Gênero e sexualidades no ensino médio: enfrentamentos e negociações

Francisca Helena Gonçalves Vetorazo, Helena Sampaio

Resumo


Focalizando o cotidiano de estudantes do ensino médio e a interação deles com colegas e representantes de outras gerações, o artigo discute o caráter normatizador da instituição escolar  (e seus limites) no que diz respeito a questões de gênero e sexualidades. Constatando a presença hiperbólica dessas questões nas escolas de ensino medio, seguem duas considerações mutuamente implicadas: gênero e sexualidades são alvo de resistência de subjetividades por parte de todos que atuam no ambiente escolar; as escolas constituem espaço, por excelência, para o aprendizado do reconhecimento da igualdade de gênero e da diversidade sexual como direitos.

 


Palavras-chave


gênero, sexualidades, ensino médio

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Maria Isabel Mendes; TRACY, Kátia de Almeida. Noites Nômades: Espaço e Subjetividade nas Culturas Jovens Contemporâneas. Rio de Janeiro: Rocco, 2003.

ALTMANN, Helena. Orientação sexual em uma escola: recortes de corpos e de gênero. Cadernos Pagu, São Paulo, n. 21, 2003: pp.281-315.

ALTMANN, Helena. Orientação sexual nos parâmetros curriculares nacionais. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, vol.9, no.2, 2001, p.575-585.

BRAH, Avtar. Diferença, diversidade, diferenciação. Cadernos Pagu. nº26, 2006, p. p.329-376

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais : apresentação dos temas transversais, ética / Secretaria de Educação Fundamental. Brasília : MEC/SEF, 1997. Disponível em < http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro081.pdf>. Acesso em 20 de março de 2017.

BENTO, Berenice. Na escola se aprende que a diferença faz a diferença. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, vol. 19, num.2, 2011, p. 549- 559.

DEBERT, Guita Grin; PULHEZ, Mariana Marques Apresentação. Textos Didáticos - Desafios do Cuidado: Gênero, Velhice e Deficiência – Campinas: IFCH, Unicamp nº 66, Jul.2017, p. 5-25.

FOUCAULT, Michel. Os cuidados de si.10 ed. Rio de Janeiro: Graal, 1985.

GLUCKMAN. Max.. Análise de uma situação social na Zululândia Moderna. In Bela FELDMAN-BIANCO, (Org) Antropologia das Sociedades Contemporâneas Métodos, São Paulo: Editora Unesp, 2010, p. 237-364

GIDDENS, Anthony. Modernidade e Identidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

LOURO, Guacira Lopes. O Corpo Educado: pedagogias da sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, Sexualidade e Educação: uma perspectiva pós-estruturalista. São Paulo: Vozes, 2010.

MAGGIE, Yvonne. Racismo e anti-racismo: preconceito, discriminação e os jovens estudantes nas escolas cariocas Educação & Sociedade, Campinas: Centro de Estudos Educação e Sociedade vol. 27, núm. 96, octubre, 2006, p. 739-751.

MICHAELIS: moderno dicionário da língua portuguesa. São Paulo: Companhia Melhoramentos, 1998.

OLIVEIRA, Roberto Cardoso de. O trabalho do antropólogo: olhar, ouvir, escrever. Revista de Antropologia, São Paulo, USP, 1996, v.39 núm 1. p. 13-37.

PEREIRA, Alexandre B. A maior zoeira na escola: experiências juvenis na periferia de São Paulo. São Paulo: Unifesp.2016.

PEREIRA, Sissi Aparecida M.; MOURÃO, Ludmila. Identificações de gênero: jogando e brincando em universos divididos. Motriz, Rio Claro, v.11 n.3, 2005, p.205-210.

ROSISTOLATO, Rodrigo. "Você sabe como é, eles não estão acostumados com antropólogos!": uma análise etnográfica da formação de professores. Pro-Posições, Campinas , v. 24, n. 2, 2013, p. 41-54.

STRATHEN, Marilyn “Refusing Information,” in Strathern, Marilyn. Property, Substance and Effect: Anthropological Essays on Persons and Things, London: Athlone Press, 1999, p.64-86.

SOARES, D. S. S.; SOUZA, R. C. Gênero na escola: análise das relações discriminatórias no espaço escolar In: V COLÓQUIO INTERNACIONAL “EDUCAÇÃO E CORPOREIDADE”. São Cristóvão, SE, Anais. 2011, , p 45-60.

TAYLOR, Diana. Traduzindo performance. In DAWSEY, J; MÜLLER, R; MONTEIRO, M. [et.al]. Antropologia e performance: ensaios Napedra. São Paulo: Terceiro Nome, 2013, p. 9-16.

VIANNA, Claudia. Estudos de gênero, sexualidade e políticas de educação: das ações coletivas aos planos e programas federais. Tese (Livre Docência) – Faculdade de Educação, Universidade São Paulo, São Paulo, FEUSP, 253 p, 2011.

VIANNA, Claudia e UNBEHAUM, Sandra. Gênero na educação básica: quem se importa? Uma análise de documentos de políticas públicas no Brasil. Educ. Soc. [online]. 2006, vol. 27, n.95, pp.407-428.ISSN 0101-7330. http://dx.doi.org/10.1590/S0101-73302006000200005.

VIANNA, Claudia; RIDENTI, Sandra. Relações de gênero e escola: das diferenças ao preconceito. In: AQUINO, Julio G. (Org.). Diferenças e preconceito na escola: alternativas teóricas e práticas. São Paulo: Summus, 1998, pp.93-105.

VETORAZO, F.H.G. Gênero e Sexualidade na Escola: Arenas de Enfrentamento e Negociação. Campinas (s/n), Programa de Pós-Graduação em Educação, Unicamp,2016.




DOI: https://doi.org/10.20500/rce.v15i32.30020

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Contemporânea de Educação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

         


RCE, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. ISSN 1809-5747

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.