O português falado em Nova Iguaçu: proposta de constituição de uma amostra de língua oral

Juliana Segadas Vianna

Resumo


O Projeto Nova Iguaçu sob o viés da Sociolinguística pretendeu efetuar a organização de um grande banco de dados com entrevistas de língua oral coletadas entre informantes nativos do município de Nova Iguaçu, a fim de possibilitar pesquisas futuras no âmbito da Teoria da Variação e da Mudança e o diálogo com outros projetos estabelecidos no Estado do Rio de Janeiro. Desde os anos 70, a língua da capital do estado do Rio de Janeiro tem sido objeto de inúmeros estudos que levam em conta a perspectiva teórico-metodológica da Sociolinguística laboviana. Tal fato se deve, fundamentalmente, à existência de importantes bancos de dados que foram produzidos com base em tal cidade. São eles: o banco de dados do Projeto Norma Urbana Culta da cidade do Rio de Janeiro (NURC-RJ), o banco de dados do Projeto Censo da Variação linguística no estado do Rio de Janeiro e Programa de Estudos do Uso da Língua (CENSO-PEUL), e, mais recentemente, as amostras do Projeto bilateral Estudo comparado dos padrões de concordância em variedades africanas, brasileiras e europeias do português. Em relação às demais regiões do estado, diferentemente do que se observa na capital (cidade do Rio de Janeiro), constata-se a grande carência de bancos de dados organizados de acordo com a metodologia laboviana.


Palavras-chave


Amostra de fala; Entrevistas sociolinguísticas; Metodologia sociolinguística; Teoria da Variação; Nova Iguaçu.

Texto completo:

PDF

Referências


BRANDÃO, S. A Geografia Linguística no Brasil. São Paulo: Ática, 1991.

CHOMSKY, N. Aspects of the theory of syntax. Cambridge: MIT Press, 1965.

COAN, M.; FREITAG, R. Sociolinguística variacionista: pressupostos teórico-metodológicos e propostas de ensino. Domínios da Linguagem, v.4, no 2, 2º semestre, 2010. p. 173-194.

LABOV, W. The study of language in its social context. Studium Generale, no 23, 1970. p. 30-87.

LABOV, W. Sociolinguistics patterns. Philadelphia: University of Pennsylvania Press, 1972.

LABOV, W. The use of the present to explain the past. In: HEILMANN, L. (Org.), Proceedings of the 11th International Congress of Linguists. Bologna: Il Molino, 1975. p. 825-851.

LABOV, W. Building on empirical foundations. In: LEMANN, W; MALKIEL, Y. (Orgs). Perspectives on historical linguistics. Amsterdam/ Philadelphia: John Benjamins, 1982. p. 79-92.

LABOV, W. Some sociolinguistic principles. In: PAULSTON, C.; TUCKER, R. (Orgs.), Sociolinguistics: the essential readings. Massachusetts: Blackwell Publishing, 2003. p. 235-250

LUCCHESI, D. O conceito de transmissão linguística irregular e o processo de formação do Português do Brasil. In: RONCARATI, C.; ABRAÇADO, J. (Orgs.). Português brasileiro: contato linguístico, heterogeneidade e história. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2003. p. 272-284.

MARCUSCHI, L. A. Análise da conversação. São Paulo: Ática, 1986.

MOLLICA, M. C.; BRAGA, M. L. Introdução à Sociolinguística: o tratamento da variação. São Paulo: Editora Contexto, 2003.

OUSHIRO, L. Tratamento de dados com or para análises sociolinguísticas. In: FREITAG, R. (Org.). Metodologia de coleta e manipulação de dados em sociolinguística. São Paulo, Editora Blucher, 2014. p.129-172.

PAIVA, M. C.; DUARTE, M. E. (Orgs.). Mudança Linguística em Tempo Real. Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria, 2003.

SCHERRE, M. Breve histórico do Programa de Estudos sobre o Uso da Língua. In: OLIVEIRA, G.; SCHERRE, M. (Orgs.). Padrões sociolinguísticos: análise de fenômenos variáveis do português falado na cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1996. p. 27-36.

SILVA, E. Bancos de dados sociolinguísticos em português. Revista Idioma, n. 29, 2016. p. 168-180.

VIANNA, J. Semelhanças e diferenças na implementação de a gente em variedades do português. Tese (Doutorado em Letras Vernáculas). Faculdade de Letras, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

WEINREICH, U.; LABOV, W.; HERZOG, M. Empirical foundations for a theory of language change. In: LEHMANN, W.; MALKIEL, Y. (Orgs.). Directions for historical linguistics. Austin: University of Texas Press, 1968. p. 95-195.




DOI: https://doi.org/10.24206/lh.v5iEspecial.25359

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 LaborHistórico

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

LaborHistórico | ISSN 2359-6910

A Revista LaborHistórico da Universidade Federal do Rio de Janeiro está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.