A REORIENTAÇÃO CURRICULAR COMO POLÍTICA DE PESSOAL EM SÃO PAULO

André Luiz Paulilo

Resumo


Este artigo consiste em um estudo sobre a reorientação curricular das escolas públicas em SãoPaulo e as mudanças sugeridas para o ensino de História. A configuração curricular e omodelo profissional que serviu de referência para a renovação pedagógica proposta sãoanalisados considerando suas implicações para a institucionalização da política de pessoal dogoverno paulista e da prefeitura da capital. Pretende-se, assim, contribuir para a compreensãodas atuais práticas de controle do professor e de controle do ensino e da aprendizagem.

Palavras-chave


Políticas curriculares; ensino de História, prática docente.

Texto completo:

PDF

Referências


ARROYO, Miguel. O ofício de mestre: imagens e auto-imagens. 4ª ed. São Paulo: Vozes, 2000.

BORNE, Dominique. Comunidade de memória e rigor crítico. In: BOUTIER, J; JULIA, D. (org.). Passados recompostos: campos e canteiros da História. Rio de Janeiro: UFRJ; FGV, 1998, pp.133-141.

CHARTIER, Roger. A história ou a leitura do tempo. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

CHARTIER, Anne-Marie. Práticas de leitura e escrita: história e atualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

FONSECA, Thaís Nívea de Lima. História e ensino de história. 2ª ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.




DOI: https://doi.org/10.20500/rce.v6i12.1649

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais



         


RCE, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. ISSN 1809-5747

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.