O pretérito perfeito composto e sua interpretação

Alessandro Boechat de Medeiros

Resumo


O principal objetivo deste artigo é entender porque o pretérito perfeito composto do português do Brasil toma somente a interpretação habitual quando aplicado a predicados que denotam eventualidades dinâmicas. Depois de discutir as virtudes e limitações de duas importantes análises, proponho uma terceira, baseada no sistema tríplice de intervalos de tempo proposto por Klein (KLEIN, 1992). A abordagem concebida no artigo fornece, creio, uma resposta melhor para a questão.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



A Revista Linguítica 

é membro das seguintes associações:

Abec CrossRef

 

e está indexada nas seguintes bases de dados/catálogos/diretórios: