Análise do desempenho ocupacional de pacientes com síndorme do túnel do carpo/Analysis of Occupational Performance of Patients with Carpal Tunnel Syndrome

Julliana de Cássia Barros Fonseca, Izabelle Mendes da Silva Frazão, Maitê Martins Pimenta, Zarah Rocha Paixão de Almeida, Rogéria Pimentel de Araújo Monteiro

Resumo


Introdução: A Síndrome do Túnel do Carpo (STC) é definida como uma neuropatia periférica, causada pela compressão do nervo mediano por uma redução do espaço no túnel do carpo, caracterizada por um conjunto de sintomas que incluem dormência, formigamento, queimação e dor contínua nos dedos e tais manifestações podem desencadear dificuldades na execução de ações que fazem parte das atividades cotidianas. Objetivo: Analisar o desempenho ocupacional de indivíduos com STC. Materiais e Métodos: Trata-se de uma pesquisa quantitativa, quase experimental, de cunho transversal, que teve como participantes indivíduos diagnosticados com STC, atendidos pelo setor de Traumatologia e Ortopedia de um hospital privado. Foram realizadas entrevistas com perguntas voltadas às mudanças no desempenho ocupacional dos mesmos, após o diagnóstico da patologia. Resultados/Discussão: Os participantes, em sua maioria eram do sexo feminino, e realizavam esforços repetitivos, o que contribuiu para o desenvolvimento da patologia. Os indivíduos referiram dificuldades em realizar atividades do cotidiano, as quais estão inseridas as três categorias do desempenho ocupacional: áreas de desempenho, componentes de desempenho e contextos de desempenho. Conclusões: Este estudo possibilitou a compreensão sobre a neuropatia em questão e instigou a realização de novas pesquisas acerca do comprometimento no desempenho ocupacional dos indivíduos. A partir disto, ressalta-se a importância da participação efetiva dos Terapeutas Ocupacionais em eventos científicos e a relevância da apresentação e publicação de estudos não só em eventos da Terapia Ocupacional.

 

Abstract

Introduction: The Carpal Tunnel Syndrome (CTS) is defined as peripheral neuropathy, caused by compression of the median nerve by a reduction of the carpal tunnel space. This pathology is characterized for a group of symptoms that usually include numbness, prickle or a feeling of “pinching”, burning and continuous pain in the fingers, that such manifesting can triggered difficulty in performing actions that are part of daily activities, can it is considered that CTS may lead to a failure to integrate the three elements of occupational performance. Objective: To analyze the occupational performance of individuals with CST. Materials and Methods: This is a quantitative, quasi-experimental, cross-sectional research that had as participants individuals diagnosed with CTS, attended by the Traumatology and Orthopedic Sector of a private hospital. Interviews were conducted with questions about the changes in their occupational performance after diagnosis of the pathology. Results/Discussion: The participants, mostly female, performed repetitive efforts, which contributed to the development of the pathology. Individuals reported difficulties in carrying out daily activities, which include the three categories of occupational performance: areas of performance, performance components and performance contexts. Conclusions: This study made possible the understanding about the neuropathy in question and instigated the realization of new research about the compromise in the occupational performance of the individuals. From this, it is emphasized the importance of the effective participation of Occupational Therapists in scientific events and the relevance of the presentation and publication of studies not only in Occupational Therapy events. 

Keywords: Carpal Tunnel Syndrome; Occupational Performance; Occupational Therapy.


Palavras-chave


Síndrome do Túnel do Carpo; Desempenho Ocupacional; Terapia Ocupacional.

Texto completo:

PDF

Referências


Pires Neto PJ; Pires RES; Rezende FM; Andrade Filho JS.Anatomia patológica da sinóvia de pacientes submetidos à liberação do túnel do carpo. Acta Ortop Bras. 2010; 18(4):200-3.

Karolczak APB; Vaz MA; Freitas CR; Merlo ARC.Síndrome do Túnel do Carpo. Rev. Bras. Fisioter. Vol. 9, No. 2 (2005), 117-122.

Silva GAA; Oliveira PAC; Júnior EAS.Síndrome do Túnel do Carpo: Definição, Diagnóstico, Tratamento e Prevenção -- Revisão de Literatura. Revista CPAQV -- Centro de Pesquisas Avançadas em Qualidade de Vida | Vol.6 | Nº. 2 | Ano 2014 | p. 2.

Kouyoumdjian JA. Síndrome do Túnel do Carpo. Arq Neuropsiquiatr 1999;57(2-A):202-207.

Karsch MC; Nickerson, E. Lesões nas mãos e nos membros superiores. In: Pedretti LW, Early MB. Terapia Ocupacional -- Capacidades Práticas para as Disfunções Físicas. 5 ed. São Paulo: Ed Roca; 2005. P. 875.

Severo A; Ayzemberg H; Pitagóras T; Nicolodi D; Mentz L; Lech O.Síndrome do Túnel: análise de 146 casos operados pela miniincisão. RevBrasOrtop- Vol.36, Nº 9-Setembro 2001, 330-335.

Soares GR; Meija DPM. Atuação da Fisioterapia na Síndrome do Túnel do Carpo decorrente de LER e DOR em Cabelereiras. 2014.

AOTA. Estrutura da Prática da Terapia Ocupacional: Domínio e Processo -- 3ª Edição. Rev Ter Ocup Univ São Paulo. 2015; 26 (ed. esp.): 1-49.

Pedretti LW; EarlyMB. Desempenho Ocupacional e Modelos de Prática para Disfunção Física. In: Terapia Ocupacional -- Capacidades Práticas para as Disfunções Físicas. 5 ed. São Paulo: Ed Roca; 2005. P. 3-13.

AMBANS. Síndrome do túnel do carpo -- tratamento, 2011.Disponível em:. Acesso em: 19 nov. 2017.

Souza NSS; Santana VS; Oliveira PRA; Branco, AB.Doenças do trabalho e benefícios previdenciários relacionados à saúde. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 42, n. 4, pp.630-38, 2008.

IBGE (BR). Principais destaques da evolução do mercado de trabalho nas regiões metropolitanas abrangidas pela pesquisa. Brasília: IBGE; 2012.Disponível em: . Acesso em: 19 nov.2017.

Otino RH; Pinho IA; Tibiriçá R; Silva AP.Síndrome do Túnel do Carpo -- Exame Clínicos X Exames Complementares. Rev.Unilins (2012) -- n°1.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Políticas de Saúde. Diagnóstico, Tratamento, Reabilitação, Prevenção e Fisiopatologia das LER/DORT. Brasília: Ministério da Saúde; 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional - REVISBRATO



Indexado em:

      

       

    Resultado de imagem para REDIB