O desenvolvimento silábico do português por crianças gêmeas: o sistema fonológico como um sistema complexo

Maria de Fátima de Almeida Baia, Vanessa Cordeiro de Souza Mattos, Jéssica Caroline Sousa Aguiar

Resumo


Neste estudo, investigamos o desenvolvimento da estrutura silábica de duas crianças gêmeas dizigóticas na idade de 1 a 2 anos de idade. Após análise dos dados, notamos variabilidade entre as produções silábicas das duas crianças. Todavia, como a nossa análise mostra, as diferenças encontradas no percurso de desenvolvimento silábico foram aparentes. Dessa maneira, ao contrário da literatura sobre desenvolvimento fonológico de gêmeos (DODD e McEVOY, 1994; MAGFORD-BEVAN, 2000; SMITH, 2011) nossos resultados não sustentam a afirmação de que a fala de gêmeos apresentaria “atraso fonológico”. De acordo com a perspectiva da Complexidade, interpretamos a variabilidade encontrada nos dados das duas crianças como esperada e característica do desenvolvimento linguístico, o que tem sido reportado por estudos de desenvolvimento de gêmeos (CHAN; LOWIE; De BOT, 2014) e não-gêmeos (SZREDER, 2012; BAIA, 2013).

 

---

DOI: http://dx.doi.org/10.31513/linguistica.2018.v14n3a21415


Palavras-chave


Sistemas Adaptativos Complexos; gêmeos; desenvolvimento silábico.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



A Revista Linguítica 

é membro das seguintes associações:

Abec CrossRef

 

e está indexada nas seguintes bases de dados/catálogos/diretórios: