O STATUS DO PROFESSOR: CONCEITOS, EVIDÊNCIAS AÇÕES E REAÇÕES

Tania Mara Tavares da Silva, Hugo R. Lovisolo

Resumo


Pesquisadores em História da Educação brasileira têm se dedicado a escrutinar a história da formação docente, demonstrando os processos a partir dos quais ocorreram mudanças no que aqui denominaremos status do professor, ou seja, que representação e que lugar este profissional vem ocupando historicamente no âmbito da sociedade. O tema do status do professor, tratado historicamente, incidiu na formação de visões consagradas na arena política e nos discursos dos intelectuais, consolidando uma visão sobre a docência que afeta o âmbito da pedagogia ou das ciências da educação, sendo uma das visões mais recorrentes aquela que reitera o professor como profissional ou trabalhador pouco valorizado em termos salariais ou, como afirmam alguns autores, como aquele que teve o trabalho docente precarizado. Queremos, pois, chamar a atenção para o fato de que se construiu um discurso, no interior da própria pedagogia, que opera com símbolos positivos e negativos que se tornaram argumentos para as lutas em defesa e valorização da classe docente. Temos assim configurado um campo de ações e reações cujos eixos conformam as diversas representações, e seus fundamentos, sobre o status do trabalho docente. O tema do status na síntese de considerá-lo como desvalorizado, desde sempre, ou a partir das políticas ditas neoliberais ou globalizantes, tornou-se fator primordial para explicar a falta de qualidade da educação no Brasil e em grande parte da América Latina.

Palavras-chave


status do professor, educação, história; discursos intelectuais.

Texto completo:

PDF

Referências


ARON, R. As Etapas do Pensamento Sociológico. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1987.

ARROYO, M. Ofício de Mestre: Imagens e auto-imagens. Petrópolis/RJ: Vozes, 2000.

BLOOM, H. O Canône Ocidental. Rio de Janeiro: Objetiva, 1995.

CATANI, B. D. “Estudos de História da Profissão Docente”. In: 500 anos de Educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

CONTRERAS, J. A Autonomia de Professores. São Paulo: Cortez, 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.20500/rce.v8i16.1704

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais

RCE, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. ISSN 1809-5747

Licença Creative Commons 

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.