Projeto Língua EmCena: peças teatrais como fonte para o estudo sócio-histórico da língua

Autores

DOI:

https://doi.org/10.24206/lh.v9i2.55295

Palavras-chave:

Projeto Língua EmCena, Peças teatrais, Variáveis sociais, Construções condicionais, Sociolinguística Histórica.

Resumo

Apresentamos a proposta do projeto Língua EmCena, e exemplificamos sua aplicação a partir de um estudo sobre a mudança na morfologia verbal do Português Brasileiro em sentenças condicionais inseridas pela conjunção –se. Esse projeto propõe a construção de corpora de peças brasileiras (séculos XIX a XXI) e a caracterização do perfil social de seus personagens, utilizando categorias definidas segundo a reconstrução dos contextos sócio-históricos dos períodos analisados. Para tal, estabelecemos um diálogo interdisciplinar (com História, Sociologia, Antropologia e Teatro). Os resultados demonstram a relevância de trabalhos com peças teatrais no campo da Sociolinguística Histórica e da categorização proposta para as variáveis sociais sexo/gênero, idade, escolaridade/instrução, classe social e etnia, revelando correlações entre essas variáveis e processos de variação e mudança linguísticas.

Biografia do Autor

Rosane Andrade Berlinck, Universidade Estadual Paulista, São Paulo, SP, Brasil.

Professora assistente-doutor do Departamento de Linguística, Literatura e Letras Clássicas da Faculdade de Ciências e Letras - UNESP, campus de Araraquara. Professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Linguística e Língua Portuguesa (UNESP).

Áreas de pesquisa: Sociolinguística, Linguística Histórica, Sintaxe, História do português.

 

Sílvia Maria Brandão, Secretaria Municipal de Educação, Inconfidentes, MG, Brasil.

Doutora em Linguística e Língua Portuguesa (UNESP). Foi professora no curso de Letras da Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR). Atualmente é Chefe do Departamento de Educação da Secretaria Municipal de Educação de Inconfidentes - MG.

Juliana Bertucci Barbosa, Universidade Federal do Triângulo Mineiro, Uberaba, MG, Brasil.

Professora Associada do Departamento de Linguística e Língua Portuguesa da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM-Uberaba) e professora permanente do Programa de Mestrado Profissional em Letras (PROFLETRAS) da UFTM. É também professora colaboradora do Programa de Pós-graduação em Linguística e Língua Portuguesa da UNESP/Araraquara (mestrado e doutorado).

Áreas de pesquisa:  Sociolinguística com interface ao ensino de Língua Portuguesa (como língua materna e para falantes de outras línguas) e descrição do Português Brasileiro.

Caroline Carnielli Biazolli, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, Brasil.

Professora adjunta do Departamento de Metodologia de Ensino (DME) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). É docente permanente no Programa de Pós-Graduação Profissional em Educação (PPGPE/UFSCar) e no Programa de Pós-Graduação em Linguística (PPGL/UFSCar).

Áreas de pesquisa: Sociolinguística (Variacionista e Educacional), Ensino e Aprendizagem de Línguas, particularmente de Língua Portuguesa como língua materna.

Marcus Garcia Sene, Universidade de Pernambuco, Garanhuns, PE, Brasil.

Professor Adjunto da Universidade de Pernambuco (UPE) campus Garanhuns, atuando no Departamento de Linguística e Práticas de Ensino. Também é professor do curso de Letras do Centro Universitário Newton Paiva.

Áreas de pesquisa: Percepção e produção sociolinguística, significados sociais da variação, Fonologia, Variação e ensino de língua.

Referências

ALMEIDA, M. A. B. de; SANCHEZ L. Os negros na legislação educacional e educação formal no Brasil. Revista Eletrônica de Educação, São Carlos, v. 10, n. 2, p. 234-246, 2016. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/1459. Acesso em: Jun de 2021

ARÊAS, V. Comédia de costumes. In: FARIA, J.R. História do teatro brasileiro, vol.1: das origens do teatro profissional da primeira metade do século XX. São Paulo: Perspectiva, edições SESCSP, 2012, p.-119-136.

AUER, A.; PEERSMAN, C.; PICKI, S.; RUTTEN, G.; VOSTERS, R. Historical sociolinguistics: the field and its future. Journal of Historical Sociolinguistics, v. 1, n. 1, p.1-12. 2015

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. 2 ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997[1979].

BERGS, A. The uniformitarian principle and the risk of anachronisms in language and social history. In: HERNÁNDEZ-CAMPOY, J.M.; CONDE-SILVESTRE, J.C. (eds.) The handbook of historical sociolinguistics. Malden, MA/Oxford: Wiley-Blackwell, 2012. p.80-98.

BERLINCK, R. A. Sobre a posposição do sujeito nas comédias de José de Alencar. Estudos Lingüísticos, v.28, p.269-276, 1999.

BERLINCK, R.de A. Brazilian Portuguese VS Order: a diachronic analysis. In: KATO, M; NEGRÃO, E.V. (Eds) Brazilian Portuguese and the Null Subject Parameter. Madrid: Iberoamericana; Frankfut am Main: Vervuert, 2000.

BERLINCK, R. de A.; BARBOSA, J.B; MARINE, T.C. Reflexões teórico-metodológicas sobre fontes para o estudo histórico da língua. Revista da ABRALIN, v.7, n. 1, 2008. p.53-79.

BRANDÃO, S.M. Mudança no quadro verbal brasileiro em sentenças condicionais: contribuições à Sociolinguística Histórica. Tese (Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa) - Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Araraquara, 2022.

BUTLER, J. Gender Trouble: Feminism and the Subversion of Identity. New York/London: Routledge, 1990.

CARVALHO, J.M. de (Coord.). A construção nacional: 1830-1889. Rio de Janeiro: Objetiva, 2012. (História do Brasil-Nação: 1808-2010, vol.2).

CHESHIRE, J. Variation in an English Dialect: A Sociolinguistic Study. Cambridge, UK: Cambridge University Press, 1982.

CONDE-SILVESTRE, J. C. Sociolingüística Histórica. Madrid: Editorial Gredos, 2007.

COELHO, I.L.; NUNES DE SOUZA, C.M. Uma proposta metodológica para o tratamento da variação estilística em textos escritos. In: GÖRSKI, E.; COELHO, I.L.; NUNES DE SOUZA, C.M.(orgs) Variação estilística: Reflexões teórico-metodológicas e propostas de análise. Florianópolis: Editora Insular, 2014. p.163-199.

CYRINO, S.M.L. Observações sobre a mudança diacrônica no português do Brasil: objeto nulo e clíticos. In: ROBERTS, I.; KATO, M.A. (orgs) Português brasileiro: uma viagem diacrônica. Homenagem a Fernando Tarallo. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1993. p.163-181.

CYRINO, S.M.L. O objeto nulo no português do Brasil: um estudo sintático-diacrônico. Londrina: Editora da UEL, 1997.

DUARTE, M.E.L. Do pronome nulo ao pronome pleno: a trajetória do sujeito no português do Brasil. In: ROBERTS, I.; KATO, M.A. Português brasileiro: uma viagem diacrônica. Homenagem a Fernando Tarallo. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1993. p.107-128.

DUARTE, M.E.L (org.) O sujeito em peças de teatro (1833-1992): estudos diacrônicos. São Paulo: Parábola Editorial, 2012.

ENNE, A.L. Juventude como espírito do tempo, faixa etária e estilo de vida: processos constitutivos de uma categoria-chave da modernidade. Comunicação, mídia e consumo são Paulo vol.7 n. 20, p. 13-35. nov. 2010.

GOMES, A.C. (Coord.) Olhando para dentro: 1930-1964. Rio de Janeiro: Objetiva, 2013. (História do Brasil-Nação: 1808-2010, vol.4).

LABOV, W. Sociolinguistics Patterns. Philadelphia: University of Pennsylvania Press, 1972. (tradução brasileira pela Parábola Editorial, de 2008).

LABOV, W. Building on empirical foundations. In: LEHMANN, W.; MALKIEL, Y. (Eds.). Perspectives in Historical Linguistics. Amsterdam: John Benjamins, 1982. p. 7-82.

LABOV, W. Padrões Sociolinguísticos. Trad. Marcos Bagno, Maria Marta Pereira Scherre, Caroline Rodrigues Cardoso. São Paulo: Parábola Editorial, 2008 [1972].

LABOV, W. Principles of Linguistic Change. Vol. 1: Internal Factors. Cambridge, MA/Oxford: Blackwell Publishers. 1994.

LABOV, W. Principles of Linguistic Change. Vol. 2: Social Factors. Cambridge, MA/Oxford: Blackwell Publishers. 2001.

LABOV, W. Principles of Linguistic Change. Vol. 3: Cognitive Factors. Cambridge, MA/Oxford: Blackwell Publishers. 2010.

LASS, R. Historical Linguistics and Language Change. Cambridge: Cambridge University Press, 1997.

LOZANO-POVEDA, D. Concepción de vejez: entre la biologia y la cultura. Investigación em Enfermería Imagem y Desarollo, Bogotá, v. 13, n. 2, p. 89-100, jul./dez. 2011. Disponível em: http://www.redalyc. org/articulo.oa?id=145222559006. Acesso em maio. 2020.

MEILLET, A. Linguistique historique et Linguistique générale. Paris: Champion, 1921.

OLIVEIRA, J. M. de. O futuro da língua portuguesa ontem e hoje: variação e mudança. Tese (Doutorado em Língua Portuguesa) - Faculdade de Letras, UFRJ, Rio de Janeiro, 2006.

POPLACK, S.; MALVAR, E. Elucidating the transition period in linguistic change: The expression of the future in Brazilian Portuguese. Probus, v.19, p.121-169. 2007.

R CORE TEAM. R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria, 2020. Disponível em: https://www.R-project.org

REIS, D.A. (Coord.) Modernização, ditadura e democracia: 1964-2010. Rio de Janeiro: Objetiva, 2014. (História do Brasil-Nação: 1808-2010, vol.5).

RIBEIRO, D. O Povo Brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. São Paulo, Companhia das Letras, 1995.

ROMAINE, S. Socio-Historical Linguistics: its status and methodology. Cambridge: Cambridge University Press, 1982.

SCHWARCZ, L.M. (Coord.) A abertura para o mundo: 1889-1930. Rio de Janeiro: Objetiva, 2012. (História do Brasil-Nação: 1808-2010, vol.3).

TARALLO, F. Relativization Strategies in Brazilian Portuguese. PhD Dissertation. University of Pennsylvania, 1983.

TRUDGILL, P. Sociolinguistics: An Introduction to language and society. 4 ed. London: Penguin Books, 2000 [1974].

WEBER, M. Classe, estamento, partido. In: Ensaios de sociologia. Rio de Janeiro: Zahar, 1971.

WEINREICH, U.; LABOV, W.; HERZOG, M. Empirical Foundations for a Theory of Language Change. In LEHMANN, W. P.; MALKIEL, Y. (Eds.). Directions for Historical Linguistics. Austin: University of Texas Press, 1968. (tradução brasileira pela Parábola Editorial, de 2006)

WHITNEY, W.D. Language and the Study of Language. New York: Charles Scribner & Company, 1867.

Downloads

Publicado

2023-12-21

Edição

Seção

Artigo - Dossiê "Diálogos entre a sócio-história do português e a história social da cultura escrita"