Construção de corpora para estudo da norma gráfica: seleção de textos representativos em periódicos oitocentistas

Alexandre Xavier Lima

Resumo


Este artigo destaca a seleção de textos como etapa decisiva para a construção de corpora linguísticos. Através dos instrumentais da Crítica Textual, investiga-se a representatividade dos textos sob os rótulos folhetim e notícias, publicados nos periódicos Gazeta de Noticias (Rio de Janeiro), Diario de Noticias (Lisboa) e O Commercio do Porto, entre os anos de 1877 e 1878. Essa representatividade faz-se sentir na relevância sócio-histórica dos diversos conteúdos apresentados. Para o expediente de qualificação dos textos, além de identificar informações extralinguísticas, investe-se no estudo gráfico para compreender a complexidade e justificar a organização dos corpora.



Palavras-chave


Corpora; Estudos gráficos; Periódico oitocentista; Notícias; Folhetim.

Texto completo:

PDF

Referências


BARBOSA, Afranio Gonçalves. Novos corpora para estudos diafásicos: cartas pessoais e cartas publicadas em jornais do séc. XIX. In: LOPES, Célia; REICH, Uli (org.) Neue Romania: variação linguística em megalópoles latinoamericanas. Berlim: Lincom Europa. Nº 39, 2009.

_______. Linguística de corpus: metodologias para a História do Português brasileiro. IX Seminário Nacional do Projeto Para a História do Português Brasileiro (PHPB). Maceió: UFAL/FALE/PGLL, Outubro, 2013.

_______; LIMA, Alexandre Xavier Lima. O controle indireto de perfis sócio-históricos em corpora histórico-diacrônicos: a identificação de graus de letramento pela grafia etimológica no século XIX. In: CASTILHO, Ataliba de (ed.). História do Português Brasileiro. Vol. 1. São Paulo: Contexto, 2016. (No prelo).

BARBOSA LEÃO, José. Coleção de estudos e documentos a favor da reforma da ortografia em sentido sônico. [s/l], 1878.

BOSCOLI, José Ventura. Grammatica Portugueza: Estudo Racionado segundo os princípios Hodiernos da sciencia da linguagem. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1894.

CAMBRAIA, César Nardelli. Introdução à crítica textual. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

CAMPBELL, Lyle. Philology: The Role of Written Records in: Historical Linguistics. Cambridge: MIT Press, 2004.

KEMMLER, Rolf. Para uma história da ortografia portuguesa: o texto metaortográfico e a sua periodização do século XVI até à reforma ortográfica de 1911. Lusorama: Revista de Estudos sobre os Países de Língua Portuguesa. Portugal: Instituto Camões, n. 47-48, p. 130-319, Out., 2001.

LEMOS. Miguel. Ortografia Pozitiva: Nóta Avulsa à tradussão do Catessismo Pozitivista de Augusto Comte. Rio de Janeiro: Typ. Central de Evaristo R. da Costa, 1888.

LIMA, Alexandre Xavier. Crítica Textual e Corpora para a Linguística Histórica: Padrões Ortográficos Oitocentistas em Folhetins (crônicas) e França Junior. Dissertação (Mestrado em Língua Portuguesa). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

_______. Descrição da ortografia portuguesa: a inserção do princípio etimológico na prescrição e na prática gráficas oitocentistas. Tese (Doutorado em Língua Portuguesa). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2014.

_______. Difusão de textos literários em jornais oitocentistas: os folhetins de França Junior. Revista da ABRALIN, vol. I

[temático sobre Filologia e Crítica Textual], n. 15 (3), Dezembro, 2016. (No prelo).

NADAF, Yasmim Jamil. Rodapé das miscelâneas: o folhetim nos jornais de Mato Grosso (séculos XIX e XX). Rio de Janeiro: 7 Letras, 2002.

RIBEIRO, Julio. Grammatica Portugueza. São Paulo: Teixeira & irmãos editores, 1881.

SILVA, Maurício (org.). Ortografia da língua portuguesa: história, discurso e representações. São Paulo: Contexto, 2009.

VIANA, Aniceto R. Gonçálvez. Ortografia Nacional: simplificação e uniformização sistemática das ortografias portuguesas. Lisboa: Livraria Editora Viuva Tavares Cardoso, 1904.




DOI: https://doi.org/10.24206/lh.v2i2.10012

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 LaborHistórico

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

LaborHistórico | ISSN 2359-6910

A Revista LaborHistórico da Universidade Federal do Rio de Janeiro está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.