Inteligência emocional nos educadores do ensino superior

Liane Broilo Bartele

Resumo


Através da coleta de dados secundários, com o apoio de uma pesquisa bibliográfica este artigo foi elaborado para tentar elucidar o que é inteligência emocional e a sua importância nos profissionais da educação. O ensino é uma atividade que requer habilidades técnicas, mas também um bom equilíbrio emocional para condução das aulas e interação saudável com os alunos. Para tanto, a pesquisa apresenta a inteligência emocional como fator construtivo para uma boa liderança educacional do professor junto aos alunos e a instituição de ensino na qual trabalha. Ademais, as emoções básicas dos seres humanos são apresentadas, com propósito de conhecê-las e ao identifica-las nas relações os docentes poderem agir de uma forma estável.


Palavras-chave


Inteligência Emocional, Educador, Ensino Superior

Texto completo:

PDF

Referências


ALEXANDROFF, Marlene Coelho. O Papel das emoções na constituição do sujeito. Constr. psicopedag., São Paulo, v.20, n. 20, 2012. Disponível em: . Acesso em: 09 de dez. de 2019.

ARRUDA, Marlene de Jesus Ferreira Carvalho. O abc das emoções básicas - Implementação e avaliação de duas sessões de um programa para a promoção de competências emocionais. Um enfoque comunitário. 2º Ciclo de Estudos em Psicologia da Educação Ramo especialidade em Contextos Comunitários. Universidade dos Açores - Ponta Delgada, 2014. Disponível em: . Acesso em: 09 de dez. de 2019.

AZEVEDO, Michele Silveira; RIBEIRO, Elizabete Silveira. O comportamento humano a partir do pensamento psicológico. Revista Gestão Universitária, 13 de nov. de 2017. Disponível em: . Acesso em: 06 de dez. de 2019.

BEZERRA, Ana Luiza Cavalcanti et al. Personalidade, Temperamento, Caráter e suas Fisiopatologias. Psicologado, ago. de 2015. Disponível em: . Acesso em: 08 de dez. de 2019.

BRAGANÇA, Soraya; PARKER, Marcelo (Orgs.). Igualdade nas diferenças - os significados do "ser diferente" e suas repercussões na sociedade. Porto Alegre: EdiPUCRS, 2009. Disponível em: . Acesso em: 08 de dez. de 2019.

BRANT, Luiz Carlos; MINAYO-GOMEZ, Carlos. Da tristeza à depressão: a transformação de um mal-estar em adoecimento no trabalho. Interface, Botucatu, v.12, n.2, jul./set. 2008. Disponível em: . DOI: . Acesso em: 09 de dez. de 2019.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de outubro de 1988. Obra coletiva de autoria da Editora Saraiva com a colaboração de Antonio Luiz de Toledo Pinto, Márcia Cristina Vaz dos Santos Windt e Livia Céspedes.- 44. ed. atual. e ampl.- São Paulo: Saraiva, 2010.

BRAVIN, Pablo. A importância do caráter na vida de uma pessoa. Portal Administradores, João Pessoa - PB, 17 de dez. de 2013. Disponível em: . Acesso em: 08 de dez. de 2019.

CABRAL, Fábia Moreira Squarça; CARVALHO, Maria Aparecida Vivan de; RAMOS, Rosângela Mancini. Dificuldades no relacionamento professor/aluno: um desafio a superar. Paidéia, Riberão Preto, v. 14, n. 29, set./dez. 2004. Disponível em: . DOI: . Acesso em: 10 de dez. de 2019.

CALMON, Petrônio. Fundamentos da mediação e da conciliação. Rio de Janeiro: Forense, 2008.

CÂNDIDO, Sara. Entenda qual a importância do feedback para o sucesso de uma empresa. Portal RockContent, 19 de nov. de 2019. Disponível em: . Acesso em: 09 de dez. de 2019.

CASANOVA, Nuno; SEQUEIRA, Sara; MATOS e SILVA, Vítor. Emoções. Trabalho desenvolvido no âmbito da disciplina de Psicologia Geral do curso de Psicologia. 28 de mar. de 2009. Disponível em: . Acesso em: 09 de dez. de 2019.

CATARINO, Lígia. Aprender a pensar. Revista Referência, Coimbra, série I, n. 12, p. 45-48, 2004.

EKMAN, Paul. Cross-Cultural Studies Of Facial Expression. In: EKMAN, Paul (Ed.), Darwin And Facial Expression: A Century Of Research In Review. Los Altos, CA: Malor Books. 2006, p. 169-222

FONSECA, Luciana et al. Inteligência emocional - uma competência da atualidade. XII Congresso Nacional de Excelência em Gestão & III Inovarse - Responsabilidade Social Aplicada, 29 e 30 de set. de 2016. Disponível em: . Acesso em: 09 de dez. de 2019.

FONSECA, Vitor da. Importância das emoções na aprendizagem: uma abordagem neuropsicopedagógica. Rev. psicopedag., São Paulo, v. 33, n. 102, 2016. Disponível em: . Acesso em: 10 de dez. de 2019.

FREIRE, Paulo. Educação e mudança. 30. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2007.

GOLEMAN, Daniel. Inteligência emocional. Rio de Janeiro: Objetiva, 1996.

__________. Inteligência emocional. Tradução Marcos Santarrita. Rio de Janeiro: Objetiva, 2011.

__________. Inteligência Emocional: A teoria revolucionária que redefine o que é ser inteligente. Editora Objetiva: Rio de Janeiro, 2012.

GOLEMAN, Daniel; BOYATZIS, Richard; MCKEE, Annie. O poder da inteligência emocional: como liderar com sensibilidade e eficiência. Tradução Berilo Vargas. Rio de Janeiro: Objetiva, 2018.

GLOBO LIVROS (Org.). O livro da filosofia. Tradução Douglas Kim. São Paulo: Globo, 2011.

__________. O livro da sociologia. Tradução de Rafael Longo. Col. Grandes Ideais. São Paulo: Globo Livros, 2015.

INEP. Dados do censo da educação superior: as universidades brasileiras representam 8% da rede, mas concentram 53% das matrículas. Censo da Educação Superior, 03 de out. de 2019. Disponível em: . Acesso em: 10 de dez. de 2019.

LOTZ, Erika Gisele; GRAMMS, Lorena Carmem. Gestão de Talentos [livro eletrônico]. Curitiba: Intersaberes, 2012.

MAIA, Carmem; MATTAR, João. ABC da EaD. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

MARIUZZO, Patrícia. A saga da melancolia. Ciênc. Cult., São Paulo, v.56, n.1, p.51-2, jan./mar. 2004. Disponível em: . Acesso em: 09 de dez. de 2019.

MÁRTIN, Dóris. BOECK, Karin. QE – O que é a inteligência emocional – como conseguir que as nossas emoções determinem o nosso triunfo em todas as situações. 2. ed. Tradução por Manuel J. F. Bernardes. Cascais: Portugal, 2002.

MATTOS, Sandra Maria Nascimento de; MATTOS, José Roberto Linhares de. Em busca de um novo educador para uma nova educação. UFRRJ, 2003. Disponível em: . Acesso em: 09 de dez. de 2019.

MIGUEL, Fabiano Koich. Psicologia das emoções: uma proposta integrativa para compreender a expressão emocional. Psico-USF, Bragança Paulista, v. 20, n. 1, p. 153-162, jan./abr. 2015. Disponível em: . Acesso em: 09 de dez. de 2019.

OLIVEIRA, Clarissa Tochetto de et at. Adaptação Acadêmica e Coping em Estudantes Universitários Brasileiros: uma revisão de literatura. Revista Brasileira de Orientação Profissional, v. 15, n. 2, p. 177-186, jul.-dez. 2014. Disponível em: . Acesso em: 08 de dez. de 2019.

PEDREIRA, Antonio. A hora e a vez da competência emocional: levando inteligência às emoções. 2. ed. Salvador: Casa da Qualidade, 1998.

REIS, Eduardo J. F. Borges dos et al. Docência e exaustão emocional. Educ. Soc. [online], v. 27, n. 94, p.229-253, 2006. DOI: . Disponível em: . Acesso em: 10 de dez. de 2019.

SALOVEY, Peter; MAYER, John D. Emotional Intelligence. Imagination, Cognition and Personality, v. 9, n. 3, p. 185-211, 1990. Disponível em: . DOI: . Acesso em: 08 de dez. de 2019.

SANTINELLO, Jamile. A identidade do indivíduo e sua construção nas relações sociais: pressupostos teóricos. Rev. Estud. Comun., Curitiba, v. 12, n. 28, p. 153-159, maio/ago. 2011. Disponível em: . DOI: . Acesso em: 06 de dez. de 2019.

SILVA, Eliane Wenderroschi da. Inteligência emocional e sua importância nas lideranças e no trabalho. XII Congresso Nacional de Excelência em Gestão, 29 e 30 de set. de 2016. Disponível em: . Acesso em: 10 de dez. de 2019.

SINPRO/RS. Pesquisa revela dados da saúde mental dos professores do ensino privado. Comunicação Sinpro/RS, 16 de dez. de 2016. Disponível em: . Acesso em: 10 de dez. de 2019.

THIELE, Marisa Elizabetha Boll. Um olhar sobre a saúde do professor: desafios e possibilidades. EDUCERE: Profissionalização Docente e Formação, 2008. Disponível em: . Acesso em: 10 de dez. de 2019.

WEISINGER, Hendrie. Inteligência Emocional no trabalho: como aplicar os conceitos revolucionários da I.E. nas suas relações profissionais, reduzindo o estresse, aumentando sua satisfação, eficiência e competitividade. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.




DOI: https://doi.org/10.20500/rce.v15i32.31005

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista Contemporânea de Educação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

         


RCE, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. ISSN 1809-5747

Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.