Mudança sintática e sufixos latinos

Miriam Lemle

Resumo


O objetivo deste estudo é ver em que medida o parentesco etimológico tem correspondência com semelhança gramatical. São analisadas palavras derivadas diacronicamente a partir das raízes latinas VEN e VERT. O modelo teórico adotado é o da Morfologia Distribuída, do qual é feita a descrição e dadas as principais justificativas. Os resultados mostram que no decurso entre latim e português ocorreram refatiamentos das peças vocabulares, o que resultou em cisão de raízes. A mudança na segmentação das peças geralmente é acompanhada de mudança semântica. Também se encontram casos em que a sintaxe dos dois estágios difere, porém a semântica da palavra no estágio contemporâneo replica a do estágio ancestral, fazendo isso via leitura na Enciclopédia. Estes resultados condizem com as expectativas da teoria.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.31513/linguistica.2005.v1n1a4367

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



A Revista Linguítica 

é membro das seguintes associações:

Abec CrossRef

 

e está indexada nas seguintes bases de dados/catálogos/diretórios: