Locuções no universo lexical pantaneiro: em busca de marcas de idiomaticidade

Elizabete Aparecida Marques, Aparecida Negri Isquerdo

Resumo


Tomando como parâmetro a concepção de fraseologia como sequências polilexicais com relativa estabilidade sintática e semântica (locuções, expressões idiomáticas, frases feitas), este trabalho discute um recorte de locuções que se reportam ao universo lexical pantaneiro (bioma brasileiro), extraído de obras de referência que integram o acervo de dados do Tesouro do Léxico Patrimonial Galego e Português (http://ilg.usc.es/Tesouro/pt/), mais especificamente as obras produzidas no Brasil por Nogueira (1989; 2002) e Brandão (2001). Considerando que os fraseologismos muitas vezes têm empregos típicos e descrevem o contexto no qual são usados, podendo ter características idiomáticas e conter conotações e funções distintas, neste trabalho, busca-se estabelecer relações entre aspectos culturais pantaneiros e o conteúdo semântico da amostra de locuções examinada. Para tanto, pauta-se, fundamentalmente, em Casares (1992 [1950]), Zuluaga (1980), Corpas Pastor (1996), Ruiz Gurillo (1997; 2001), García-Page (2008), além de fontes sobre o universo pantaneiro e de obras gramaticais e lexicográficas. A amostra analisada reuniu 17 locuções (oito substantivas; seis verbais e três adjetivas) que evidenciam os seguintes aspectos do universo pantaneiro: a) associação entre animais ou partes da anatomia dos animais e os objetos de uso diário ou meios de transporte; b) associação entre comportamento animal e o próprio animal; c) associação entre flora e objetos ou ações e d) associações com o folclore popular.

Palavras-chave


Locução. Pantanal. Fauna. Flora. Folclore popular.

Texto completo:

PDF

Referências


ÁLVAREZ, Rosario (coord.). Tesouro do léxico patrimonial galego e portugués. Santiago de Compostela: Instituto da Lengua Galega. Disponível em: http://ilg.usc.es/Tesouro. Acesso em 21 mar 2018.

BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática Portuguesa. 37ª ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2001.

BEAUREPAIRE-ROHAN, Henrique, Visconde de. Diccionario de vocabulos brazileiros. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1889.

CASARES, Julio. Introducción a la lexicografía moderna. Madrid: C.S.I.C, 1992 [1950].

CORPAS PASTOR, Gloria. Manual de fraseología española. Madrid: Gredos, 1996.

CORRÊA, Lucelino Rondon. Glossário Pantaneiro. Campo Grande/MS: Ed. UNIDERP, 2001.

COSTA, Maria de Fátima. História de um país inexistente. O Pantanal entre os séculos XVI e XVIII. São Paulo/Estação Liberdade: Kosmos, 1999.

CUNHA, Celso; CINTRA, Luís F. Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. Lisboa: Edições João Sá da Costa, 1984.

DICIONÁRIO CALDAS AULETE. Dicionário Aulete digital. Lexicon Editora Digital, 2014. Disponível em . Acesso em 20 mar 2018.

GARCÍA-PAGE, Mario. Introducción a la fraseología española: estudio de las locuciones. Barcelona: Anthropos, 2008.

HOUAISS, Antônio; VILLAR, Mauro de Salles. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. 1ª ed. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

ISQUERDO, Aparecida Negri. Brasileirismos, regionalismos e americanismos: desafios e implicações para a lexicografia brasileira. In: GUEDES, Marymarcia et al (Orgs.). Teoria e análise linguísticas. Novas trilhas. 1ª ed. Araraquara/SP: Laboratório Editorial FCL/UNESP; São Paulo/SP: Cultura Acadêmica Editora, Série Trilhas Linguísticas, v. 8, 2006, p. 11-29.

MARQUES, Elizabete Aparecida. Aspectos culturais pantaneiros em fraseologismos sul-mato-grossenses: uma análise da variação fraseológica a partir de dados das obras de referência do TLPGP. Comunicação apresentada durante o IV Congresso Internacional de Fraseologia e Paremiologia e III Congresso Brasileiro de Fraseologia, realizado de 21 a 25 de março de 2016, no Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE/Unesp), campus de São José do Rio Preto, São Paulo, Brasil.

MELHORAMENTOS. Michaelis Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. São Paulo: Editora Melhoramentos Ltda., 2018. Disponível em: http://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/. Acesso em 28 mar 2018.

MATEUS, Maria Helena Mira et al. Gramática da língua portuguesa, 4ª ed. Lisboa: Caminho, 1994.

MINISTÉRIO DA CULTURA. Tesauro de folclore e cultura popular brasileira. Rio de Janeiro: Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, s/d. Disponível em . Acesso em 15 abr 2018.

NOGUEIRA, Albana Xavier. A linguagem do homem pantaneiro. Tese (Doutorado em Letras). Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo,1989.

NOGUEIRA, Albana Xavier. Pantanal, homem e cultura. Campo Grande: Editora da UFMS, 2002.

NOGUEIRA, Albana Xavier; ISQUERDO, Aparecida Negri. Língua e ambiente no contexto pantaneiro: a propósito do vocabulário. In: MENEGAZZO, Maria Adélia; BANDUCCI-JÚNIOR, Álvaro (Orgs.). Travessias e limites. Escritos sobre identidade e o regional. Campo Grande: Editora da UFMS, 2009, p. 93-106.

NUNES, Zeno Cardoso; NUNES, Rui Cardoso. Dicionário de regionalismos do Rio Grande do Sul. 7ª ed. Porto Alegre: Martins Livreiro Editor, 1996.

RAE. Diccionario de la lengua española. Madrid: Asociación de Academias de la lengua española, 2018. Disponível em .Acesso em 15 jun 2018.

RANCHHOD, Elisabete Marques. O lugar das expressões fixas na gramática do português. In: CASTRO, Ivo; DUARTE, Inês. Razões e emoção. Vol. 2. Lisboa: Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 2003, p. 239-254.

RUIZ GURILLHO, Leonor. Hacia una delimitación de las propiedades fraseológicas. In: RUIZ GURILLHO, Leonor. Aspectos de fraseología teórica española. Valencia: Universitat, 1997, p. 85-104.

RUIZ GURILLHO, Leonor. Las locuciones en español actual. Madrid: Arco/Libros, 2001.

SANTOS, António Nogueira. Novos dicionários de expressões idiomáticas. Lisboa: João Sá da Costa, 1990.

SILVA, João dos Santos Vila da; ABDON, Myrian de Moura. Delimitação do Pantanal Brasileiro e suas sub-regiões. Pesquisa Agropecuária Brasileira. Brasília/DF: EMBRAPA, v. 33, p. 1675-1813, 1998.

SOUZA, Bernardino de Souza. Dicionário da Terra e da Gente do Brasil. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1961.

STREHLER, René Gottlieb. Fraseologismos e sinonímia. Trabalhos em Lingüística Aplicada, v. 42, p. 145-156, 2003.

VALE, Oto Araújo. Expressões cristalizadas do português do Brasil: uma proposta de tipologia. 2002. 213 f. Tese (Doutorado em Letras. Lingüística e Língua Portuguesa). Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Araraquara, 2002.

ZULUAGA, Alberto. Introducción al estudio de las expresiones fijas. Tübingen: Max Hueber, Verlag, 1980.




DOI: https://doi.org/10.24206/lh.v5iEspecial2.27076

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 LaborHistórico

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

LaborHistórico | ISSN 2359-6910

A Revista LaborHistórico da Universidade Federal do Rio de Janeiro está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.