v. 10, n. 19 (2016)

Pré-Socráticos

Primeiramente, prestamos uma homenagem ao Professor Marcelo Pimenta Marques, que nos deixou tão precocemente neste ano de 2016. Marcelo foi um dos responsáveis pelo fortalecimento da área de Filosofia Antiga no país. Pensador de primeiríssima linha, um exemplo de pesquisador e de pessoa, foi extremamente generoso com todos que passaram por seu caminho. Fica um vazio intelectual com a perda dele mas também uma grande saudade pela pessoa especial que era e uma vontade de seguir seu exemplo não só na academia como na vida. A ele então, dedicamos esta edição da Revista Anais de Filosofia Clássica, que tem como tema os filósofos pré-socráticos, tema com o qual Marcelo iniciou suas pesquisas através de seu trabalho sobre Parmênides.

O presente número reúne alguns dos textos apresentados no I Simpósio de Filosofia Antiga da UFRRJ: Os Pré-Socráticos, ocorrido no dia 25 de novembro de 2015, na própria UFRRJ. O evento foi uma iniciativa do PPGFIL/UFRRJ e teve a promoção do Laboratório OUSIA de Estudos em Filosofia Clássica da UFRJ e do Zétesis, grupo de Pesquisa em Filosofia Antiga e Tradição da UFRRJ.

Além dos textos apresentados no evento, esta edição conta também com a participação de pesquisadores que atenderam à chamada para escrever sobre os pré-socráticos. Assim, Francisco de Moraes (UFRRJ) escreveu sobre o horizonte trágico do pensamento de Heráclito; Cristiane Azevedo (UFRRJ), sobre o pensamento e as sensações em Parmênides e em Empédocles; Carolina Torres (CEFET/RJ), sobre os limites do conhecimento humano em Xenófanes; Luís Felipe Bellintani Ribeiro (UFF) traz o conceito de trágico para o âmbito da sofística analisando o Elogio de Helena, de Górgias, para relacioná-lo com a trágica Helena de Eurípides e Gustavo Gomes (UFMG) faz uma revisão da importância e dos desdobramentos da crítica de Harold Cherniss a Aristóteles como historiador da filosofia antiga.

Temos ainda o prazer e a honra de contar com a contribuição do professor Nestor-Luis Cordero que nos contempla com uma reflexão a respeito de uma nova organização dos fragmentos que nos sobraram do poema de Parmênides a partir da crítica da organização atual, herdada primeiramente, segundo Cordero, de Aristóteles.

Este número traz também a primeira parte do belo trabalho de tradução, feito pelo professor Eudoro de Sousa, dos fragmentos dos filósofos pré-socráticos. Aqui encontraremos os textos de Tales, Anaximandro, Anaxímenes, Teágenes de Régio e Xenófanes , conforme foram publicados originalmente em 1954, pela Revista Brasileira de Filosofia; no próximo número encontraremos sua tradução de Heráclito. O trabalho de pesquisa do texto, digitalização e revisão, segundo o novo acordo ortográfico, foi realizado por Fernando Ramos Rodrigues (UFRJ).

Por fim, temos um artigo de Maria Michela Sassi, “A lógica do eoikós e suas transformações: Xenófanes, Parmênides, Platão”, traduzido por Luiz Otávio Mantovaneli e revisado por Cristiane Azevedo. A professora Sassi também recebeu neste número a resenha de seu livro Os inícios da filosofia: Grécia, publicado pela Ed. Loyola, em 2015.

Editora responsável pelo número: Cristiane A. de Azevedo

Sumário

Artigos

Nestor Cordero
1-25
Francisco Dias Moraes
PDF
26-36
Cristiane Azevedo
PDF
37-50
Luís Felipe Bellintani Ribeiro
PDF
51-63
Carolina Moreira Torres
PDF
64-75
Gustavo Laet Gomes
76-93

Traduções

Maria Michela Sassi, Luiz Otávio de Figueiredo Mantovaneli
PDF
94-119
Eudoro de Sousa, Luiz Fernando Ramos Rodrigues
PDF
120-150

Resenhas

Cristiane Azevedo
PDF
151-161