A formação graduada de terapeutas ocupacionais para o campo da educação em Belém(PA)/Undergraduation of occupational therapists to educational services in Belém (PA)

Débora Ribeiro da Silva Campos Folha, Ewerlin Bruna Neves Gomes Tavares, Maely Sacramento de Souto

Resumo


Introdução: A formação graduada em Terapia Ocupacional, ao longo dos anos, tem se deparado com a necessidade de capacitar os profissionais para atuarem na multiplicidade que envolve os campos da saúde, social, da cultura e da educação. Objetivo: Este estudo objetivou identificar e analisar como vem ocorrendo a formação do terapeuta ocupacional para o campo da educação nas IES públicas de Belém (PA). Metodologia: Pesquisa qualitativa, descritiva e exploratória, da qual participaram 12 concluintes dos cursos de Terapia Ocupacional das duas IES públicas que ofertam o Curso na cidade de Belém (PA). Foram utilizadas entrevistas e grupos focais para a coleta dos dados, que passaram por análise temática. Resultados: Os resultados apontaram para a necessidade de promover o contato, na formação graduada, com conteúdos e práticas que capacitem os terapeutas ocupacionais em formação para a compreensão do campo educacional, visto que os participantes do estudo, predominantemente, tiveram contato com o campo educacional em atividades extracurriculares, quando tiveram. Conclusões: Cabe estimular os Cursos de Terapia Ocupacional de Belém a inserir conteúdos e práticas voltadas ao campo em seus currículos prescritos e vividos. Do mesmo modo, sugere-se a atualização das Diretrizes Curriculares Nacionais de Terapia Ocupacional, com a inclusão de competências que remetam à interface Terapia Ocupacional e Educação.

Palavras-chave: Terapia Ocupacional. Educação. Formação Profissional. Graduação.

Abstract

Introduction: The initial training in Occupational Therapy, over the years, has been faced with the need to train professionals to act in the multiplicity that involves the fields of health, social, culture and education. Objective: This study aimed to identify and analyze how the occupational therapist training for the field of education has been taking place in public HEIs in Belém (PA). Methodology: Qualitative, descriptive and exploratory research, which was attended by 12 graduates of the Occupational Therapy courses of the two public HEIs offering the Course in the city of Belém (PA). Interviews and focus groups were used to collect the data, which underwent a thematic analysis. Results: The results pointed to the need to promote contact, in graduate education, with contents and practices that enable occupational therapists in training to understand the educational field, since the study participants, predominantly, had contact with the educational field in activities extracurricular, when they had. Conclusions: It is appropriate to encourage the Occupational Therapy Courses in Belém to insert contents and practices aimed at the field in their prescribed and lived curricula. Likewise, it is suggested to update the National Curriculum Guidelines for Occupational Therapy, with the inclusion of skills that refer to the Occupational Therapy and Education interface.

Keywords: Occupational Therapy. Education. Professional qualification. Undergraduation.

Resumen

Introducción: La capacitación inicial en Terapia Ocupacional, a lo largo de los años, ha enfrentado la necesidad de capacitar a profesionales para trabajar en la multiplicidad que involucra los campos de la salud, social, cultural y educativo. Objetivo: Este estudio tuvo como objetivo identificar y analizar cómo se ha llevado a cabo la capacitación de terapeutas ocupacionales para el campo de la educación en las IES públicas de Belém (PA). Metodología: Investigación cualitativa, descriptiva y exploratoria, en la que participaron 12 graduados de los cursos de Terapia Ocupacional de las dos IES públicas que ofrecen el curso en la ciudad de Belém (PA). Se utilizaron entrevistas y grupos focales para recopilar los datos, que se sometieron a análisis temáticos. Resultados: Los resultados señalaron la necesidad de promover el contacto, en la educación de posgrado, con contenidos y prácticas que permitan a los terapeutas ocupacionales en capacitación comprender el campo educativo, ya que los participantes del estudio, predominantemente, tuvieron contacto con el campo educativo en las actividades. extracurricular, cuando tenían. Conclusiones: es necesario alentar a los cursos de Terapia Ocupacional en Belém a insertar contenidos y prácticas dirigidas al campo en sus planes de estudio prescritos y vividos. Asimismo, se sugiere actualizar las Pautas Curriculares Nacionales para la Terapia Ocupacional, con la inclusión de habilidades que se refieran a la interfaz de Terapia Ocupacional y Educación.

Palabras clave: Terapia ocupacional. Educación. Formación profesional. Graduado universitario.


Palavras-chave


Terapia Ocupacional. Educação. Formação Profissional. Graduação.

Texto completo:

PDF PDF

Referências


Jurdi APS; Brunello MIB; Honda M. Terapia ocupacional e propostas de intervenção na rede pública de ensino. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo. São Paulo. 2004; 15(1):26-32.

Baleotti L; Zafani M; Faria M; Magalhães L. Percepção de professores sobre a avaliação de habilidades motoras e de processo - versão escolar aplicada aos alunos com deficiência física. Revista

de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo. São Paulo. 2011; 22(1):1-9.

https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v22i1p1-9

Campos, LCB; Della Barba PCS; Martinez CMS. A formação do Terapeuta Ocupacional com ênfase na atenção básica em saúde: o ponto de vista de docentes. Revista de Terapia Ocupacional da

Universidade de São Paulo, São Paulo. 2013; 24(1):9-17. https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v24i1p9-17

Lopes RE; Silva CR. O campo da educação e demandas para a terapia ocupacional no Brasil. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo. São Paulo. 2007; 18(3):158-164.

Gil AC. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6ed. São Paulo: Atlas, 2008.

Gondim SMG. Grupos focais como técnica de investigação qualitativa: desafios metodológicos. Paidéia: Cadernos de Psicologia e Educação. Ribeirão Preto. 2003;12(24): 149-161.

Sá-Silva JR; Almeida CD; Guindani JF. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais. Rio Grande. 2009;1(1):1-15.

Brasil. Conselho Nacional de Educação (CNE). Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES 6,de 19 de fevereiro de 2002. Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Terapia Ocupacional. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES062002.pdf >. Acesso

em: 06 de junho de 2016.

Oliver FC; Pimentel A; Uchôa-Figueiredo LR; Nicolau SM. Formação do terapeuta ocupacional para o trabalho na Atenção Primária à Saúde (APS): contribuições para o debate. Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar. São Carlos. 2012;20(3):327-40. http://dx.doi.org/10.4322/cto.2012.033

Oliveira ZMF. Currículo: um instrumento educacional, social e cultural. Revista Diálogo Educacional. Curitiba. 2008;8(24):535-548.

Drummond AF; Rodrigues AMVN. Os desafios da implantação de uma proposta de flexibilização curricular nos cursos de terapia ocupacional. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São

Paulo. São Paulo. 2004;15(3):106-111.

Maciel RF. O pensamento de Paulo Freire na trajetória da educação popular. Educação em Perspectiva. Viçosa. 2011;2(2):326-344.

Larrieta CB. Ámbito escolar. In: López BP; Ortega MCC; Moldes IV. Terapia Ocupacional em la infancia. Teoría e e práctica. Buenos Aires: Médica Panamericana, 2008. p. 291-302.

Trevisan JG.; Della Barba PCS. Reflexões acerca da atuação do terapeuta ocupacional no processo de inclusão escolar de crianças com necessidades educacionais especiais. Cadernos de Terapia

Ocupacional da UFSCar. São Carlos. 2012; 20(1):89-94.

Sant’anna MMM. Formação continuada em serviço para professores da Educação Infantil sobre o brincar. 2016. 166 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual Paulista, Marília; 2016.

Rocha EF. A Terapia Ocupacional e as ações na educação: aprofundando interfaces. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo. São Paulo. 2007;18(3):112-127.

Calheiros DDS; Lourenço GF; Cruz DM. Diversidade e movimento: diálogos possíveis e necessários. Curitiba, PR. Editora CRV, 2016.

Folha DRSC; Monteiro GS. Terapia ocupacional na atenção primária à saúde do escolar visando a inclusão escolar de crianças com dificuldades de aprendizagem. Rev. Interinst. Bras. Ter. Ocup. Rio de Janeiro. 2017;1(2):202-220. Disponível em:

https://revistas.ufrj.br/index.php/ribto/article/view/5311 > acesso em: dia 27 de maio de 2017.

AOTA (Associação Americana de Terapia Ocupacional). Estrutura da prática da Terapia Ocupacional: domínio & processo. 3ª Edição. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São

Paulo. São Paulo. 2015;26(edição especial):1-49.

Nascimento CBF. Prática acadêmica aplicada em uma escola inclusiva: ensaio da inserção da terapia ocupacional no sistema educacional. In: ANAIS DO X CONGRESSO NORTE E NORDESTE DE

TERAPIA OCUPACIONAL, BELÉM-PA, Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar. São Carlos. 2014;(Suplemento Especial 2).

Universidade do Estado do Pará (UEPA). Resolução nº 3023/16 – CONSUN, de 14 de setembro de 2016. Conselho Universitário. 2016.

Silva SA; Flores, O. Ligas Acadêmicas no Processo de Formação dos Estudantes. Revista Brasileira de Educação Médica. Rio de Janeiro. 2015;39(3):410-425.

Peres CM; Andrade AS; Garcia SB. Atividades Extracurriculares: Multiplicidade e diferenciação necessárias ao currículo. Revista Brasileira de Educação Médica. Rio de Janeiro. 2007;31(3):203-211.

Emmel MLG. et al. Cadernos de terapia ocupacional da UFSCar: apontamentos acerca de seus vinte anos de publicação. Cadernos de Terapia Ocupacional da UFSCar. São Carlos. 2010; 18(3): 295-305.

Acesso em:

http://www.cadernosdeterapiaocupacional.ufscar.br/index.php/cadernos/article/view/384/298 >.

Acesso em: 26 de maio de 2017.

Lima JM; Silva DJ; Raboni PCA. Pesquisa em Educação Escolar: percursos e perspectivas. São Paulo: Editora Cultura Acadêmica, 2010.

Brandão CR. O que é educação. Coleção Primeiros Passos, 28ª edição. São Paulo: Brasiliense, 1993.

Brasil. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - Lei nº 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm >. Acesso em 19 de junho de 2017.

Brasil. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília:

Secretaria de Educação Especial. Ministério da Educação e Cultura, 2008. Disponível em: . Acesso em: 26 de maio de 2017.

Freire P. Educação e Mudança. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2003.

Constantinidis TC; Cunha AAC. A formação em terapia: entre o real e o ideal. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo. São Paulo. 2013;24(2):149-154.




DOI: https://doi.org/10.47222/2526-3544.rbto35392

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Interinstitucional Brasileira de Terapia Ocupacional - REVISBRATO



Indexado em:

   

           

   Resultado de imagem para REDIB