O conceito de letramento e as práticas de alfabetização

Marcelo Macedo Correa e Castro, Rejane Amorim, Luciene Cerdas

Resumo


Neste artigo, traça-se um percurso na compreensão do conceito de letramento, que suscita debates em torno do significado da alfabetização e se consolida como uma perspectiva possível para o ensino da leitura e da escrita. O texto resulta de atividades de pesquisa, ensino e extensão realizadas pelos autores com foco no ensino da escrita e na formação de professores, a partir de inquietações sobre o tema, levando em conta seu impacto tanto nos estudos como nas práticas docentes. A discussão proposta baseia-se em diversos autores que tratam sobre letramento na história recente. Esse recorte teórico permite apresentar um panorama atual da temática que se constitui como uma crítica em relação ao uso do termo letramento e sobre a dicotomia gerada no ensino da língua escrita, que insiste em separar o ensino do código dos seus sentidos em práticas pedagógicas que se dizem inovadoras.



Palavras-chave


Alfabetização, letramento, ensino de leitura escrita

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e Filosofia da Linguagem. São Paulo: Hucitec,1992.

BRASIL. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Pacto nacional pela alfabetização na idade certa: Currículo na alfabetização: concepções e princípios: ano 1: unidade 1 /Ministério da Educação. Brasília: MEC, SEB, 2012

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: língua portuguesa/Secretaria de Educação Fundamental. -- Brasília: 1.Parâmetros curriculares nacionais. 2. Língua portuguesa: Ensino de primeira à quarta série. I. Título. 1996.

BRASIL. Lei de 15 de outubro de 1827. Lei do Império. Disponível em:http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei_sn/1824-1899/lei-38398-15-outubro-1827-566692-publicacaooriginal-90222-pl.html. Acesso em 4 de abril de 2018.

BRITTO, L. P. L. À sombra do caos: ensino de língua x tradição gramatical. Campinas, São Paulo: Mercado das Letras, 2002.

CAMPS, Anna. Pontos de vista sobre o ensino-aprendizagem da expressão escrita. IN: BARBEIRO, Luís Filipe; CARVALHO, João A. Brandão; PIMENTA, Jorge e SILVA, António C. (orgs.). Actas do II Encontro de reflexão sobre o ensino da escrita. Braga, Instituto de Educação e Psicologia/Universidade do Minho, 2005.

CASTRO, Marcelo M.; C, CERDAS, Luciene; AMORIM, Rejane M A. Contextualização e Práticas Alfabetizadoras Em Debate: Uso Dos Cadernos Pedagógicos No Município Do Rio De Janeiro. XII Educere “Formação de professores: contextos, sentidos e práticas. Curitiba, PR. Agosto de 2017. ISSN 2176-1396.

CERUTTI-RIZZATTI, M. E. Letramento: uma discussão sobre implicações de fronteiras conceituais. IN: Educação e Sociedade. Campinas, v. 33, n. 118, p. 291-305, jan.-mar. 2012.

COLELLO, S. M. G. A escola que (não) ensina a escrever. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2007.

COLELLO, S. M. G. Alfabetização em questão. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2004 (2a. edição revista e ampliada).

DIONÍSIO, M. de L. Facetas da literacia: processos da construção do sujeito letrado. IN: Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 44. p. 41-67. dez. 2006.

DOLZ, J.; SCHNEUWLY, B. Os gêneros escolares -- Das práticas de linguagem aos objetos de ensino. Revista Brasileira de Educação, ANPED, n. 11, p. 5-16, mai/jun/jul/ago 1999.

DOLZ, Joaquim; GAGNON, Roxane; DECÂNDIO, Fabrício. Produção escrita e dificuldades de aprendizagem. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2011.

FERREIRO, E. Alfabetização e cultura escrita. Entrevista concedida à Denise Pellegrini. In: Nova Escola -- Revista do Professor. São Paulo: Abril, maio 2003, p. 27-30.

FERREIRO, E. ; TEBEROSKY, A. Psicogênese da língua escrita. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.

FIORIN, J. L. Introdução ao Pensamento de Bakthin. São Paulo: Contexto, 2006.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários a uma prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra; 2005.

GERALDI, João W. Alfabetização e letramento: perguntas de um alfabetizador que lê. IN:ZACCUR, E. (org.). Alfabetização e letramento: o que muda quando muda o nome? Rio de Janeiro: Rovelle, 2011.

LAHIRE, Bernard. Sucesso escolar nos meios populares: as razões do improvável. São Paulo: Ática,1997.

LAHIRE, Bernard. L'invetion de l'illesttrime. Paris: La Découverte, 2005.

LETA, M. N. Relações de professores com a escrita: um estudo em duas escolas de formação. Rio de Janeiro: H. P. Comunicação Editora, 2005.

ORLANDI, E. P. A linguagem e seu funcionamento: as formas do discurso. São Paulo: Brasiliense, 1983.

SENA, L. A. de G. O Campo Acadêmico do Letramento e da Alfabetização no Brasil: Estados e perspectivas da pesquisa em linguística aplicada. IN: Revista Teias v. 15 • n. 38 • 57-74 • (2014): Linguagens, Formação de Leitores e Cognição.

SMOLKA, Ana Luiza Bustamante. A criança na fase inicial da escrita: Alfabetização como processo discursivo. Ed. São Paulo: Cortez, 2012. 13. Ed.

SOARES, M. Letramento e alfabetização: as muitas facetas. In: Anais REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 26, 2003b, Minas Gerais, disponível em Acesso em: 15 mar. 2018

SOARES, M. Letramento: um tema em três gêneros. 3ª ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2014.

SOARES, M; MACIEL, F. (org.) Alfabetização. Brasília: MEC/INEP/ Comped, 2000. 173p. (Série Estado do Conhecimento, ISSN 1518-3653, n.1)

SOARES, Magda B. Concepções de linguagem e o ensino de Língua Portuguesa. IN: BASTOS, Neusa B. (org.) Língua Portuguesa: História, Perspectivas, Ensino. São Paulo, EDUC, 1998.

TFOUNI, L.V. Letramento e alfabetização. São Paulo: Cortez, 1995.

VYGOTSKY, L. S. Pensamento e Linguagem. São Paulo, Martins Fontes, 1987.




DOI: http://dx.doi.org/10.20500/rce.v13i27.16691

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista Contemporânea de Educação

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

         


RCE, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. ISSN 1809-5747

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.