MOVIMENTOS E ITINERÂNCIAS ALFABETIZADORAS: REFLEXÕES SOBRE A APROPRIAÇÃO DA LINGUAGEM ESCRITA

Carmen Sanches Sampaio, Tiago Ribeiro, Igor Helal

Resumo


Este trabalho apresenta algumas reflexões acerca de práticas e processos alfabetizadores a partir de uma ação investigativa vivida em uma escola pública carioca. Discute a importância de práticas alfabetizadoras discursivas tendo em vista a potencialização de processos pedagógicos mais emancipatórios, em contraponto a práticas centradas na concepção mecanicista. Nesse sentido, alinhava algumas experiências vividas na pesquisa no intuito de problematizar em que medida a concepção discursiva oportuniza a garantia de autoria de fala e pensamento no processo formativo alfabetizador.

Palavras-chave


Alfabetização; Concepção Discursiva; Emancipação.

Texto completo:

PDF

Referências


BAGNO, M. Os objetivos do ensino de língua na escola: uma mudança de foco. In: COELHO, L. M. (org.). Língua materna nas séries iniciais do Ensino Fundamental: de concepções e suas práticas. Petrópolis: Vozes, 2009.

BAGNO, M. Preconceito lingüístico: o que é, como se faz. 21ª ed. São Paulo: Loyola, 2001.

BARROS, M. O livro das ignorãças. Rio de Janeiro: Record, 2009.

CERTEAU, M. A Invenção do Cotidiano. 13ª ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

ESTEBAN, M. T. Diferença, aprendizagens e avaliação: perspectiva pós-colonial e escolarização. In: ESTEBAN, M. T. & AFONSO, A. J. (orgs.). Olhares e interfaces: reflexões críticas sobre avaliação. São Paulo: Cortez, 2010.




DOI: https://doi.org/10.20500/rce.v6i11.1627

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



         


RCE, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. ISSN 1809-5747

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.