete; MOLINA, Mônica Castagna(org.). 2008. Por Uma Educação Do Campo. 3. ed. Petrópolis, RJ: Vozes.

ARRUTI, José Maurício. 2008. “Quilombos”. In: Raça: PerspectivasAntropológicas. [org. Osmundo Pinho]. ABA / Ed. Unicamp / EDUFBA. Acessado em 30/10/2014: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/8749/1/_RAC%CC%A7A_2ed_RI.pdf_.pdf

ARRUTI, José Maurício. 2009. “Políticas Públicas para quilombos: Terra, Saúde e Educação” In: Marilene de Paula e Rosana Heringer. (Org.). Caminhos Convergentes - Estado e Sociedade na Superação das desigualdades Raciais no Brasil, Rio de Janeiro: Fundação HenrichBoll, ActionAid, v. 1, p. 75-110. Acessado em 30/10/2014: http://br.boell.org/sites/default/files/caminhos_convergentes.pdf

CARNEIRO, Édson. 1988 [1958]. O quilombo dos Palmares. Rio de Janeiro: Companhia Nacional (Brasiliana, 302).

CCN / SMDDH, 1998. Projeto vida de negro: 10 de luta pela regularização e titulação das terras de preto do Maranhão.: São Luís.

FRASER, Nancy. 1997. Justice interruptus. Critical reflections on the “postsocialist” condition. Nova York e Londres: Routledge.

GOMES, F. S. .Histórias de Quilombolas. Mocambos e Comunidades de Senzalas no Rio de Janeiro -- séc. XIX -- Edição Revista e Ampliada. São Paulo: Companhia das Letras, 2006b.

GUIMARÃES, Antonio Sérgio Alfredo. 2002. Classes, Raças e Democracia. São Paulo, FUSP/ Editora 34.

HASEMBALG, Carlos. 1992. “Discurso sobre a raça: pequena crônica de 1988”. EmHasembbalg, C. e Silva, Nelson do V. Relações raciais no Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: Rio Fundo ed./ IUPERJ.

MOURA, Clóvis. 1972. Rebeliões da senzala: quilombos, insurreições, guerrilhas. São Paulo: Conquista.

NASCIMENTO, Abdias. 1980. O Quilombismo. Petrópolis: Vozes, 281p.

REIS, João José e Gomes, Flávio (orgs). 1996. Liberdade por um fio: história dos quilombos no Brasil. São Paulo: Cia das Letras, 509p.

SILVEIRA, Oliveira 1997. “Como surgiu o 20 de Novembro?”. EmThoth, n.3.

SOARES, Carlos Eugênio Líbano. 1998. Zungu: rumor de muitas vozes. 1. ed. Rio de Janeiro: Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro, 130 p.




DOI: https://doi.org/10.20500/rce.v12i23.3454

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Revista Contemporânea de Educação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

         


RCE, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. ISSN 1809-5747

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.