CINEMA, INFÂNCIA E ESCOLA: NOVOS OLHARES PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA

Gisela Pascale Camargo Leite, Graziele Rodrigues Pereira, Irene de Barcelos Alves, Maira Norton, Marina Rodrigues de Oliveira, Marina Tarnowski Fasanello

Resumo


Esse texto surge como fruto de leituras e debates da disciplina Tópicos especiais: Educação e Cinema do programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio de Janeiro e pretende refletir acerca da qualidade do encontro entre o cinema e a infância no contexto escolar, para além da questão do gosto. O artigo aposta fortemente na hipótese de alteridade de Alain Bergala e promove questões para pensar a pedagogia da criação. Trata-se também de uma proposta de aproximação da experiência escolar como uma forma efetiva de aprender com as crianças a desnaturalizar as formas de ver e estar no mundo, olhando-o como se fosse a primeira vez.

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, G. Infância e história. Buenos Aires: Adriana Hidalgo, 2001.

BARROS, Manoel de. Poesia Completa. São Paulo: Leya, 2010.

BAKHTIN, Mikhail. A forma espacial da personagem. In: BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BERGALA, Alain. A hipótese -- Cinema. Pequeno tratado de transmissão do cinema dentro e fora da escola. Rio de Janeiro: Booklink. 2008.

BENJAMIN, Walter. Reflexões sobre a criança, o brinquedo e a educação. São Paulo: Duas Cidades; Ed. 34, 2002.




DOI: https://doi.org/10.20500/rce.v5i10.1616

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



         


RCE, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. ISSN 1809-5747

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.