Relações entre componentes curriculares e modos autorais de ensinar na alfabetização

Fátima Terezinha Spala, Maria Letícia Cautela de Almeida Machado, Paula da Silva Vidal Cid Lopes

Resumo


Este artigo tem por objetivo discutir as relações entre os componentes curriculares e as estratégias didático-pedagógicas, na formação em serviço dos professores, visando os processos de alfabetização. Busca-se referências em estudos histórico-culturais e utiliza-se como metodologia uma investigação de base teórico-conceitual. Os resultados indicam que tal relação, na formação do professor, não precisa ser direcionada à eleição de um método de trabalho, mas sim de um conjunto de pressupostos e princípios que possam sustentar práticas contextuais, autorais, investigativas e diversificadas. Conclui-se que as questões didáticas precisam ser incorporadas à formação dos alfabetizadores como estratégias pedagógicas para o diálogo entre as diferentes culturas que se entrecruzam nas escolas.

 


Palavras-chave


Formação de professores; Currículo; Alfabetização.

Texto completo:

PDF

Referências


BAGNO, M. Preconceito linguístico: O que é, como se faz. 51ª Ed., São Paulo: Edições Loyola, 2009.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desperto. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Língua Portuguesa. Brasília, 1997.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Programa de Formação de Professores Alfabetizadores PROFA. Brasília, 2001.

CAGLIARI, L.C. Alfabetizando sem bá-bé-bi-bó-bu. São Paulo: Scipione, 1998.

CANDAU, V.M.F. Magistério: construção cotidiana. Petrópolis: Editora Vozes, 1997.

CARVALHO, J.R. Criatividade no processo de produção textual: imaginação, mediação e interações. In: ZACCUR, E. Alfabetização e Letramento: O que muda quando muda o nome? Rio de Janeiro: Editora Rovelle, 2011, p. 227-241.

CARVALHO, M. Guia prático do alfabetizador. 4ª Ed, São Paulo: Ática, 2003.

CURTO, L.M.; MORILLO, M.M.; TEIXIDÓ, M.M. Escrever e ler. Como as crianças aprendem e como o professor pode ensina-las a ler e a escrever. Vol. 1. Porto Alegre: ARTMED, 2001.

FERREIRO, E.; TEBEROSKY, A. A psicogênese da língua escrita. Porto Alegre: Artmed, 1999.

GERALDI, J.W. Portos de passagem. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

GOÉS, M.C.R. A natureza social do desenvolvimento psicológico. Cadernos CEDES, 24. Pensamento e linguagem: Estudos na perspectiva soviética, 21-29, 2000.

MACHADO, M.L.C.A. A escrita alfabética, sua natureza e representação: contribuições à Fonoaudiologia aplicada à Educação. 2013. Tese de Doutorado -- Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: 2013.

MACHADO, M.L.C.A.; LOPES, P.S.V.C. A formação de professores para os anos iniciais do ensino fundamental na área de letramento e alfabetização para crianças, jovens e adultos. In: II Congresso Brasileiro de Alfabetização: políticas públicas de alfabetização, 2, 2015. Recife. Anais... Recife: Associação Brasileira de Alfabetização, 2015.

MACHADO, M.L.C.A.; LOPES, P.S.V.C.; SENNA, L.A.G. La formación del profesordo en Brasil: entre la cultura escrita y la diversidade cultural. Revista Temas de Educación, Chile, 21, 2, p. 311-326. 2015.

MACHADO, M.L.C.A.; SENNA, L.A.G. As Políticas Públicas inclusivas e o sujeito do fracasso escolar. Revista Aleph, 18, p. 45-58. 2012.

MENDONÇA, O.S.; MENDONÇA, O.C. Alfabetização: método sociolinguístico: consciência social, silábica e alfabética em Paulo Freire. São Paulo: Cortez, 2007.

MORTATTI, M.R.L. Os sentidos da alfabetização: São Paulo - 1876/1994. São Paulo: Editora UNESP, 2000.

SENNA, L. A. G. Psicogênese da Língua Escrita, Universais Linguísticos e Teorias de Alfabetização. Alfa, São Paulo, 39, p.221-241. 1995.

SENNA, L. A. G. 2011. Psicolinguística e sistemas gramaticais no campo da psicopedagogia. In: GODOY, E.; SENNA, L. A. G. Psicolinguística e Letramento. Curitiba: Editora IBPEX, 1995. p. 129- 194.

SMOLKA, A.L.B. A criança na fase inicial da escrita: a alfabetização como processo discursivo. 2ª Ed. São Paulo: Cortez, 1993.

SPALA, F.T. Da palavra falada à palavra da escola: um estudo sobre as orientações didáticas à alfabetização na cidade do Rio de Janeiro. 2015. Tese de Doutorado -- Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro: 2015.

VYGOTSKY, L.S. A Formação Social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1998a.

VYGOTSKY, L.S. Pensamento e Linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1998b.




DOI: http://dx.doi.org/10.20500/rce.v13i27.15540

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Contemporânea de Educação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

         


RCE, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. ISSN 1809-5747

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.