Por que estudar a literatura artística brasileira? Considerações sobre as artes de tradição europeia nos séculos XIX e início do XX

João Victor Rossetti Brancato

Resumo


O ensaio pretende refletir sobre a importância do estudo da literatura artística produzida no Brasil entre os séculos XIX e XX, com foco nas artes de tradição europeia. Primeiramente, define-se o conceito de literatura artística e o que a compõe. Depois, abordam-se de forma sumária as publicações sobre o assunto, explorando as potencialidades para o desenvolvimento do campo. Discutem-se os problemas e justificativas para o seu estudo, dialogando com a historiografia. Por fim, são apresentadas algumas problemáticas possíveis em uma pesquisa acadêmica a partir de uma ilustração de caso, a crítica de arte de M. Nogueira da Silva (1880-1943). Espera-se assim incentivar novas pesquisas na área.


Palavras-chave


Literatura artística. Arte brasileira. História da Arte. Historiografia da arte. M. Nogueira da Silva.

Texto completo:

PDF

Referências


AGOSTI, Barbara et al. La littérature artistique: textes et éditions. Perspective, n. 2, 2008.

ALVES, Caroline Farias. Arte, gênero e sociabilidade: Nair de Teffé, a Brasileira retratada por Georgina de Albuquerque. Dissertação (Mestrado em História). Instituto de Ciências Humanas, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2019.

BOAVENTURA, Maria Eugenia (org.). 22 por 22: a Semana de Arte Moderna vista pelos seus contemporâneos. São Paulo: Edusp, 2000.

BOUILLON, Jean-Paul et al (org). La Promenade du critique influent: Anthologie de la critique d’art en France 1850-1900. 2ª edição. Paris: Hazan, 2010.

BOUILLON, Jean-Paul. Mise au point théorique et méthodologique. Revue d'Histoire littéraire de la France, n. 6, nov./dez., 1980.

BRANCATO, João Victor Rossetti. Crítica de arte e modernidade no Rio de Janeiro: intertextualidade na imprensa carioca dos anos 20 a partir de Adalberto Mattos (1888-1966). Dissertação (Mestrado em História). Instituto de Ciências Humanas, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2018.

CARDOSO, Domingos. Artes, artistas e criticos. Fon-Fon, Rio de Janeiro, n. 14, 3 abr. 1926, p. 64.

CARDOSO, Rafael. Histories of nineteenth-century Brazilian art: a critical review of bibliography, 2000-2012. Perspective, n. 2, 2013.

CARDOSO, Vicente Licinio. Philosophia da Arte (Synthese positive e notas á margem). Rio de Janeiro: José Olympio, 1935.

CHIARELLI, Tadeu. De Anita à academia: para repensar a história da arte no Brasil. Novos Estudos - CEBRAP, n. 88, 2010.

CHIARELLI, Tadeu. Um jeca nos vernissages. São Paulo: Edusp, 1995.

COLI, Jorge. Como estudar a arte brasileira do século XIX? São Paulo: Editora Senac, 2005.

CUNHA, Euclides da. Os Sertões. São Paulo: Abril, 2010.

DAZZI, Camila. Crítica de Arte: uma nova forma de escrever o século XIX no Brasil. In: Anais do XXIV Colóquio do Comitê Brasileiro de História da Arte. Belo Horizonte: CBHA, 2004.

DUQUE-ESTRADA, Luiz Gonzaga. A arte brasileira. Campinas: Mercado de Letras, 1995. Organização, introdução e notas por Tadeu Chiarelli.

FALECEU o jornalista Nogueira da Silva. A Noite, Rio de Janeiro, n. 11409, 15 nov. 1943, p. 3.

FERREIRA, Glória (Org.). Crítica de arte no Brasil: temáticas contemporâneas. Rio de Janeiro: Funarte, 2006.

GAMBONI, Dario. Proposições para o estudo da crítica de arte do século XIX. 19&20, vol. VII, n. 1, jan./mar. 2012. Tradução de Arthur Valle.

GOMBRICH, E. H. Obituary of Julius von Schlosser. Burlington Magazine, vol. 74, 1939.

GUARILHA, Hugo Xavier. A questão artística de 1879: um episódio da crítica de arte no Segundo Reinado. Dissertação (Mestrado em História). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2005.

KOSELLECK, Reinhart. Uma história dos conceitos: problemas teóricos e práticos. Estudos históricos, Rio de Janeiro, vol. 5, n. 10, 1992. Tradução por Manoel Luis Salgado Guimarães.

LENE, Hérica. Memória e história da comunicação: a participação da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) no processo de profissionalização do jornalista. Revista Brasileira de História da Mídia, vol. 2, n. 1, jan. 2013.

LOBATO, MONTEIRO. Resenha do Mez. Movimento Artistico: Helios Seelinger. Revista do Brasil, São Paulo, ano II, n. 21, set. 1917.

LOPES, Raimundo Helio. SODRÉ, Feliciano (verbete). In: DE ABREU, Alzira Alves (org.). Dicionário histórico-biográfico da Primeira República (1889-1930). Rio de Janeiro: Editora FGV, 2015.

MAGNINO, Julius Schlosser. La letteratura artistica: manuale dele fonti dela storia dell’arte moderna. 3ª edição. Florença: La Nuova Italia Editrice, 1964.

O FUTURO governo fluminense. O Paiz, Rio de Janeiro, n. 14307, 22 dez. 1923, p. 6.

PANOFSKY, Erwin. O significado nas artes visuais. São Paulo: Perspectiva, 1991.

PUNTONI, Pedro; TITAN JUNIOR, Samuel (org.). Revistas do modernismo: 1922-1929 (caixa). São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2015.

ROMERO, Sylvio. História da Literatura Brazileira. Rio de Janeiro: Ed. B. L. Garnier, 1888, t. 1.

SILVA, M. Nogueira da. Artistas de hoje. Rio de Janeiro: Lux, 1925.

SILVA, M. Nogueira da. Pequenos estudos sobre arte: pintura, esculptura. Rio de Janeiro: Lux, 1926.

SILVA, Maria do Carmo Couto da; NASCIMENTO, Priscila Amorim do. Historiografia e crítica de arte brasileira no século XIX: uma análise em anais de eventos científicos 2000-2015. In: Atas do XII Encontro de História da Arte. Campinas: IFCH/Unicamp, 2017.

SQUEFF, Letícia. Uma Galeria para o Império: a coleção Escola Brasileira e as origens do Museu Nacional de Belas Artes. São Paulo: Edusp, 2012.

VERMEERSCH, Paula. Notas de um estudo crítico sobre A Arte Brasileira, de Luiz Gonzaga Duque Estrada. Dissertação (Mestrado em História). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2002

VIANNA, Ernesto da Cunha Araújo. Das artes plásticas no Brasil em geral e na cidade do Rio de Janeiro em particular. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Rio de Janeiro, t. 78, p. II, 1916.




DOI: https://doi.org/10.24206/lh.v6i2.31935

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 João Brancato

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

LaborHistórico | ISSN 2359-6910

A Revista LaborHistórico da Universidade Federal do Rio de Janeiro está licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.